Luiz Henrique Duarte Luiz Henrique Duarte 23/10/2015

Cômodas para usar na decoração

Outro dia, estava observando que várias pessoas usam cômodas na decoração de interiores, desde as mais antigas e tradicionais até às modernas, desenvolvidas através de releituras das originais. Muitas vezes não sabem ou precisam ter à exata noção de como adaptá-las nos ambientes, permitindo que este móvel fique elegante e com uma conotação atemporal e versátil.

Nos apartamentos e casas contemporâneos, muitas vezes o principal fator são os ambientes compactos, que obriga a adquirir um mobiliário multifuncional, que abrange várias possibilidades de uso em um só móvel. Com um design que poderá variar de estilo ou material, até mesmo no acabamento, às cômodas nunca comprometem o espaço, garantindo o armazenamento de vários objetos e uma maneira criativa que permite compor todos os projetos.

Uma definição para cômoda seria muito óbvia, mais além de ser originalmente considerado um móvel baixo, com gavetas para guardar roupas e objetos diversos, surgiu no final do século XV, tornando-se desde então um móvel muito cobiçado e popular. O seu estilo mudou ao longo do tempo, variando de acordo com as tendências ditadas em Milão, Itália, berço consagrado do design e dos lançamentos das inovações deste setor. O estilo pode ser Luís XV ou Luís XVI, e à diferença está que, no primeiro além de ser mais comum apresenta apenas dois puxadores. Já no segundo, apresenta uma gaveta profunda e estreita em cima, e duas abaixo com o mesmo tamanho e profundidade. Os pés, apresentam o estilo "à grega", estilizados sutilmente. Além destes, o estilo "Queen Ann", surgido no século XVIII, apresentava gavetas muito reduzidas.

Entretanto, o mais popular é o "Estilo Vitoriano", caracterizando uma cômoda alta e com espelhos. Mas estilo, em uma época que todos visam o reaproveitamento dos móveis, através dos processos mais diversos é o que menos importa. Atualmente, cômodas simples, que são heranças de família, podem sim, ser muito bem aproveitadas em qualquer espaço de nossas casas e ganhar destaque, atrair todos os olhares e holofotes.

Uma simples cômoda antiga, pode agregar à felicidade por unificar a simetria de ser uma peça afetiva, herdada e que queremos que esteja presente em nossas casas, com a consagração de ter uma nova função, criando uma personalidade para os nossos espaços, além de contar um pouco de nossas estórias. Acho muito interessante o contraste do contemporâneo, moderno e inusitado, das variações da atualidade com o antigo, aquele móvel repaginado, que colocamos para criar uma atmosfera diferente, com um ar chic e bastante original. Isso promove o diferencial e a supremacia da decoração em nossas casas. É a vida que segue em forma de reminiscências e da afirmação de nossas ideologias poéticas dentro de nossos espaços.

Pois bem, nem todos gostam de vivenciar lembranças com um móvel já existente, preferindo escolher as diversas opções de cômodas que existem no mercado. São inúmeras as formas e tamanhos, cores e materiais, desde uma cômoda de grandes lojas como Tok Stok e Etna, que são maravilhosas, além de oferecerem excelentes preços e podem ser usadas em qualquer ambiente, quanto de lojas tradicionais e luxuosas, com um custo maior, e que produzirão o mesmo efeito decorativo.

A cômoda "Bombê", preferida atualmente de vários arquitetos e designer de interiores, surgiu no final do século XVII, na França e era utilizadas para guardar roupas de cama, dos palácios da realeza, que deixaram o seu legado na história mundial por suas ideologias, hábitos, pensamentos intelectuais e cultura, que até hoje influenciam o comportamento e regras da sociedade no seu sentido mais amplo. Cada quarto, apresentava uma ou duas cômodas, com a rouparia estampada por brasões. Hoje em dia, a "Bombê", ganhou novas versões, com cores vibrantes, espelhadas, estampada se muitas até bem arrojadas.

Existem as possibilidades de serem trocados apenas os puxadores, promover um acabamento diferente ou até manter a sua aparência original, "são peças que contam história, vale combiná-los, hoje há opções de acabamento feito em laca com variada cores e texturas", argumenta Larissa Weffort, arquiteta para o site Bonde.

Mas em questão a maneira de serem usadas, todos os ambientes estão aptos para receber uma bela cômoda, dos quartos ao hall de entrada social, das salas de estar e jantar aos corredores amplos. Nas salas de jantar podem substituir os aparadores, nos quartos de bebê funciona com trocador. Com um jeito especial, casual e despojado, todos podem criar uma função adequada para ela, basta a criatividade e o bom gosto! Ah, a propósito, eu tenho a minha, que funciona como um móvel de entrada na parede principal do meu quarto, antiga, com características naturais e muito bem conservada, com objetos contemporâneos de adorno para refletir meu estilo!

As fotos abaixo ilustram nossas dicas e sugestões!


Luiz Henrique Duarte é Bacharel em direito, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, boa música, arquitetura e tudo relacionado à estética do bem viver.

Luiz Henrique Duarte Luiz Henrique Duarte 23/10/2015

Cômodas para usar na decoração

Outro dia, estava observando que várias pessoas usam cômodas na decoração de interiores, desde as mais antigas e tradicionais até às modernas, desenvolvidas através de releituras das originais. Muitas vezes não sabem ou precisam ter à exata noção de como adaptá-las nos ambientes, permitindo que este móvel fique elegante e com uma conotação atemporal e versátil.

Nos apartamentos e casas contemporâneos, muitas vezes o principal fator são os ambientes compactos, que obriga a adquirir um mobiliário multifuncional, que abrange várias possibilidades de uso em um só móvel. Com um design que poderá variar de estilo ou material, até mesmo no acabamento, às cômodas nunca comprometem o espaço, garantindo o armazenamento de vários objetos e uma maneira criativa que permite compor todos os projetos.

Uma definição para cômoda seria muito óbvia, mais além de ser originalmente considerado um móvel baixo, com gavetas para guardar roupas e objetos diversos, surgiu no final do século XV, tornando-se desde então um móvel muito cobiçado e popular. O seu estilo mudou ao longo do tempo, variando de acordo com as tendências ditadas em Milão, Itália, berço consagrado do design e dos lançamentos das inovações deste setor. O estilo pode ser Luís XV ou Luís XVI, e à diferença está que, no primeiro além de ser mais comum apresenta apenas dois puxadores. Já no segundo, apresenta uma gaveta profunda e estreita em cima, e duas abaixo com o mesmo tamanho e profundidade. Os pés, apresentam o estilo "à grega", estilizados sutilmente. Além destes, o estilo "Queen Ann", surgido no século XVIII, apresentava gavetas muito reduzidas.

Entretanto, o mais popular é o "Estilo Vitoriano", caracterizando uma cômoda alta e com espelhos. Mas estilo, em uma época que todos visam o reaproveitamento dos móveis, através dos processos mais diversos é o que menos importa. Atualmente, cômodas simples, que são heranças de família, podem sim, ser muito bem aproveitadas em qualquer espaço de nossas casas e ganhar destaque, atrair todos os olhares e holofotes.

Uma simples cômoda antiga, pode agregar à felicidade por unificar a simetria de ser uma peça afetiva, herdada e que queremos que esteja presente em nossas casas, com a consagração de ter uma nova função, criando uma personalidade para os nossos espaços, além de contar um pouco de nossas estórias. Acho muito interessante o contraste do contemporâneo, moderno e inusitado, das variações da atualidade com o antigo, aquele móvel repaginado, que colocamos para criar uma atmosfera diferente, com um ar chic e bastante original. Isso promove o diferencial e a supremacia da decoração em nossas casas. É a vida que segue em forma de reminiscências e da afirmação de nossas ideologias poéticas dentro de nossos espaços.

Pois bem, nem todos gostam de vivenciar lembranças com um móvel já existente, preferindo escolher as diversas opções de cômodas que existem no mercado. São inúmeras as formas e tamanhos, cores e materiais, desde uma cômoda de grandes lojas como Tok Stok e Etna, que são maravilhosas, além de oferecerem excelentes preços e podem ser usadas em qualquer ambiente, quanto de lojas tradicionais e luxuosas, com um custo maior, e que produzirão o mesmo efeito decorativo.

A cômoda "Bombê", preferida atualmente de vários arquitetos e designer de interiores, surgiu no final do século XVII, na França e era utilizadas para guardar roupas de cama, dos palácios da realeza, que deixaram o seu legado na história mundial por suas ideologias, hábitos, pensamentos intelectuais e cultura, que até hoje influenciam o comportamento e regras da sociedade no seu sentido mais amplo. Cada quarto, apresentava uma ou duas cômodas, com a rouparia estampada por brasões. Hoje em dia, a "Bombê", ganhou novas versões, com cores vibrantes, espelhadas, estampada se muitas até bem arrojadas.

Existem as possibilidades de serem trocados apenas os puxadores, promover um acabamento diferente ou até manter a sua aparência original, "são peças que contam história, vale combiná-los, hoje há opções de acabamento feito em laca com variada cores e texturas", argumenta Larissa Weffort, arquiteta para o site Bonde.

Mas em questão a maneira de serem usadas, todos os ambientes estão aptos para receber uma bela cômoda, dos quartos ao hall de entrada social, das salas de estar e jantar aos corredores amplos. Nas salas de jantar podem substituir os aparadores, nos quartos de bebê funciona com trocador. Com um jeito especial, casual e despojado, todos podem criar uma função adequada para ela, basta a criatividade e o bom gosto! Ah, a propósito, eu tenho a minha, que funciona como um móvel de entrada na parede principal do meu quarto, antiga, com características naturais e muito bem conservada, com objetos contemporâneos de adorno para refletir meu estilo!

As fotos abaixo ilustram nossas dicas e sugestões!


Luiz Henrique Duarte é Bacharel em direito, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, boa música, arquitetura e tudo relacionado à estética do bem viver.

-
Luiz Henrique Duarte Luiz Henrique Duarte 23/10/2015

Cômodas para usar na decoração

Outro dia, estava observando que várias pessoas usam cômodas na decoração de interiores, desde as mais antigas e tradicionais até às modernas, desenvolvidas através de releituras das originais. Muitas vezes não sabem ou precisam ter à exata noção de como adaptá-las nos ambientes, permitindo que este móvel fique elegante e com uma conotação atemporal e versátil.

Nos apartamentos e casas contemporâneos, muitas vezes o principal fator são os ambientes compactos, que obriga a adquirir um mobiliário multifuncional, que abrange várias possibilidades de uso em um só móvel. Com um design que poderá variar de estilo ou material, até mesmo no acabamento, às cômodas nunca comprometem o espaço, garantindo o armazenamento de vários objetos e uma maneira criativa que permite compor todos os projetos.

Uma definição para cômoda seria muito óbvia, mais além de ser originalmente considerado um móvel baixo, com gavetas para guardar roupas e objetos diversos, surgiu no final do século XV, tornando-se desde então um móvel muito cobiçado e popular. O seu estilo mudou ao longo do tempo, variando de acordo com as tendências ditadas em Milão, Itália, berço consagrado do design e dos lançamentos das inovações deste setor. O estilo pode ser Luís XV ou Luís XVI, e à diferença está que, no primeiro além de ser mais comum apresenta apenas dois puxadores. Já no segundo, apresenta uma gaveta profunda e estreita em cima, e duas abaixo com o mesmo tamanho e profundidade. Os pés, apresentam o estilo "à grega", estilizados sutilmente. Além destes, o estilo "Queen Ann", surgido no século XVIII, apresentava gavetas muito reduzidas.

Entretanto, o mais popular é o "Estilo Vitoriano", caracterizando uma cômoda alta e com espelhos. Mas estilo, em uma época que todos visam o reaproveitamento dos móveis, através dos processos mais diversos é o que menos importa. Atualmente, cômodas simples, que são heranças de família, podem sim, ser muito bem aproveitadas em qualquer espaço de nossas casas e ganhar destaque, atrair todos os olhares e holofotes.

Uma simples cômoda antiga, pode agregar à felicidade por unificar a simetria de ser uma peça afetiva, herdada e que queremos que esteja presente em nossas casas, com a consagração de ter uma nova função, criando uma personalidade para os nossos espaços, além de contar um pouco de nossas estórias. Acho muito interessante o contraste do contemporâneo, moderno e inusitado, das variações da atualidade com o antigo, aquele móvel repaginado, que colocamos para criar uma atmosfera diferente, com um ar chic e bastante original. Isso promove o diferencial e a supremacia da decoração em nossas casas. É a vida que segue em forma de reminiscências e da afirmação de nossas ideologias poéticas dentro de nossos espaços.

Pois bem, nem todos gostam de vivenciar lembranças com um móvel já existente, preferindo escolher as diversas opções de cômodas que existem no mercado. São inúmeras as formas e tamanhos, cores e materiais, desde uma cômoda de grandes lojas como Tok Stok e Etna, que são maravilhosas, além de oferecerem excelentes preços e podem ser usadas em qualquer ambiente, quanto de lojas tradicionais e luxuosas, com um custo maior, e que produzirão o mesmo efeito decorativo.

A cômoda "Bombê", preferida atualmente de vários arquitetos e designer de interiores, surgiu no final do século XVII, na França e era utilizadas para guardar roupas de cama, dos palácios da realeza, que deixaram o seu legado na história mundial por suas ideologias, hábitos, pensamentos intelectuais e cultura, que até hoje influenciam o comportamento e regras da sociedade no seu sentido mais amplo. Cada quarto, apresentava uma ou duas cômodas, com a rouparia estampada por brasões. Hoje em dia, a "Bombê", ganhou novas versões, com cores vibrantes, espelhadas, estampada se muitas até bem arrojadas.

Existem as possibilidades de serem trocados apenas os puxadores, promover um acabamento diferente ou até manter a sua aparência original, "são peças que contam história, vale combiná-los, hoje há opções de acabamento feito em laca com variada cores e texturas", argumenta Larissa Weffort, arquiteta para o site Bonde.

Mas em questão a maneira de serem usadas, todos os ambientes estão aptos para receber uma bela cômoda, dos quartos ao hall de entrada social, das salas de estar e jantar aos corredores amplos. Nas salas de jantar podem substituir os aparadores, nos quartos de bebê funciona com trocador. Com um jeito especial, casual e despojado, todos podem criar uma função adequada para ela, basta a criatividade e o bom gosto! Ah, a propósito, eu tenho a minha, que funciona como um móvel de entrada na parede principal do meu quarto, antiga, com características naturais e muito bem conservada, com objetos contemporâneos de adorno para refletir meu estilo!

As fotos abaixo ilustram nossas dicas e sugestões!


Luiz Henrique Duarte é Bacharel em direito, designer de interiores graduado, jornalista apaixonado por arte clássica e contemporânea, boa música, arquitetura e tudo relacionado à estética do bem viver.