Moradores do bairro Eldorado estão preocupados com a obra parada do Teleférico do Jardim Botânico. Segundo eles, o tapume de madeira que fecha o local está sempre aberto e crianças costumam brincar no local, se arriscando entre vergalhões, montes de madeira e o prédio inacabado da estação.

FOTO: Arquivo pessoal - Obra parada de teleférico preocupa moradores do Eldorado

Uma moradora me enviou fotos da situação no terreno e contou que a estrutura de alvenaria tem sido usada por dependentes químicos e andarilhos. Há vestígios nos cômodos de que pessoas dormem lá.

Num deles, um cobertor estava jogado perto de um tapume de madeira, improvisado como cama. Tijolos foram empilhados e serviam para cercar o fogo numa espécie de fogão primitivo.

FOTO: Arquivo pessoal - Obra parada de teleférico preocupa moradores do Eldorado

Ela também se preocupa com o acesso fácil aos andares superiores, que não estão concluídos e não têm nenhuma proteção. O receio da comunidade é de que as crianças se distraiam brincando e caiam de altura considerável, vindo a se machucar com gravidade ou mesmo morrer.

Segundo a moradora, os pais orientam os filhos a não entrarem no terreno da obra, mas algumas crianças desrespeitam a recomendação e invadem o local em busca de aventuras. Como em qualquer obra, o prédio tem vergalhões expostos, laje sem proteção, tijolos e pedras por toda parte.

FOTO: Arquivo pessoal - Obra parada de teleférico preocupa moradores do Eldorado

Do lado de fora, as placas de metal que cercam o terreno continuam intactas em vários trechos. Há muitos restos de madeira acumulados e mato alto. A guarita do vigia foi desativada e demolida.

Projeto parado

Eu me lembro de quando foi anunciado que parte da Mata do Krambeck seria transformada em Jardim Botânico. O projeto era incrível e prometia trazer muitos turistas a Juiz de Fora. Além da área de preservação ambiental, estavam previstos um trenó de montanha e um teleférico. Foi feita a licitação e uma empresa foi contratada para as obras necessárias.

Em 2009, a Universidade Federal de Juiz de Fora assinou o protocolo de intenção de compra da área do Sítio Malícia, para a formação do Jardim Botânico. No ano seguinte, foi assinada a escritura de compra do terreno pela UFJF. A inauguração foi em abril de 2019. Na época, o reitor Marcus David, destacou as dificuldades financeiras que levaram à demora para conclusão do projeto.

Anunciada em 2012, a construção do Teleférico e do Trenó de Montanha continua parada até hoje. Ao analisar o projeto, segundo o reitor, o Conselho Técnico do Jardim Botânico não conseguiu inserir o projeto do trenó de montanha dentro de atividades pedagógicas. Temendo que a população e os turistas confunde o ambiente de preservação ambiental com um parque de lazer, a proposta foi suspensa, o que levou a empresa contratada a mover um processo contra a UFJF, pedindo indenização.

FOTO: Arquivo pessoal - Obra parada de teleférico preocupa moradores do Eldorado

Já o teleférico passou por várias análises técnicas para avaliar o uso pedagógico dele. Somado à falta crescente de recursos, a Universidade Federal de Juiz de Fora não retomou a construção do equipamento. Sobre as invasões do terreno, a assessoria de imprensa da UFJF enviou a seguinte nota:

“Inicialmente, a Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) agradece as indicações sobre as ações externas à Instituição que ocorrem na área do Teleférico, localizado no Alto do Eldorado. A UFJF já está ciente das informações e envia constantemente equipes para as manutenções, mas em decorrência desses casos, essas visitações serão ampliadas.
A Universidade está sempre recuperando os tapumes. Porém, de modo recorrente, pessoas sem ligação com a Universidade forçam a entrada, inclusive com rompimento do cadeado, o que causa essa indisposição com os moradores do bairro.”

Essa é uma daquelas situações em que todos podem colaborar. A UFJF reforçando a segurança e as vistorias, como se propôs, e a população denunciando ao ver pessoas forçando a entrada, quebrando o cadeado e furtando objetos da obra. Com esse trabalho conjunto, o risco de acidentes diminui. Os pais também podem ajudar, conversando e mostrando às crianças que o lugar é perigoso e que entrar sem permissão é errado e arriscado. Abaixo, o vídeo gravado pela moradora, mostrando a situação na obra parada.

Arquivo pessoal - Obra parada de teleférico preocupa moradores do Eldorado
Arquivo pessoal - Obra parada de teleférico preocupa moradores do Eldorado
Arte Capa - Teleférico abandonado

COMENTÁRIOS: