Segunda-feira, 23 de março de 2009, atualizada às 11h

Secretaria de Saúde inicia pesquisa de amostragem para avaliar índice de infestação de dengue em JF


Patrícia Rossini
*Colaboração

Os agentes de endemia da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora iniciam nesta segunda-feira, dia 23 de março, o segundo Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa) de 2009. Ao todo, 82 pessoas, divididas em 12 equipes, irão percorrer uma amostragem composta por aproximadamente 7.500 imóveis em todos os bairros da cidade, até a próxima sexta-feira, 27.

De acordo com o coordenador dos trabalhos de campo da Secretaria de Saúde, João Carlos Delecrode, o Liraa fornece dados completos sobre o número de imóveis positivos, total de larvas coletadas e tipos de criadouro do mosquito. "O Liraa fornece várias informações que colaboram para a prevenção e o combate à doença. Quando sabemos quais são os bairros mais vulneráveis e os criadouros mais comuns, podemos intensificar e direcionar melhor a ação dos agentes de endemia."

Segundo ele, a coleta de dados sobre os agentes transmissores capturados pelas armadilhas da dengue instaladas no município também é importante para o planejamento das ações de combate. "Temos 15 pessoas encarregadas da leitura das armadilhas e, a partir desses dados, vamos saber o sexo e a espécie dos mosquitos."

Neste ano, a Secretaria de Saúde registrou 112 notificações da doença. Até o momento, 23 casos foram confirmados e 84 descartados. Conforme divulgado pela Secretaria, na última sexta-feira, dia 20, quatro pessoas ainda aguardam resultado dos exames.

No primeiro Liraa de 2009, o índice de infestação predial do município foi o maior de todos os tempos. Em todo município, a média do índice de infestação foi de 2,75%, mas em alguns bairros das regiões norte e leste, a infestação chegou a 7,7%.

* Patrícia Rossini é estudante de Comunicação Social da UFJF

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado