• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade

    Segunda-feira, 16 de junho de 2008, às 10h44, atualizada às 12h27

    Carlos Alberto Bejani renuncia e vice-prefeito José Eduardo Araújo assume e já fala em modificações no secretariado e corte de custos



    Sílvia Zoche
    Subeditora

    Após o escândalo envolvendo o prefeito Carlos Alberto Bejani no esquema da fraude do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) - relembre os fatos - e a reportagem da revista Época, divulgando o recebimento de propina pelo aumento das passagens de ônibus, o prefeito Alberto Bejani já enviou à prefeitura o pedido de renúncia, já protocolado e registrado em cartório.

    O vice-prefeito José Eduardo Araújo, que assume a prefeitura nesta segunda, dia 16, leu o pedido de renúncia, em entrevista coletiva à imprensa. Segundo Araújo, sua administração não vai ter vice-prefeito

    Segundo Bejani, o motivo pelo pedido da renúncia é ter mais tempo para se dedicar à sua defesa. José Eduardo Araújo vai mexer no secretariado e entrega a documentação para assumir o cargo até o fim do mandato, nesta segunda, à Câmara Municipal de Juiz de Fora. Bejani está detido na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, na Grande Belo Horizonte.

    Mudanças em secretariados

    O novo prefeito de Juiz de Fora, José Eduardo Araújo, anuncia que vai fazer algumas modificações nos secretariados. "Não podemos ser afoitos. Não posso fazer demissão coletiva, porque a prefeitura sofre bastante. Não é a primeira vez que estou na prefeitura, estou na política há muitos anos. A gente tem o conhecimento da máquina pública e também fui executivo na administração privada", diz Araújo, lembrando que também é professor em Administração.

    Alguns nomes foram confirmados para permanecerem no cargo, como o da secretária de Educação, Regina Mancini; do diretor-duperintendente do Museu Mariano Procópio, Mello Reis; e do subsecretário de Defesa Civil, Sérgio Rocha, que deve acumular também o cargo da Secretaria de Segurança Pública.

    Foto de Florival Xavier de perfil Na secretaria de Governo e Articulação Institucional já assume, nesta segunda, dia 16 de junho, Florival Xavier (foto ao lado), que estava durante a coletiva de José Eduardo Araújo. Ele ocupa o lugar de Maria Luiza de Oliveira Moraes, que foi para a secretaria da AMAC..

    Na Secretaria de Saúde, sai Maria Aparecida Soares, a Nininha, que será exonerada, mas ainda não há nome definido para o cargo, assim como aconteceu com a secretária de Política Social, Vanessa Loçasso Bejani. A Secretaria de Planejamento e Gestão Estratégica (SPGE) também terá um novo responsável, mas sem nome definido.

    Algumas subsecretarias, que o novo prefeito considerar obsoletas depois de análises, podem não existir, assim como alguns secretários vão assumir dois órgãos. "A prefeitura precisa cortar gastos". Por isso, lembra que alguns serviços devem ser melhorados, como o JF Informação, que funciona pelo telefone 156. "O que adianta o 156 se eles não dão um retorno? Vamos tentar melhorar os serviços. O que não funcionar, fecha. Os desafios são grandes, mas eu sou otimista".

    Sobre a Secretaria de Saúde, especificamente, Araújo acredita que é preciso um compartilhamento entre a secretaria do Estado e município, para que a cidade receba mais verbas. "O Pronto Socorro, por exemplo, tem que ser revisto. Ali é para urgência e emergência e não para consultas. Para as consultas, temos as UBSs", comenta.

    Todas as mudanças devem ser anunciadas ainda nesta quarta-feira, dia 18 de junho, pelo prefeito José Eduardo Araújo.

    Verbas

    Sobre bloqueio de verbas à PJF depois da prisão de Alberto Bejani, Araújo diz que vai conversar com os responsáveis pela liberação, como no caso da Caixa Econômica Federal (CEF).

    No dia 23 de maio, a Caixa que autorizou o Município a contratar um financiamento junto à Caixa Econômica Federal para o Programa de Recuperação Ambiental do Rio Paraibuna, no dia 23 de maio. Araújo lembra que, neste caso, a prefeitura precisa entrar com uma contrapartida de 40% do valor, cerca de R$ 28 milhões. "Que não temos como bancar".

    Obras em andamento

    Foto de Florival Xavier de perfil Quanto ao Ginásio Poliesportivo de Juiz de Fora, que ainda não ficou pronto, o prefeito diz que vai propor que a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) seja parceira. "Para o município e a UFJF usarem. Vamos propor que seja feito um terceiro pórtico para a Universidade nas proximidades da Embrapa".

    Araújo enfatiza que verá como vão ficar as obras em andamento, como a do Restaurante Popular. "Não podemos criar mais despesas", alerta, lembrando que se fizer cortes de gastos no município, por último, será na folha de pagamento da PJF.

    Passagem de ônibus

    Ao ser questionado sobre a passagem de ônibus, Araújo diz que esta decisão cabe ao Procurador Geral do Município, lembrando que a Justiça decretou que o valor ficasse em R$ 1,75 (leia a nota). "Não posso mudar o preço, mas quero saber como essa concessão foi dada. A Câmara Municipal legisla, mas existe um Conselho, no qual alguns vereadores fazem parte, que determina o aumento da passagem".

    Corrupção

    O novo prefeito de Juiz de Fora diz que a cidade foi enlameada e que não só os corruptos, mas também os corruptores devem ser punidos. "Eu não aceito qualquer deslize. Eu não vou chamar a Polícia Federal, eu mesmo vou denunciar".

    Logomarca da PJF

    Segundo o prefeito, a logomarca do prefeitura de Juiz de Fora vai ser reformulada, tendo somente o brasão da PJF e a bandeira do município.

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.