Quarta-feira, 11 de agosto de 2008, atualizada às 16h05

Anvisa vai registrar produtos usados em tatuagens



Priscila Magalhães
Repórter

A medida publicada na última sexta-feira, 08 de agosto, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que prevê o registro de materiais usados em tatuagens, é visto pelo tatuador Carlos Fernandes de Lima como positiva.

"Nós mesmos, os tatuadores, estávamos batalhando para isso. É uma forma de normalizar e um caminho para que nossa trabalho vire uma profissão", diz. Além disso, Carlos pensa na saúde de quem tem o corpo tatuado. "Isso vai inibir coisas erradas que vemos por aí. Tem gente que tatua com tinta de pintar paredes", completa.

Os tatuadores têm 180 dias para se adequarem às novas normas, que vale para tintas, aparelhos, agulhas, entre outros objetos. Carlos diz que, atualmente, a vigilância sanitária do município é a responsável por fiscalizar os estúdios. Entretanto, ele acha que as visitas deveriam ser mais freqüentes. "Agora, com a normalização, isso deve acontecer".

Há 26 anos no mercado, Carlos começou tatuando com agulha de costura e nanquim. Entre os cuidados de higiene estão a esterilização dos objetos usados, o uso de agulhas e luvas descartáveis, o não reaproveitamento da tinta e a preocupação com o lixo. "Separo o que é lixo comum e o que é lixo proveniente das tatuagens, pois esse contém sangue e instrumentos que não podem cair nas mãos de catadores", diz.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.