• Assinantes
  • Autenticação
  • Turismo

    Jovem viaja de Muriaé a Jericoacoara, pegando caronasO estudante de Direito, Ronan Bahia, queria passar o Carnaval em um acampamento do MST, mas terminou as férias no litoral cearense

    Clecius Campos
    Repórter
    29/9/2010

    Muita disposição e algumas placas com os nomes dos destinos foram suficientes para que o estudante de Direito, Ronan Bahia, fosse de Muriaé (MG) a Jericoacoara (CE), pegando caronas. A viagem foi feita no início de 2010, durante as férias da faculdade. A intenção era passar o Carnaval em um acampamento do Movimento dos Sem Terra (MST), na cidade de Frei Inocêncio, limítrofe com Governador Valadares.

    "Chegando a Frei Inocêncio, percebi que os sem-terra já tinham se retirado. Estava perto do Carnaval e não tinha nenhuma programação. Entrei em contato com um amigo de Fortaleza, que me convidou para ir até lá. Como não tinha o dinheiro para a viagem, fui tentar uma carona." A aventura foi realizada sem que a família soubesse. Bahia pesquisou uma possível rota, com as principais cidades e confeccionou placas, com os nomes dos municípios.

    "Então, fui para a cidade de Governador Valares, em alta estrada, e mostrei a placa que indicava Vitória da Conquista. Um caminhoneiro resolveu parar, às 16h, e seguimos a viagem." O percurso seria feito sem paradas, mas o caminhão — mais cansado que o condutor e o carona — precisou de um descanso. "Paramos em uma cidade chamada Padre Paraíso. O caminhoneiro esticou uma rede para ele dentro da carroceria do veículo e dormi também por ali. Acordamos cedo e às 10h ele me deixou em um posto fiscal, para pegar outra carona."

    Em Vitória da Conquista, dois caminhões-cegonhas — carregando outros dois caminhões — pararam para dar carona ao estudante. "Eles já estavam levando um outro rapaz, que vinha de São Paulo. O caminhão de cima de um dos cegonhas virou a minha suíte. Fomos de Vitória da Conquista até Jaboatão dos Guararapes, na região metropolitana de Recife. De lá, peguei um ônibus até a capital do Pernambuco."

    Já era quase Carnaval e Bahia foi direto ao shopping, em busca de encontrar um meio de ficar hospedado em Recife. Em uma lan house, o estudante buscou por ajuda de famílias que hospedam mochileiros, mas não teve sucesso. "Estava tudo lotado. Foi quando tive que ligar para a minha mãe. Ela tem uma amiga no Recife e conseguiu uma vaga nesta casa, por um dia." No dia seguinte, Bahia voltou a fazer contato com mochileiros e pôde se hospedar em outro local.

    Galo da Madrugada, Praia da Pipa e enfim, Jericoacoara

    O Carnaval estava garantido. "Fui ao Galo da Madrugada e experimentei um dos mais diferentes blocos que já vi. Passei também uns dias em Olinda e o Carnaval lá é fantástico." A folia terminou, mas a viagem prosseguiu. Em um carro de passeio, Bahia pegou carona para a cidade de João Pessoa. Conheceu a cidade e de lá partiu para o Rio Grande do Norte, com o objetivo de conhecer a Praia da Pipa, no município de Tibau do Sul. "É uma das praias mais lindas do mundo." No local, conheceu um italiano, uma austríaca e uma moradora de Niterói, que decidiram acompanhar Bahia na aventura.

    Pegando mais uma carona, foi até a cidade de Natal. "O motorista foi tão generoso que fez um tour conosco pela cidade. Foi ótimo." De Natal partiram para Mossoró e de lá para Canoa Quebrada. O grupo foi se espalhando, mas Bahia seguiu determinado a chegar a Jericoacoara. Passou por Fortaleza, onde ficou hospedado por uma semana na casa de um amigo, e logo depois seguiu para Jericoacoara.

    "A viagem foi fantástica. Visitei lugares que nunca teria oportunidade se fosse uma viagem normal. Conheci pessoas com quem jamais teria contato. Conheci um Brasil que o turismo convencional não explora. Viajei com um livro de história nas mãos e ia acompanhando os marcos de cada lugar. Esse estudo vai fazer diferença na minha vida, já que quero seguir a carreira diplomática. Preciso conhecer bem o Brasil."

    Os locais visitados

    Entre os locais que visitou, destaque para o Memorial da Resistência, em Mossoró, única cidade que resistiu a uma investida do grupo de Lampião; o Centro Cultural Dragão do Mar, em Fortaleza; as praias da Pipa e do Futuro, em Tibau do Sul e Fortaleza e a Usina de Paulo Afonso, movida pelo Rio São Francisco. Porém, a simplicidade dos cenários que percorreu foi o principal atrativo. "Nada como a Duna do Pôr do Sol, o entardecer no Sertão — que é o mais lindo do mundo — e, na cidade de Milagres [BA], a melhor loja de sucos já existente, com bebidas de todas as frutas nordestinas. O local sequer tem nome, mas vai ficar para sempre na minha memória."

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.