Segunda-feira, 29 de novembro de 2010, atualizada às 16h10

Projeto da saúde mental de Juiz de Fora é contemplado com R$ 10 mil do Ministério da Saúde

Aline Furtado
Repórter

O projeto Trabalharte - Associação Pró Saúde Mental, de Juiz de Fora, foi contemplado pelo Ministério da Saúde (MS), por meio do edital de Seleção de Projetos de Arte, Cultura e Renda na Rede. Com isso, receberá o valor de R$ 10 mil, que será destinado à organização de um laboratório de customização de vestuários e acessórios, como bolsas e carteiras, por meio de técnicas de estamparia artesanal e bordado.

De acordo com a coordenadora do centro de Convivência Recriar, que apoia o trabalho desenvolvido pelo Trabalharte, Ilka de Araújo, entre 70 e 80 pessoas devem ser beneficiadas por meio do repasse do MS. "Nossa intenção é receber pessoas que tenham habilidades, a fim de aperfeiçoar e qualificar aqueles que têm transtorno mental e são atendidos pela rede pública de saúde." Além disso, ela lembra que os familiares e a comunidade também serão beneficiados.

"Para essas pessoas, a verba representa a oportunidade de desenvolver o talento, assim como a possibilidade de circulação social. A chance de mudança na forma como os doentes mentais são vistos pela sociedade é imensa", comemora Ilka.

Para o gestor de Saúde Mental de Juiz de Fora, José Eduardo Amorim, a premiação significa que a saúde mental está cumprindo, na cidade, os requisitos necessários para a reforma psiquiátrica. "Podemos perceber que os trabalhos que vêm sendo desenvolvidos aqui são de grande relevância, o que confere celeridade ao processo de elaboração das políticas intersetoriais para a saúde mental, envolvendo aspectos esportivos, culturais, sociais, entre outros."

Além do trabalho de pintura, a Trabalharte, que funciona desde 2000, desenvolve habilidades como informática, música, teatro, entre outros. Além do projeto de Juiz de Fora, o MS contemplou outras 179 propostas, sendo mais duas na Zona da Mata mineira. Uma no município de Santos Dumont, intitulada Adoce Cozinha de Minas, que vai receber R$ 10 mil. A outra é o projeto Horta Terapêutica, de Cajuri, também contemplado com R$ 10 mil.

A seleção atendeu a alguns critérios, como localização, articulação com a economia solidária e setores parceiros da rede de saúde mental, álcool e outras drogas, cooperativismo social e relação com a incubadora universitária ou pública.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.