Armando Falconi Armando Falconi 1/7/2011

Fitoterapia - Plantas em saúde - parte II

 

Armando FalconiNo mês passado, em nosso artigo anterior, abordamos a primeira parte deste tema tão atual e do interesse de um número cada vez maior de pessoas. Em nossos cursos, palestras, artigos e atendimentos, procuramos sempre falar da importância do conhecimento sobre fitoterapia, suas combinações e implicações para a saúde humana.

"Fazer exige saber", ensina o ditado popular com precisão. Dirigir um carro, muitas pessoas conseguem, porém fazê-lo com maestria, responsabilidade e prudência é outro assunto. Há que passar por um treinamento, uma aprendizagem em autoescola, ter acesso aos apontamentos e exercícios do curso de direção assertiva e, só depois destas etapas, seguir para a parte prática.

Existe sempre alguém a perguntar: "- Falconi, os fitoterápicos além dos benefícios que conhecemos, apresentam riscos à saúde humana?" Nossa resposta, nestes anos todos, é a mesma: "- Com toda certeza. A química demonstra que a diferença do remédio para o veneno, muitas vezes, está na dose. As leis da Medicina Tradicional Chinesa, em seus tratados, ensinam há cinco mil anos que, quantidade afeta a qualidade em qualquer coisa na vida."

Assim, mesmo que você use o produto certo, a planta correta para a necessidade de seu organismo, se abusar na quantidade ou na combinação inadequada com outras plantas pode e acontece que, ao invés de ajudar, atrapalha o equilíbrio geral do corpo e do ser. Essas situações acontecem quando as pessoas usam os fitoterápicos sem um conhecimento ou quando não respeitam a orientação correta recebida pelo profissional de saúde, administrando-os de maneira indevida.

Por isto explicamos que, quando utilizados de forma adequada, os fitoterápicos apresentam efeitos terapêuticos, às vezes, superiores aos dos medicamentos convencionais, com efeitos colaterais minimizados. Importante enfatizarmos, ainda, que essa administração inadequada dos fitoterápicos, como por exemplo nos casos de automedicação, pode trazer uma série de efeitos colaterais. Entre os principais problemas causados pelo uso indiscriminado e prolongados estão às reações alérgicas, os efeitos tóxicos em determinados órgãos e as diarreias, que são, muitas vezes, reações quando o organismo está expulsando os princípios ativos que foram ingeridos em excesso.

Devido a isso tudo, recomendamos sempre que antes de usar determinado produto, procure a orientação de um profissional de saúde com conhecimentos sobre o tema e a planta. Senão, corre-se o risco de, querendo cura, ter agravação de sintomas e do estado de saúde.

Biodiversidade e indústria

É reconhecido que o Brasil tem cerca de dez mil espécies de plantas medicinais e aromáticas.Armando Falconi
Na realidade, o Brasil abriga mesmo é em torno de cinquenta e cinco mil espécies de plantas, aproximadamente um quarto de todas as espécies conhecidas. Deste total, cerca de dez mil podem ser medicinais, aromáticas e úteis. Para mais informações, recomendamos conferir os apontamentos de estudos realizados na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), denominados "Contribuição Efetiva ou Potencial do PADCT para o Aproveitamento Econômico Sustentável da Biodiversidade".

Também podemos conferir que o potencial da flora brasileira recebe atenção do Departamento de Psicofarmacologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), onde encontramos a informação de que nem todas as espécies têm fins terapêuticos. A Suíça, por exemplo, pode ter uma única espécie em sua vasta flora que atenda às finalidades terapêuticas; a Alemanha possui mais de vinte espécies; o Reino Unido, cem espécies; o México, três mil; e o Brasil, mais de vinte e cinco mil plantas nativas. Isso somente na Amazônia, fora o Pantanal, o cerrado e a caatinga; cada região com sua flora característica e enorme potencial de investigação científica. Pergunto: é ou não é de tirar o fôlego a nossa realidade da biodiversidade de espécies da flora brasileira para fins terapêuticos?

Além disso, os registros demonstram que o Brasil também exporta plantas medicinais para serem processadas no exterior, embora tenha tecnologia para fazer esta operação internamente. Dados do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) apontam que o volume de plantas exportadas triplicou nos últimos anos.

É de conhecimento de todos e estamos sempre lembrando que o grande problema da exploração da flora para formulação de medicamentos é o risco de extinção das espécies. Por isto, cuidados são necessários na extração das plantas na natureza.

Utilizações diversas em fitoterapia

Armando FalconiAssim como na primeira parte passamos inúmeros comentários que só podem ajudar no uso da fitoterapia, vamos exemplificar, a seguir, alguns pontos sobre as propriedades benéficas de algumas plantas:

  • Bardana/folha: Arctium lappa - Indicada principalmente para a pele e como antibiótico, é ainda diurética, hipoglicemiante, anti-inflamatória, bactericida, depurativa e cicatrizante, além de agir no couro cabeludo nas dermatites descamantes.
  • Chapéu de couro: Equinodorus macrophyllus - Depurativo muito conhecido nas terapias de pele, tem efeito laxativo e estimulante da bílis. Pela ação nos rins e fígado reduz o ácido úrico e o reumatismo.
  • Gengibre: Zingiber officinalis - Estimulante gastrointestinal, é ainda um bom anti-inflamatório que apresenta resultados contra o reumatismo e artrites.
  • Graviola: Anona muricata - O chá das folhas é um ótimo emagrecedor, diminui o colesterol e baixa a pressão. Poderoso hipoglicemiante, muito indicado em casos de diabetes. Ainda é analgésico em nevralgias e reumatismo.
  • Hibisco: Hibiscus sabdarifa - Flor avermelhada, com sabor semelhante ao morango, tem efeito laxante sem cólicas, melhora a digestão, aumenta a diurese e acalma os nervos.
  • Jurubeba: Solanum paniculatum - Estimulante das funções digestivas, do fígado e baço. Indicado em casos de insuficiência hepática e prisão de ventre.
  • Mulungu: Erytrina verna - Calmante poderoso, analgésico e muito usado em manipulação, contra pressão alta.
  • Poejo: Mentha pylegium - Bom para gripes e resfriados, mas seu limite de consumo é de duas xícaras ao dia.
  • Quebra pedra: Phylantus niruri - Famoso por sua ação diurética, é, ainda, hipoglicemiante, antibactericida e anticancerígena, age principalmente no fígado. Obteve sucesso em testes contra a hepatite tipo B. Dissolve cálculos renais, promove a desobstrução da uretra e a eliminação do ácido úrico. Contra indicado na gravidez.
  • Stévia: Stevia rebaudiana - Um doce presente da natureza, que, analisado em laboratório, mostrou ser 300 vezes mais doce que açúcar de cana. Não tem calorias e ainda é diurética. Muito indicada aos diabéticos.
  • Sucupira: Dilotropis incexis - Semente depurativa, oleosa, contra manchas de pele, eczemas, feridas na pele. Antireumática e antihemorrágica.
  • Unha de gato: Acacia plumosa - Famoso antireumático, ameniza dores nas costas e nas pernas. Também usada contra doenças venéreas.
  • Valeriana: Valeriana officinalis - Poderoso calmante, tem ação antiespasmódica e anestésica. Depressora do SNC, atenua a irritabilidade nervosa, a ansiedade e a cefaléia de origem nervosa. Externamente é indicado na cicatrização de feridas.
Saúde: você é o maior responsável

Meu avô, Biaggio Falconi, repetia sempre que: "-Conhecimento não ocupa lugar." Por isto, incentivo você a ler bastante sobre este tema, para que, ampliando os horizontes de sua mente, possa, cada vez mais, aprender e poder usar dos benéficos terapêuticos e aromáticos das plantas de nossa flora brasileira.

Seja, pois, o maior responsável pela sua qualidade de vida, pela sua saúde e de seus familiares. Comer corretamente, usar bons chás, combinar várias plantas de maneira adequada e gradativamente adquirir a possibilidade de envelhecer sem adoecer.

É uma alegria compartilharmos conhecimentos de saúde integral, holística, natural. De utilizarmos este espaço para quem busca um canal direto de aprendizado e sabedoria. Com sinceros votos de bom apetite e muita saúde em sua vida, ficamos à disposição para responder e esclarecer pontos relacionados a este tema. Entre em contato conosco, pois as informações são muitas, mas o espaço do artigo é limitado. Aguardamos seu e-mail.

Encerramos com saudações holísticas!



Armando Falconi Filho
é Terapeuta Holístico, Escritor, Consultor, Conferencista
Saiba mais clicando aqui.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.