Eventos interditados no Expominas Justiça impede realização de encontro do Minaspetro e de qualquer outro, até que obras de acesso estejam prontas

Fernanda Leonel
Repórter
22/06/2007

O evento do Minaspetro, Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo no Estado e Minas Gerais, programado para acontecer no Expominas nesta sexta-feira, 22 de junho, foi cancelado a menos de 15 horas do seu início.

Na última quinta, o juiz federal substituto Leandro C. Bianco deu parecer desfavorável a realização do evento, justificando falta de segurança para os motoristas. A ausência de sinalização na BR-040 e problemas no acesso ao centro de convenções foram os principais motivos para que a Justiça Federal proibisse a realização de eventos no local, até a conclusão das obras na área.

Segundo o diretor regional do MinasPetro, Carlos Alberto Jacometti, o sindicato foi pego completamente de surpresa. "Já havíamos conversado com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e também com a Codemig [empresa que administra o Expominas]. Estava tudo acertado. Na quarta tivemos o parecer da Concer [responsável pela BR-040] contrário à realização do evento. Entramos com o mandado de segurança, mas o juiz foi desfavorável", explica.

De acordo com Jacometti, o sindicato já sabia de outros cancelamentos de eventos que aconteceram no Expominas este ano, mas acreditou no acordo com a Codemig e com a PRF, porque o encontro do MinasPetro era menor que os demais - com público estimado de 350 pessoas - e possuía chegada e saída de veículos "pulverizada", repartida ao longo do dia.

Os prejuízos com o cancelamento ainda não foram calculados, mas a estimativa é que o sindicato tenha perdido aproximadamente R$ 100 mil. De acordo com o Minaspetro, o evento foi remarcado para o dia 20 de julho, dessa vez no Espaço São Pedro. A multa diária, em caso do descumprimento judicial, seria de R$ 50 mil.

foto de marcelo A Concer, Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora, através da assessoria de imprensa, informou que o local não oferece condições de segurança e que por isso, analisa como positiva a decisão judicial de interdição do Expominas.

O gerente financeiro da Codemig, Marcelo Siqueira, rebateu a empresa responsável pela administração da rodovia afirmando que "há muita má vontade da Concer para resolução dos problemas do Expominas".

De acordo com Siqueira, a finalização do acesso ao centro de convenções está somente sob a responsabilidade da Concer. Isso porque, a obra que deveria ser obrigatoriamente realizada pela Codemig - uma rampa entre a rodovia a entrada do Expominas - já está pronta.

"Nos pediram também uma passarela para pedestres, que já estamos providenciando, apesar dela não ser obrigatória. Já gastamos mais de R$ 2 milhões com essas obras", afirma.

Com a decisão judicial que impede a realização de eventos no Expominas, o Simpósio das Unimeds de Minas Gerais (XX Suemg) e o Seminário Unicred Central MG (VIII Sucred), programados para acontecer nos próximos dias 27, 28 e 29 de junho, foram transferidos para o La Rocca.

Questão antiga

A discussão do acesso ao Expominas não é nova. No primeiro evento realizado no local, ainda em 2006, uma pesquisa com 90 expositores apontou que a ausência de sinalização da BR-040 era um dos maiores problemas para o bom funcionamento do centro de convenções.

Somente este ano, três outros eventos foram cancelados por dificuldades no acesso. O diretor de negócios da empresa que organizou um deles, Cristiano Cunha, pondera que vê com muito pesar todos os fatos.

O Action Fair Brasil, programado para maio e impedido de ser realizado em Juiz de Fora, injetaria na cidade, de acordo com Cristiano, R$ 20 milhões, criando ainda mil empregos diretos."Agora o evento vai para outro estado, e todos esse benefícios também", afirma.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.