• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Terça-feira, 22 de julho de 2008, às 12h30, atualizada dia 11 de agosto de 2008, às 16h45

    Campanha de vacinação contra a rubéola pretende imunizar 245 mil pessoas em JF. Empresas podem agendar vacinação para funcionários



    Marinella Souza
    *Colaboração

    A Secretaria de Saúde Saneamento e Desenvolvimento Ambiental (SSSDA) deu início à Campanha de Vacinação contra a Rubéola no dia 09 de agosto. O objetivo é imunizar 245 mil pessoas, preferencialmente entre 12 e 39 anos e que pertença ao público masculino, até 12 de setembro.

    Mulheres grávidas ou que estejam planejando uma gravidez e aquelas imunodeprimidas, como as portadoras de HIV não devem tomar a vacina. Confira os postos de vacinação divulgados pela Prefeitura de Juiz de Fora

    Segundo a assessoria do o departamento de Vigilância Epidemiológica da SSSDA, as empresas da cidade que desejarem que os vacinadores agendem a vacina de seus funcionários no próprio local de trabalho, podem enviar um e-mail para rubeola@pjf.mg.gov.br.

    As vacinas também estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), no Departamento de Saúde da Criança e do Adolescente (PAM Andradas e Espírito Santo), Departamento de Saúde do Trabalhador, Policlínica de Benfica e PAM Marechal.

    Segundo a chefe do departamento de Vigilância Epidemiológica da SSSDA, Viviane Lúcia Carneiro, em 2007, apenas, 60% da população foi vacinada. "Este ano vamos fazer uma campanha diferenciada para que mais pessoas se conscientizem da importância da vacinação. É preciso que toda a população se vacine".

    Viviane adianta que será oferecida a tríplice viral para homens e mulheres de 12 a 19 anos, e a dupla viral para aqueles que estão entre 20 e 39 anos. A tríplice viral protege contra caxumba, sarampo e rubéola, enquanto a dupla imuniza contra a rubéola e o sarampo.

    Todas as pessoas que estão dentro da faixa etária citada devem ser imunizadas. "Mesmo quem tomou a vacina no ano passado deve repetir a dose para garantir a imunização. Não há problema em se vacinar novamente".

    Viviane explica que a rubéola é uma doença viral, transmitida através das vias respiratórias e 50% dos casos são assintomáticos, nos outros 50% as pessoas sentem uma febrícola, manchas avermelhadas no corpo, inchaço nos gânglios e dores nas articulações.

    A chefe do departamento de Vigilância Epidemiológica adianta ainda que não são só as mulheres que devem se vacinar. "É muito importante que os homens até 49 anos se vacinem também porque eles são transmissores da doença. O grande problema da rubéola é a Síndrome da Rubéola Congênita porque a mãe infectada passa o vírus para a criança que pode ter conseqüências para o resto da vida, como surdez, cardiopatias ou cataratas".

    Segundo dados da Agência Nacional de Saúde, em 2006, os casos confirmados da doença aumentaram em Minas Gerais e Rio de Janeiro. Já em 2007, a doença atingiu 20 estados brasileiros, totalizando 8.156 casos, sobretudo nas regiões Sudeste, Sul, Nordeste e Centro-Oeste. A faixa etária mais acometida é a de 20-34 anos de idade e 70% dos casos confirmados ocorreram no sexo masculino.

    Mobilização nacional

    O ministro da saúde José Gomes Temporão, segundo a assessoria de imprensa da Agência de Saúde, enviou no fim de junho cartas individuais a vários políticos e a secretários ligados à saúde, para que participem ativamente da campanha, com o objetivo de sensibilizar a população. O ministério enviou também para os estados e municípios o plano de ação da campanha, assim como o manual técnico-operacional.

    *Marinella Souza é estudante de Comunicação Social na UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.