Juiz de Fora assume a presidência do Circuito Caminho Novo Nova diretoria busca incentivos para a promoção do turismo regional



Renata Cristina
Repórter
20/06/2007

A cidade de Juiz de Fora assume nesta quarta, dia 20, a presidência no Conselho Administrativo do Circuito Turístico Caminho Novo (CTCN). Em parceria com Santos Dumont, Matias Barbosa, Simão Pereira, Santana do Deserto, Antônio Carlos e Ewbanck da Câmara, a nova diretoria pretende realizar um plano de turismo integrado e inserir o trecho da Estrada Real na lista de atrativos nacionais.

Um diagnóstico de toda a área está em fase de elaboração, a fim de formatar roteiros regionais e torná-los potencialmente preparados para receber visitantes de todo o país. "Vamos criar uma cartilha com serviços e dados históricos dos pontos mais relevantes", explica a presidente da CNTC, Danielle Feyo (foto abaixo), que atua na Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF).

Segundo a presidente, o mapeamento da área é essencial para seguir os próximos passos do projeto. "A partir do que for levantado, teremos condições de sugerir ao turista uma caminhada, um passeio ciclístico ou off road", exemplifica. A infra-estrutura do local também deve ser avaliada nesta etapa do projeto, oferecendo um leque vasto de informações aos visitantes. Mapas, restaurantes, sinal de telefonia celular e capacidade de acomodação são alguns itens que devem entrar no guia.

Foto do
prédio

Além deste trabalho, a nova gestão pretende assessorar as prefeituras, entidades públicas e privadas que venham implantar projetos e programas na área. "Vamos contactar hotéis, agências de viagem e outros parceiros para estimular ações no setor", observa Ricardo Francisco, secretário de Turismo, Indústria e Comércio da PJF.

Para o prefeito Alberto Bejani, a conexão entre os municípios representa um ganho para toda a região. "Com objetivos comuns podemos gerar renda e levantar recursos. Todos ganham", avalia.

Desde 2005, o conselho foi dirigido por Nilton Hermógenes da Silva, coordenador de Turismo da Prefeitura de Santos Dumont. Com a posse, assume a presidência a Turismóloga Danielle Feyo, Secretaria de Turismo, Indústria e Comércio da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF). A diretoria executiva fica a cargo de Matias Barbosa, Simão Pereira assume a diretoria de marketing e vendas, Santana do Deserto coordena a secretaria executiva e Ewbanck fica com a administração e vendas.

A importância do Caminho Novo

O Caminho Novo é uma das estradas reais surgidas no século XVIII, que foi aberto por volta do ano de 1.700 pelo bandeirante Garcia Rodrigues Paes, com a finalidade de facilitar o transporte do ouro de Minas Gerais, mais precisamente, da antiga Vila Rica (hoje Ouro Preto) para o Rio de Janeiro. As informações são do assessor de relações públicas da Funalfa e pesquisador do tema, Vanderlei Tomás, que estuda o trajeto há mais de 10 anos.

Ao longo do Caminho Novo, muitas cidades foram surgindo, como Santos Dumont (antiga João Gomes) e a própria Juiz de Fora (antiga Vila de Santo Antônio do Paraibuna), entre outras. Nos limites de Juiz de Fora, o trajeto do Caminho Novo possui 45 Km, uma extensão considerável em comparação aos 1.400 Km de extensão de todo o trajeto.

Em Juiz de Fora, o Caminho Novo passava por Nossa Senhora da Assunção do Engenho do Mato (hoje Paula Lima), seguia em direção à Barreira do Triunfo, passava pela estrada velha da Represa em direção à Fazenda Ribeirão das Rosas, até a Avenida Juiz de Fora, indo para ao Parque Guarani e Vale dos Bandeirantes. O trajeto também passava pela Fazenda do Juiz de Fora (hoje, Bairro Santos Anjos), tomava toda a extensão da Avenida Sete de Setembro, passava pelo Bairro Santo Antônio, atravessava o Jardim Esperança, Caeté, indo para Matias Barbosa.

Dados da Prefeitura de Juiz de Fora


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.