• Assinantes
  • Saúde
    Sábado, 14 de março de 2015, atualizada às 10h

    Primeiro caso da Febre Chikungunya em 2015 é confirmado em Viçosa

    febre

    O primeiro caso de 2015 da Febre Chikungunya foi confirmado em Minas Gerais. Segundo informações da Secretaria de Estado de Saúde (SESMG), o caso foi importado da Colômbia e ocorreu em mulher de 27 anos, residente em Viçosa. Em 2014 foram 6 casos da doença no estado. Outros 96 casos foram descartados e 6 estão em investigação.

    Em outubro de 2014, a Secretaria de Estado de Saúde (SESMG) confirmou o primeiro caso de Febre Chikungunya no Estado. Tratava-se de uma mulher de 48 anos, moradora de Matozinhos, Região Metropolitana de Belo Horizonte. Em se tratando do primeiro caso da doença com transmissão dentro do estado e considerando que não houve nenhum caso suspeito nas proximidades, foi realizado um outro exame no Instituto Evaldo Chagas (PA), referência nacional para Arboviroses. Os resultados dos exames realizados no instituto deram negativo para Febre Chikungunya, o que descarta o caso.

    A SES ressalta que resultados falso-positivos podem ocorrer nas técnicas laboratoriais disponíveis para esse tipo de diagnóstico, principalmente quando se trata de uma doença que circula no país há pouco tempo.

    Em setembro de 2014 o Ministério da Saúde confirmou a circulação do vírus da Febre Chikungunya em municípios brasileiros de forma autóctone (com transmissão dentro da própria região). Este novo agravo tem sintomas parecidos com os da dengue, porém com dores mais intensas, além da possibilidade de desenvolver sintomas nos cursos subagudo e crônico, podendo assim permanecer por meses ou até mesmo anos. O Estado de Minas Gerais possui ambos os vetores transmissores da doença em mais de 80% dos municípios mineiros.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.