• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Cuidados com os pés devem ser redobrados no verãoTranspiração, uso de ambientes coletivos sem que sejam tomados cuidados com a higiene e até a forma como a unha é cortada podem provocar problemas

    Aline Furtado
    Repórter
    25/2/2011
    Pés

    Verão, época em que as pessoas têm o costume de usar roupas e calçados mais confortáveis, já que a tendência ao suor é maior. Assim como outras regiões do corpo, os pés acabam transpirando mais, o que aumenta a possibilidade de surgimento de doenças e outros problemas.

    "Na contramão do verão, há pessoas que não podem usar sapatos abertos, muitas vezes em função do tipo de trabalho que exercem, e acabam abafando os pés com calçados e meias, fazendo com que a transpiração fique mais intensa", explica a médica dermatologista, Vânia Piccinini.

    Para estes casos, a especialista explica que o ideal é trocar de meia várias vezes por dia. "Com relação ao uso da meia, o ideal é efetuar a troca de manhã, à tarde e à noite. Mas quando a pessoa fica, durante o dia inteiro, de calçado fechado, sem poder parar para lavar os pés, o indicado é que a troca seja feita mais vezes." Se for possível lavar os pés, é preciso ficar atento ao uso de sabonetes antissépticos, cremes desodorantes e talco antisséptico. "E é fundamental enxugar muito bem os pés. Só assim, doenças, e também o chulé, poderão ser evitados."

    Entre os problemas que podem surgir devido à transpiração excessiva, ou hiperidrose, e à falta de cuidados relacionados à higiene estão a disidrose, a bromidrose (chulé), além das micoses. No caso da disidrose, são formadas várias vesículas de suor, que coçam, podendo aparecer entre os dedos, ao redor dos pés ou das unhas. "As pessoas não devem coçar nem estourar estas bolhas, porque há risco de inflamação."

    No caso das micoses, também conhecidas como frieiras ou pé de atleta, estas surgem, geralmente, entre os dedos, nas unhas ou na planta dos pés. "Micoses têm tratamentos, mas são demorados, podendo durar até dois anos, e os resultados podem demorar. Então, o ideal é cuidar para que elas não apareçam." Segundo a médica, no calor, as pessoas não devem usar o mesmo sapato durante toda a semana, além disso, os sapatos devem ser colocados em ambientes arejados, para que sequem todo o suor.

    Entre os sintomas das micoses na unha estão a o aspecto oco e manchas de cor clara. "Além da questão da transpiração, é preciso ficar atento aos locais que são frequentados nesta época de calor, como banheiros públicos, piscinas, praias, cachoeiras, entre outros. É importante andar, sempre que possível, calçado com chinelos de borracha, que impedem a aproximação de fungos."

    Diante dos riscos, uma boa saída para evitar todos estes problemas, segundo a especialista, é fazer uso de calçados leves, arejados e confortáveis, além de manter a higiene dos pés. "Até porque, sapatos inadequados podem provocar também outros problemas, como os ósseos, que deformam os pés, como esporão e joanete, além de causar traumatismos nas unhas."

    As unhas merecem atenção

    As unhas são outro ambiente propício ao surgimento de micoses e problemas, como o encravamento. "O ideal é cortar as unhas de forma quadrada porque, neste formato, os cantos não são retirados, o que, comumente, provoca a infecção do local, com aparecimento da chamada carne esponjosa, ou granulomas." Segundo Vânia, unhas encravadas são responsáveis pelo aumento no movimento nos consultórios dermatológicos durante o verão.

    Os cuidados devem ser tomados, ainda, ao fazer as unhas com manicures, já que os materiais utilizados, com alicate, pau de laranjeira e lixa, podem ser meios transmissores de doenças como hepatites B e C e Aids, no caso dos alicates; além das micoses, no caso dos palitos e das lixas. "O ideal seria empurrar a cutícula com a espátula, evitando retirá-la. Mas, no Brasil, esta mudança não vai adiante. Então, a dica é ter os próprios materiais e levá-los à manicure."

    Creme e lixa

    De acordo com a médica, muitas pessoas têm o hábito de retirar células dos pés quando a pele está muito grossa, fazendo uso de máquinas de lixar, mas a prática não é aconselhável. "Às vezes, chego a atender pacientes que passam lâmina de barbear na sola dos pés, a fim de retirar o aspecto áspero. Isso não deve ser feito porque agride o local, além de acabar engrossando mais. O ideal é utilizar um creme e passar a lixa comum, levemente." Quem sofre com rachaduras, problema que, segundo Vânia, é hereditário, deve evitar andar descalço e com sandália baixas e muito abertas.

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.