Atlas digital vai divulgar pontos turísticos de Juiz de Fora Projeto quer desenvolver e valorizar o comércio e turismo. A previsão do secretário de turismo de Juiz de Fora é que ele esteja pronto até janeiro



Renata Solano
*Colaboração
06/11/07

Um "Inventário Turístico de Juiz de Fora" será elaborado com a finalidade de desenvolver um atlas digital da cidade. O cadastramento teve início na manhã dessa terça-feira, dia 06 de novembro, com a entrega da primeira ficha de cadastro ao presidente da Associação Comercial (ACJF), Aloísio Vasconcelos Barbosa (no vídeo).

Para Aloísio, a iniciativa é excelente e tem como função desenvolver e valorizar o comércio e turismo no município.

"É preciso revitalizar a chamada parte baixa do centro da cidade, especialmente a Praça da Estação (leia a matéria), tendo em vista que é uma área carente da cidade, mas também é de onde surgiram os negócios e desenvolveu-se o comércio", justifica.

"Comércio e negócios devem ser homenageados e destacados pela população juizforana para o Brasil e o mundo", é o que pensa o secretário de turismo, indústria e comércio, Ricardo Francisco (foto abaixo).

Foto de Ricardo 
Francisco "O formulário que utilizamos para fazer o levantamento obedece o modelo internacional, portanto, faremos um produto nesse nível. O intuito é colocar os pontos turísticos da cidade como referência e passível de acesso pelo Google map através de celulares que têm o sistema de buscas", explica Ricardo.

Além do mais, Ricardo acredita que através desse inventário, Juiz de Fora vai disponibilizar sua cultura que, segundo ele, nem sempre é conhecida dentro mesmo da sociedade, levando-a assim, para todo mundo. "Juiz de Fora é pioneira em agronegócio e teve, durante muito tempo um dos maiores PIB da região", esclarece Ricardo.

O atlas digital

Cerca de 52 estagiários em Turismo (foto inicial) vão fazer o mapeamento sobre as ofertas turísticas do município. Segundo a estagiária Daiana Vasconcellos, os estudantes foram divididos por bairros e nichos econômicos, como agências, bares, restaurantes, hotéis, e demais serviços.

Daiana conta que é preciso cumprir uma meta semanal que é definida de acordo com o tipo de estabelecimento destinado a aplicar o formulário. "O nosso papel é fazer a pesquisa que tem todas as informações sobre o local, mas depois esses dados serão analisados pelo Ministério do Turismo para que, posteriormente, sejam elaboradas as estratégias", explica Daiana.

De acordo com a previsão do secretário de turismo, o atlas deve estar pronto até janeiro do próximo ano. "É preciso ter afinco e determinação para atingir o objetivo", enfatiza.

*Renata Solano é estudante de Comunicação Social da UFJF


Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.