Sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011, atualizada às 17h23

Zona da Mata tem quatro cidades entre as 20 de Minas com mais casos de dengue

Da Redação
Foto de mosquito da dengue

Quatro cidades da Zona da Mata estão entre as 20 de Minas Gerais com maior número de casos notificados de dengue. Segundo informe epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES), além de Juiz de Fora, Recreio, Rio Novo e Matias Barbosa aparecem na lista dos municípios mineiros com maior incidência da dengue.

Em Rio Novo, onde vivem 8.715 pessoas, 345 munícipes apresentaram sintomas de dengue até esta quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011. A incidência é de 3.958,69 para cada cem mil habitantes, a maior de Minas Gerais. Recreio, cidade com 10.301 habitantes, é a quinta mais atingida no Estado, apresentando 374 notificações de dengue. O índice de incidência é de 3.630,72 para cada cem mil habitantes.

Em Juiz de Fora, segundo dados da SES, o número de notificações chega a 159 e a incidência fica na casa dos 30 por cem mil habitantes. Já em Matias Barbosa, dos 13.435 habitantes, 108 apresentaram queixa de sintomas de dengue e foram notificados. A incidência é de 803,87 por cem mil habitantes. Segundo informação da SES, o número de notificações nos 20 municípios mais atingidos pela doença equivale a 67,15% do total de queixas do Estado: 8.509 notificações. O risco de surto obriga as autoridades a tomarem medidas mais efetivas no combate ao mosquito transmissor, o Aedes aegypti.

Marinha atua em Rio Novo

Em Rio Novo, município referenciado pela Gerência Regional de Saúde de Juiz de Fora (GRS-JF), o apoio para a guerra contra a dengue vem também das forças armadas. Catorze militares do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha atuarão no município em mutirões de limpeza, conscientização da população e também no controle focal do Aedes aegypti, com a aplicação do larvicida em possíveis criadouros.

Os militares receberam treinamento para o manejo correto do larvicida, ministrado pelo Programa Nacional de Combate a Dengue (PNCD) na microrregião de São João Nepomuceno. Além de capacitar os militares da marinha, outros sete agentes de endemia, contratados pelo município também receberam o treinamento. Inicialmente os oficiais ficarão na cidade durante dez dias, mas o prazo pode ser prorrogado, caso haja necessidade e autorização da Marinha.

Um dos principais problemas em Rio Novo é o acumulo de recipientes que acumulam água. A intenção é retirar cerca de 70% desses recipientes das casas e diminuir o número de focos do mosquito. O controle focal já está sendo realizado pelos doze agentes de endemias. Já os 21 agentes comunitários de saúde estão trabalhando na educação, passando à população informações de como combater a doença. Há duas semanas, o carro que aplica o UBV pesado (fumacê) percorre a cidade. E, em locais onde o carro não circula, há a aplicação do UBV Costal.

Mutirões de limpeza em Santa Rita do Jacutinga

No município, as agentes comunitárias de saúde, os agentes de endemias e as enfermeiras realizaram mutirões de limpeza, com o objetivo de retirar das casas, lotes vagos e das ruas recipientes que acumulem água. Durante os mutirões foram entregues aos moradores materiais informativos, dadas orientações de prevenção e afixados cartazes educativos em todos os estabelecimentos, com o propósito de sensibilizar a população sobre os riscos da doença e sobre sua responsabilidade no combate ao mosquito.

Os alunos da Escola Municipal Padre Machado e Escola Municipal Dona Antonia de Almeida organizaram uma passeata e passaram pelas principais ruas da cidade, alertando a todos sobre a importância de se combater a dengue. Funcionários da Unidade Básica de Saúde (UBS) e do Programa Saúde da Família também participaram da passeata.

Coronel Pacheco recolhe 800 litros de lixo

O município de Coronel Pacheco realizou no período entre 7 a 11 de fevereiro um mutirão de contra a dengue, com ações educativas, promovido pela Secretaria Municipal de Saúde, em conjunto com as Secretarias Municipais de Obras e Educação. Foram visitados 814 domicílios e recolhidos cerca de 800 litros de lixo, além da coleta semanal, feita pelo caminhão de limpeza urbana.

O município programa novas ações, como palestras em escolas da cidade, oficinas de montagem de iscas para o mosquito e gincana com os alunos, percorrendo os domicílios para coleta de materiais que acumulem água. A Prefeitura acredita que mesmo não tendo apresentado ainda nenhum caso da doença, a vigilância e as ações de conscientização são importantes, pois o município está próximo a outros que já apresentaram casos da dengue.

Belmiro Braga oferece crotalária

Através de ações que englobam a Vigilância em Saúde, Belmiro Braga realiza atividades educativas com a população por meio de visitas domiciliares, contando com o apoio dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de endemias, com distribuição de informativos. Sementes da leguminosa crotalária estão sendo disponibilizadas para plantio, durante visitas domiciliares. A crotalária atrai uma espécie de libélula que põe seus ovos em água parada e limpa, da mesma maneira que o Aedes aegypti. As larvas desta libélula se alimentam de outras larvas, inclusive a do mosquito transmissor da dengue, além disso, a libélula adulta alimenta-se de pequenos insetos e o Aedes aegypti faz parte do seu cardápio.

Veja os municípios mineiros com mais casos de dengue
MunicípioCasos notificados
Belo Horizonte 1.235
Curvelo 633
Uberaba 430
Mutum 400
Recreio 374
Rio Novo 345
Contagem 310
Ipatinga 260
Governador Valadares 257
Coronel Fabriciano 217
Ituiutaba 182
Juiz de Fora 159
Betim 144
Pavão 142
Montes Claros 136
Uberlândia 120
Matias Barbosa 108
Central de Minas 97
Manhuaçu 83
Vespasiano 82
TOTAL5.714

Fonte: Secretaria de Estado de Saúde

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.