• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Número de casos de dengue em JF preocupa autoridades Casos confirmados em laboratórios já são 311, a solução
    encontrada é aumentar as campanhas de prevenção

    Thiago Werneck
    Repórter
    21/11/2007

    Uma intensificação na campanha de prevenção da dengue com a conscientização da população para prevenir a dengue. Essa foi a saída a apontada para combater a proliferação da doença em Juiz de Fora. O tema foi debatido nessa quarta-feira, dia 21 de novembro, na Câmara Municipal de Juiz de Fora e os vereadores questionaram a prefeitura sobre quais as medidas estavam sendo tomadas.

    A importância do assunto motivou a reunião e duas questões principais foram levantadas em relação as ações do governo municipal: se os carros cedidos pelo Ministério da Saúde estão sendo utilizados em serviços de combate a proliferação do mosquito transmissor e se os agente são concursados, como exige a lei federal.

    De acordo com o Subsecretário de Saúde em Atenção Básica e Secundária, José Geraldo (foto abaixo), todos os veículos são utilizados no combate ao mosquito transmissor da dengue. "Alguns carros são usados de forma direta e outros indiretamente, mas todos estão empenhados no combate a dengue", garantiu.

    foto de Maximiliano Em relação ao concurso dos agentes de saúde, José Geraldo foi claro ao dizer que eles não são concursados. "Foram contratados em caráter emergencial para atender uma demanda do município, mas já estamos providenciando um concurso para regularizar essa situação", alega.

    Para o sub-scretário, a solução do problema não se resume as ações governamentais do município, estado ou Ministério da Saúde. "A população tem que tomar cuidados que impeçam a proliferação do mosquito. Não deixar pneus expostos a chuva, esvaziar o suporte de vasos de flor e medidas que não deixem água parada acumulada", destacou.

    Foi o vereador Rodrigo Mattos (foto ao lado) que questionou José Geraldo sobre a questão dos carros e do concurso. Segundo ele, é preciso confiar na palavra do sub-secretário. "Eu não tenho formas de comprovar essa situação dos carros. Temos que acreditar no subsecretário e dar credibilidade ao que ele disse", avaliou.

    foto de Jane Para o vereador a prefeitura deve montar um esquema de campanha de prevenção com a verba que recebeu do Ministério da Saúde. "Juiz de Fora recebeu R$ 100 mil para combater a dengue, sendo que R$ 33 mil serão entregues agora. A prefeitura deve investir em pôsters em postos de saúde, campanhas publicitárias na televisão para conscientizar a população. Parte dessa verba deve ser destina a isso", observou.

    Segundo a assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, esse trabalho de campanha de prevenção já é realizado. Porém, ele acontece de forma diferente. Agentes de saúde visitam famílias em suas casas e passam medidas preventivas. Além disso, dia 8 de dezembro, deve ser considerado o Dia "D" de combate ao mosquito transmissor da dengue.

    Nessa data, 1500 escoteiros vão distribuir panfletos explicativos e dar dicas de como se prevenir da doença e não deixar água parada nos arredores das casas. Outra proposta apresentada da câmara foi a do envolvimento de líderes comunitários na campanha de prevenção. Eles ficariam responsáveis por conscientizar a população das medidas a serem tomadas.

    A prevenção da dengue em Juiz de Fora

    De acordo com José Geraldo, em 2007, até essa terça-feira, dia 21 de novembro, foram realizadas 107.303 visitas em Juiz de Fora, para identificar focos do mosquito e fazer o tratamento químico para evitar sua reprodução.

    Até essa mesma data 311 casos foram registrados em laboratório, pela Secretaria Municipal de Saúde, sendo que quatro progrediram para estado mais grave. Além disso, outros 50 importados de outras cidades e 11 aguardam confirmação de laboratório. Em nenhum deles, houve caso de dengue hemorrágica, situação mais grave da doença.

    Os dados ainda chamam a atenção para as visita feitas em pontos estratégicos. Ao todo fora em 6.386 vistorias em locais como ferro velho, borracharias e floriculturas que, segundo o sub-secretário, são monitorados de 15 em 15 dias na cidade.

    Os bairros que recebem os carros que distribuem o veneno que elimina o mosquito são aqueles em que existem casos suspeitos ou confirmados da doença. De acordo com a prefeitura, esse veículo já fez 168 ciclos em bairros diferentes da cidade.

    Além disso, 3057 pneus, um dos principais reservatórios para reprodução do mosquito fora recolhidos pelo Ecoponto, local específico para coleta de pneus da Usina de Reciclagem de Lixo do Demlurb.

    Ainda segundo informações da prefeitura a equipe de educação em saúde do departamento de vigilância epidemiológica forma parcerias com profissionais da saúde das UBS de Juiz de Fora. Assim são desenvolvidas atividades nas escolas e há mobilização de líderes para serem multiplicadores do combate ao mosquito.

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.