Terça-feira, 22 de janeiro de 2008, atualizada às 15h09

Fique atento às doenças ativas no país e vacine-se antes de viajar neste Carnaval. O tipo de vacina vai depender do destino da viagem


Priscila Magalhães
Repórter

Férias escolares em janeiro e feriado de carnaval. Épocas em que os juizforanos arrumam as malas e caem na estrada para descansar e se divertir. A determinação do Governo Federal é a de que todos os brasileiros passem em um posto de vacinação para se protegerem de algumas doenças mais comuns, antes de viajar, de acordo com o destino que escolherem. Isso evita, por exemplo, que alguém que vá para o Norte do estado, pegue a febre amarela e traga a doença para a cidade de origem.

Além da febre amarela, é importante se vacinar contra o sarampo e a rubéola, doenças ainda ativas no país. Para a primeira, é importante tomar a vacina quem for para os estados do Nordeste, Santa Catarina e Rio de Janeiro. De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), a vacina é a tríplice viral, encontrada em postos públicos de vacinação e nas clínicas particulares de imunização.

Nas crianças, elas devem ser aplicadas em duas doses. A primeira aos 12 meses de idade e a segunda aos quatro ou cinco anos. Para os adolescentes e adultos, uma única dose é necessária. A Tríplice também protege contra a rubéola. O maior número de casos foi registrado no Rio de Janeiro e em Minas Gerais, em 2006, sendo 1.086 e 374, respectivamente. Mas, em todo o Brasil, casos da doença foram registrados. A vacina que protege contra a doença também é a tríplice viral.

Para quem vai visitar as regiões Norte e Centro-Oeste, o Maranhão e Minas Gerais, os municípios no sul do Piauí, oeste e sul da Bahia, norte do Espírito Santo, noroeste de São Paulo e oeste dos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul deve se vacinar contra a febre amarela, que já matou oito pessoas no país, até o último dia 19.

Crianças devem tomar a primeira dose da vacina aos nove meses de idade. Após os 14 anos, é necessário tomar uma dose a cada dez anos. A vacina só é encontrada nos postos públicos de vacinação.

A malária é uma doença muito comum no país. Segundo dados do Ministério da Saúde, foram registrados mais de 500 mil casos na região norte do país, em 2006. A região nordeste é a segunda colocada, com quase 10 mil casos registrados. Como não há vacina preventiva, deve-se evitar tomar banhos em igarapés, principalmente à tarde e à noite.

O pediatra, infectologista e membro da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim), Mario Novaes, diz que as vacinas são importantes para evitar que as pessoas tomem remédios constantemente. "Elas protegem contra as doenças e sua eficácia está entre 85% e 99%", garante o médico.

*Informações com base no site do ministério da Saúde e na cartilha
da Sociedade Brasileira de Imunizações (Sbim)

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.