Cal Coimbra Cal Coimbra 21/2/2011


Fonoaudiologia - Recurso educacional que contribui para a aprendizagem significativa

Redurso educacional e fonoaudiologiaA Fonoaudiologia deve sempre estar presente na equipe multidisciplinar, como acontece no Centro de Ensino Nossa Senhora Auxiliadora (censa), na cidade de Campo Grande-MS, há 4 anos, atuando na educação infantil e 1º ano do ensino fundamental. Uma realidade que deve ser acatada por outros Centros de Ensino.

O objetivo é colaborar por meio de ações preventivas, orientações aos professores e aos pais com relação aos processos auditivos, fundamentais para o aluno realizar a correlação fonema (som) ao grafema (letra), evitando assim trocas de letras oriundas de falhas na discriminação auditiva. Ex.: p/b, t/d, f/v, ch-x/gj/ , s/z.

Orientações quanto aos hábitos: uso de mamadeira, chupeta, dedo, morder objetos, mastigação e deglutição, fazendo assim a relação dos hábitos e das funções de mastigar e deglutir com o crescimento crânio facial, (dos ossos e músculos da face), desenvolvimento da fala e da linguagem e ao processo de aquisição da leitura e escrita.

As crianças estão sendo alfabetizadas mais cedo e é importante que se realize a orientação aos pais das interferências dos hábitos não só na formação dos arcos dentários e músculos oro faciais, como também estimulando o "crescer". Importante frisar que quando há necessidade contamos com o setor de psicologia para orientações mais específicas e encaminhamentos.

A Fonoaudiologia pode sempre contribuir nas atividades lúdicas em sala de aula sempre interligadas ao planejamento do professor, enfatizando processos como atenção, discriminação auditiva, consciência fonológica e linguagem oral.

Importante argumentar que a aprendizagem está relacionada também à postura corporal, incluindo a postura de boca por ser a boca o órgão importante para a mastigação e respiração saudáveis, funções relacionadas à fala e aprendizagem. As crianças podem ser orientadas quanto à mastigação, que funcionalmente é correta com a boca fechada, utilizando mastigação bilateral alternada, não ingerir líquidos ao mastigar, propiciando assim uma mastigação mais eficaz, levando em consideração que a mastigação é um exercício ortopédico funcional fundamental nessa faixa escolar que contribui para o crescimento ósseo facial.

Os professores podem ser orientados com relação à Higiene Vocal e realizadas oficinas de Voz para que eles possam adquirir a comunicação adequada e usá-la em sala de aula.

Ressaltamos que não são realizados atendimentos clinico/terapêutico dentro de instituições educacionais, conforme a Resolução do CFFa n° 309, de 01 de abril de 2005 .

Colaboração de Cybele Mandetta, Fonoaudióloga, especialista em Motricidade Orofacial - CRFa 0037/MS



Cal Coimbra
é psicóloga e doutora em Fonoaudiologia.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.