Salvador mistura antiguidade e desenvolvimento Fabricio Ferrarez conta sua viagem pela antiga capital do Brasil
e atual capital do carnaval


Renata Solano
*Colaboração
13/05/2008
Foto de Fabricio Ferrarez
Ouça o que Fabricio fala sobre a viagem
Fabricio Ferrarez
ACESSA multimídia

Salvador (Bahia) é uma cidade brasileira que movimenta o turismo no país, principalmente por causa do agitado carnaval, por causa da cultura e por causa dos belos pontos turísticos. Espaços que, tradicionalmente, atraem milhares pessoas como o pelourinho e o Farol da Barra.

O estudante de Comunicação Social, Fabricio Ferrarez, comenta que além disso, a cidade conta com praias lindas. "Próximo à cidade, a poucos quilômetros tem o que eles chamam de Litoral Norte onde vemos praias de outras cidades. Nesse lugar tem praias lindas e famosas como a praia de Arembepe, a Praia do Forte, a Costa do Sauípe e muitas outras", enumera.

Essas praias vêm sendo exploradas pelo turismo, com resorts, hotéis, pousadas e condomínios com casas de praia. "As pessoas em Salvador têm o costume comprar casa no litoral norte perto da praia. Mas um passeio que, com certeza, todos precisam conferir é a Praia do Forte. Além disso, a vida noturna é agitada com vários bares e restaurantes com música ao vivo", afirma.

Na praia do Forte, antiga vila de pescadores, atrações como o Projeto Tamar e o Bar do Souza que tem fama de fazer o melhor bolinho de peixe do Brasil estão presentes e fascinam os visitantes. "É uma sensação maravilhosa o contato com a praia, a comida típica e os costumes diferentes do baianos", recorda.

Fabrício em Salvador Fabrício em Salvador Fabrício em Salvador

Ferrarez conta que programou a viagem com um tempo de antecedência para ficar seis meses longe da faculdade, dos amigos e da família. "Fui para Salvador em janeiro de 2007. Resolvi trancar a faculdade e me arriscar em outro lugar por seis meses para aprender coisas novas e até fazer um estágio. Como o sétimo período da faculdade tem poucas disciplinas, decidi, desde o começo da faculdade, adiantar o curso e ir pra lá", comenta.

Mas, apesar da cidade ser maravilhosa e possuir diversos atrativos culturais, turísticos e sociais, a vida por lá não foi tão fácil como planejado. "Meu objetivo principal era fazer um estágio em uma grande empresa. Mas tudo deu errado. Como não consegui fazer mobilidade acadêmica na Universidade Federal da Bahia (UFBA), e para se fazer estágio tem que estar matriculado e freqüentando a faculdade não pude fazer", afirma.

Confissões

Em meio a tantos acontecimentos, Ferrarez comenta que inesquecível mesmo foi passar o carnaval em uma das cidades mais agitadas do país no período. "É difícil mensurar o que de mais divertido e importante aproveitei nessa viagem. Por um lado eu diria conhecer mais a fundo uma cultura diferente, conhecer gente nova e morar em uma cidade grande. Mas meu lado festeiro fala que é o Carnaval. Impossível não dizer que foi o Carnaval, porque sem dúvidas a festa é inesquecível", conta.

A felicidade e o entusiasmo não forem presentes em cem por cento do tempo, Ferrarez comenta que passou por situações difíceis e de muita angústia. "Ficar longe dos amigos e da família foi muito complicado, mas acredito que aprendi a dar valor a eles e à faculdade. Quanto à família, eu passei o aniversário da minha mãe e o dia das mães longe dela, pois não tinha dinheiro para voltar pra Juiz de Fora para visitar. Na verdade, eu até tinha o dinheiro mas dei prioridade para um outro sonho meu que era o de passar o Carnaval de 2008 em Salvador dentro de um bloco", lembra.

Fabrício em Salvador Fabrício em Salvador Fabrício em Salvador

No final das contas, o balanço da viagem foi positivo, em meio a tantas experiências, Ferrarez comenta que cresceu tanto pessoal quanto profissionalmente. "Aprendi muitas coisas com essa simples viagem. A gente pensa que não acrescenta nada, mas as circunstâncias fazem a gente crescer muito. Profissionalmente, como meu estágio na multinacional deu errado e eu já estava lá, passei a ir de voluntário em uma agência de publicidade e que não gosto dessa área. Depois que saí da agência, fui trabalhar com minha prima em uma empresa de construção civil. Lá fiz vários amigos, coloquei em prática coisas que tinha aprendido na faculdade e trabalhei muito", revela.

Pessoalmente foi outro aprendizado. "Aprendi a me virar sozinho, a morar na casa dos outros e medir a minha vontade com as regras da casa e descobri que, mesmo com saudades, posso morar longe das pessoas que eu gosto", afirma.

Lembranças e saudades
Fabrício em Salvador Fabrício em Salvador Fabrício em Salvador

A partir de uma experiência de vida, Ferrarez comenta que sente muita vontade de voltar para Salvador. "O lugar tem história, afinal o Brasil nasceu na Bahia e Salvador foi a primeira capital do país. A cidade também tem muitas coisas modernas, já que está em desenvolvimento. Além disso, a o município respira arte: música, dança, teatro, lá tem de tudo e o povo valoriza muito as manifestações artísticas independentes da origem. Sem falar daquele mar maravilhoso, do sol e das comidas", enumera.

Para guardar e manifestar seu enorme amor e admiração pela cidade, o estudante comenta que vai fazer sua monografia de conclusão de curso com o tema: "Carnaval de Salvador". "O carnaval de lá é a maior festa popular do planeta, movimenta muito dinheiro e como diz o slogan: 'O coração do mundo bate aqui', o mundo inteiro se encontra lá, pessoas dos lugares mais diferentes possíveis. Reparei que ali é uma vitrine para as empresas divulgarem suas marcas e seus produtos, por isso, resolvi fazer minha monografia por aí", afirma.

*Renata Solano é estudante de Comunicação Social na UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.