Quarta-feira, 28 de abril de 2010, atualizada às 15h

Apresentação de Tribal Fusion chama atenção no Festival de Dança 

Aline Furtado
Repórter
23/4/2010

Os juizforanos tiveram oportunidade de assistir, nesta quarta-feira, 28 de abril, à apresentação de Tribal Fusion, um estilo de dança que funde ritmos diversos, como o flamenco, além de outros mais modernos, como o break, por exemplo.

Segundo a dançarina Thatiana Lima, que pratica a dança há 15 anos, a modalidade, geralmente confundida com a dança do ventre, surgiu nos Estados Unidos na década de 70 e hoje vem sendo difundida em todo o Brasil. "Para Juiz de Fora, o Tribal Fusion ainda é novidade."

O estilo traz elementos, tais como gestos mais lentos, que a diferenciam da conhecida dança do ventre. "Alguns passos, inclusive, lembram movimentos de animais, como a cobra por exemplo." Além disso, as roupas usadas pelas bailarinas que praticam o Tribal Fusion são diferenciadas. "Na dança do ventre, as vestimentas revelam mais o corpo da dançarina. Neste caso, as roupas são mais fechadas, escondendo mais."

Tathiana destaca os benefícios trazidos a quem pratica a modalidade, como a perda de peso, além do aumento do controle psicomotor. "Percebemos uma melhoria grande com relação à coordenação." Segundo a dançarina, a procura pela dança do ventre e pelo Tribal Fusion ainda é pequena na cidade.

Apresentação Apresentação

A apresentação integrou o 2º Festival Nacional de Dança, realizado em Juiz de Fora até o dia 1º de maio. Para a próxima quinta-feira, dia 29, estão programadas duas apresentações gratuitas em frente ao Cine Theatro Central. A partir das 12h, alunas do Despertar Studio de Dança Vivian Mockdece apresentam Flash Dance e Chica Chica Bum. Às 20h, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM), o público vai assistir à apresentação 2 em 1 - Solos da Intime, da Intime Cia. do Rio de Janeiro.

Os interessados no espetáculo da noite devem efetuar a troca de um livro em bom estado de conservação ou um quilo de alimento não perecível, exceto sal e fubá, por um ingresso. A troca pode ser feita na sede da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa), na avenida Rio Branco, 2.234.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.