Quarta-feira, 01 de agosto de 2007, atualizada às 17h23

Crise aérea aumenta procura por viagens de ônibus em JF


Guilherme Arêas
Colaboração*

Algumas empresas de ônibus, que fazem a ligação de Juiz de Fora com outros estados, registraram aumento do número de passageiros no último mês de julho. Além das férias escolares, a alta do movimento, segundo as empresas, está relacionada à crise aérea enfrentada pelo país, intensificada após o acidente com o vôo 3054 da TAM, no dia 17 de julho, em São Paulo.

A Viação Cometa, única empresa que faz a ligação direta entre Juiz de Fora e a capital paulista, está operando com sete horários extras diariamente. O que se ouve de muitos passageiros, segundo os funcionários, é a sensação de insegurança ao utilizar o serviço aéreo.

A Viação Itapemirim, que atua em viagens de longa distância, está disponibilizando ônibus extra para Brasília. Segundo funcionários da empresa, o ônibus leito, que circulava quatro dias por semana, vindo do Rio de Janeiro, passou a operar diariamente nas férias. Com o aumento da procura por causa da crise aérea, a empresa prorrogou, até o final do mês de agosto, a circulação da linha extra.

Já a Rio Doce, empresa que faz a ligação entre Juiz de Fora e cidades do Espírito Santo e Bahia, não registrou aumento do número de passageiros que procuram pelo serviço.

Segundo o gerente do Terminal Rodoviário Miguel Mansur, Salvador Genduso, o levantamento do movimento na rodoviária de Juiz de Fora, no mês de julho, ainda não foi feito. Mas a expectativa de Salvador é que não tenha havido aumento expressivo por causa da crise aérea. "Pelo que nós pudemos perceber, até o momento, o aumento de fluxo de passageiros foi normal e aconteceu devido às férias. Acredito que a crise aérea não mude a rotina da rodoviária de Juiz de Fora".

Rodovias movimentadas

A crise aérea e as medidas tomadas pelo governo federal para colocar fim ao caos que vive a aviação brasileira, têm feito os passageiros trocarem os aviões pelas rodovias. Com isso, a atenção nas estradas deve ser redobrada.

De acordo com o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Wallace Wischanski, as rodovias federais que cortam a região registraram um movimento 10% maior em julho. "Apesar de a região não apresentar nenhuma rodovia que leva, diretamente, à São Paulo, a crise aérea provocou um crescimento significativo no movimento das estradas. Mas o principal motivo do aumento ainda foram as férias do meio do ano", afirma Wallace.

Os motoristas que forem para a capital paulista de carro podem fazer dois trajetos, segundo o inspetor. O primeiro começa na BR-040, no sentido Rio de Janeiro, até a cidade de Três Rios, onde o motorista deve seguir pela BR-381. A outra opção é seguir pela BR-040, sentido Belo Horizonte, entrar na BR-267, até o sul de Minas, e lá continuar a viagem pela BR-381 até São Paulo.

O inspetor alerta para os principais pontos de atenção que o motorista deve ter nas estradas da região:

  • BR-040 - No trecho entre a divisa do estado e a cidade de Cristiano Otoni, o motorista deve ter atenção em relação às obras em vários pontos da rodovia. A Serra da Mantiqueira, entre Juiz de Fora e Barbacena, também merece cuidado especial.
  • BR-267 - A rodovia, que liga Juiz de Fora ao sul de Minas, apresenta muitas curvas, além de buracos em toda sua extensão.

*Guilherme Arêas é estudante de Jornalismo na UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.