• Assinantes
  • Autenticação
  • Cidade
    Segunda-feira, 12 de março de 2012, atualizada às 18h30

    Moradores fazem abaixo-assinado contra construção de centro de triagem no Santa Tereza

    Thiago Stephan
    Repórter
    Ascajuf

    Ainda não há uma previsão para o início da construção do Centro de Triagem de Materiais para os profissionais da Associação Municipal dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Reaproveitáveis de Juiz de Fora (Ascajuf), previsto para ser erguido na rua Tenente Coronel Delfino Nonato Faria, no Bairro Santa Tereza.

    Enquanto isso, uma parcela de moradores da região se mobiliza para, por meio de abaixo-assinado, evitar que o empreendimento seja instalado no local, onde eles gostariam de ver sendo construída uma área de lazer.

    A realização de abaixo-assinado é um recurso utilizado em outras duas oportunidades. Agora, eles pretendem sensibilizar os ministérios públicos estadual e federal sobre o impacto do empreendimento da região. De acordo com o líder comunitário André Luiz Durães, o documento já conta com cerca de 700 assinaturas. Outras 500 devem ser recolhidas até o início da próxima semana, quando Durães espera entregá-lo ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público Federal.

    "A nossa luta é para que esse espaço seja usado para a construção de uma área de lazer. Os índices de violência do bairro estão crescendo muito. Queremos revitalizar essa área para que os nossos filhos tenham onde brincar", disse Durães, que teme que a construção do Centro de Triagem aumente ainda mais a população de rua que vive no bairro.

    Mas, segundo a chefe do Departamento de Proteção Especial da Secretaria de Assistência Social (SAS), Maria das Dores Barbosa, não é possível associar os catadores de papel com mendigos. "Os catadores são trabalhadores que não moram nas ruas e têm referência familiar. Eles apenas trabalham com lixo reciclável." Ainda de acordo com Maria das Dores, não há previsão para o início das obras.

    "O projeto arquitetônico já está pronto, mas não basta. Por meio de uma parceria com a UFJF, eles estão fazendo projetos complementares. Assim que ficar pronto, terá início a construção. Eles [UFJF] estão dando prioridade para fazer o mais rápido possível, mas ainda não há previsão", disse. Sobre a possibilidade de perder os R$ 200 mil liberados pela Fundação Banco do Brasil para a construção do Centro de Triagem, Maria das Dores afirmou que os esforços são no sentido de agilizar a obra "para que não exista risco disso ocorrer".

    A reportagem do Portal ACESSA.com tentou contato com a presidente da Ascajuf, Janaína Aparecida Silva, mas não obteve sucesso.

    Os textos são revisados por Mariana Benicá

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.