• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quarta-feira, 1 de dezembro de 2010, atualizada às 14h

    Com foco na população jovem, Dia Mundial de Combate à Aids mobiliza JF

    Eliza Granadeiro
    Colaboração*
    caminhada contra a Aids

    A população jovem foi o grande foco dos trabalhos realizados em Juiz de Fora, durante do Dia Mundial de Combate à Aids. Várias ações simultâneas foram realizadas em pontos da cidade, a fim de divulgar os riscos da Aids e das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

    De acordo com o coordenador do Programa Municipal DST e Aids, Rodrigo Almeida, o motivo de a atenção priorizar pessoas entre 15 e 24 anos é a alta vulnerabilidade. Segundo Almeida, cerca de 40% dos jovens admitem não usar preservativos na primeira relação sexual. "Além disso, o Boletim Epidemiológico Aids/DST 2010, divulgado nesta quarta-feira [1º de dezembro, pelo Ministério da Saúde], mostra que, embora os jovens tenham elevado conhecimento sobre prevenção da Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, há tendência de crescimento do HIV."

    O estudo indica que, em cinco anos, a prevalência do HIV na população jovem passou de 0,09% para 0,12%. A pesquisa também revela que quanto menor a escolaridade, maior o percentual de infectados pelo vírus da Aids. O índice de prevalência é de 0,17% entre os meninos com ensino fundamental incompleto e de 0,10% entre os que têm ensino fundamental completo. O levantamento foi realizado com mais de 35 mil meninos de 17 a 20 anos de idade.

    Os dados confirmam que o grande desafio é fazer com que o conhecimento se transforme em mudança de atitude. De acordo com a Pesquisa de Comportamento, Atitudes e Práticas da População Brasileira (PCAP 2008), 97% dos jovens de 15 a 24 anos de idade sabem que o preservativo é a melhor maneira de evitar a infecção pelo HIV, mas o uso cai à medida que a parceria sexual torna-se estável. O percentual de uso do preservativo na primeira relação sexual é de 61% e chega a 30,7% em todas as relações com parceiros fixos.

    Ato de Enfrentamento

    Além de campanhas de prevenção nas unidades de saúde da cidade e também nas escolas, o Programa Municipal DST e Aids organizou uma caminhada no Centro (foto acima). A caminhada seguiu até o parque Halfeld, onde ocorreu o 1º Ato de Enfrentamento contra a Aids. No local, o subsecretário de Vigilância em Saúde, Ivander Mattos Vieira, anunciou para janeiro de 2011, o início das obras do novo Centro de Referência em Treinamento em Aids da macrorregião de Juiz de Fora.

    No estande do evento, localizado em frente ao Cine Theatro Central, as pessoas receberam camisinhas e panfletos informativos sobre doenças. A epidemiologista do programa, Patrícia Moura acredita que essa é uma oportunidade de mostrar aos jovens a importância de usar toda a informação disponível sobre as doenças sexuais, em favor deles mesmos.

    Mutirão de testagem

    Rodrigo Almeida afirma que o objetivo principal do evento é chamar a atenção para a política de prevenção e assistência em relação às doenças sexuais em Juiz de Fora. Uma ação segue sendo realizada é o mutirão de testagem de HIV, que ocorre no Centro de Testagem e Acompanhamento (CTA), sétimo andar do PAM Marechal. Durante toda a semana, os testes podem ser feitos das 8h às 17h. O resultado sai em 24 horas.

    *Eliza Granadeiro é estudante do 6° período de Comunicação Social da UFJF

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.