• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Morre, aos 81 anos, o fundador do Pró-Música, Hermínio de Sousa

    Ele estava internado no Hospital Albert Sabin para o tratamento de um câncer. Sepultamento será nesta quinta, no Parque da Saudade

    Nathália Carvalho
    *Colaboração
    16/5/2012
    herminio

    Morreu na manhã desta quarta-feira, 16 de maio, um dos fundadores do Centro Cultural Pró-Música, Hermínio de Sousa Santos, aos 81 anos. Ele estava internado no Hospital Albert Sabin para tratamento de um câncer. O corpo será velado nesta quarta-feira, a partir das 16h, na Capela 1 do Cemitério Parque da Saudade. O sepultamento será na quinta, 17, às 10h, no mesmo local. Hermínio de Sousa atuava como diretor e secretário-geral do Pró-Música ao lado da esposa, Maria Isabel de Sousa Santos, há 40 anos.

    O maestro da Orquestra de Jazz Pró-Música, Sylvio Gomes, também lamenta o falecimento. "É uma grande perda. Hermínio, juntamente com mulher e com o filho, trabalhava o tempo todo pela arte. A família quase não tinha vida pessoal, a dedicação era total e diária, durante esses 40 anos. Eles são realmente fantásticos." Gomes ressalta ainda o importante trabalho realizado pelo diretor para a consagração do Pró-Música como referência cultural do país. "Eles concretizaram o sonho de transformar a instituição em uma referência de arte nacional e internacional."

    Por email, o pró-reitor de Cultura da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), José Alberto Pinho Neves, comentou a morte de Santos. "Às vezes o destino nos prega peças inacreditáveis, como a perda dessa figura tão ilustre." Para exemplificar a dor, Neves utiliza uma metáfora do escritor Guimarães Rosa. "As pessoas não morrem, ficam encantadas. Senhor Hermínio, por quem tenho imensa admiração e respeito, depois de nos fascinar, com discreta e singular contribuição à cultura nacional, 'encantou-se'. Orgulho-me de ter conhecido e partilhado fazeres com esse grande homem, que um dia, junto com a sua esposa, Maria Isabel e seu filho, Julio César, escolheu a Universidade Federal de Juiz de Fora para dar sequência à sua preciosa obra que é o Centro Cultural Pró-Música."

    O reitor da UFJF, Henrique Duque, pronunciou-se por meio de nota sobre a morte do cofundador do Centro Cultural Pró-Música. "Hermínio foi um dos principais incentivadores da música e da cultura em nossa cidade. O Pró-Música criou um clima muito favorável para a criação do nosso curso de Música, no Instituto de Artes e Design (IAD), graças à formação de novos e reconhecidos artistas, proporcionada pela bela instituição que ele fundou. Com simplicidade, Hermínio doou sua competência, conhecimento e toda a sua vida ao Pró-Música, que tivemos grande satisfação e responsabilidade de incorporar à UFJF em 2011. Oferecemos nosso apoio à sua grande companheira, dona Isabel, e também aos filhos, na condução dessa importante instituição, reconhecida internacionalmente. Com sua perda, a cidade certamente fica mais triste e mais silenciosa", lamentou Duque.

    Trajetória

    Hermínio de Sousa Santos nasceu em 25 de abril de 1931. Com formação relacionada ao sistema bancário, foi funcionário concursado do Banco de Crédito Real de Minas Gerais e aposentou-se após 32 anos de trabalho. Em 1971, fundou, juntamente com sua esposa, Maria Isabel de Sousa Santos, o Centro Cultural Pró-Música de Juiz de Fora, entidade que desfruta de reconhecimento nacional e internacional pela promoção da cultura.

    Durante 40 anos, trabalhou ao lado de Maria Isabel, dos filhos e de apoiadores e colaboradores para construir e solidificar as bases sobre as quais se sustentam o trabalho do Pró-Música. Hoje, além de ser reconhecida como celeiro de bons músicos, Juiz de Fora está intimamente relacionada com o movimento da música antiga, através do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, outra realização da instituição. Participou ainda dos estudos que culminaram na incorporação do Pró-Música pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) em 2011.

    Sobre a incorporação escreveu: "Desejosos de que o Pró-Música possa continuar a existir, os diretores que subscrevem esta página histórica procuraram a UFJF, propondo que a instituição encampasse o trabalho até aqui realizado pelo centro cultural. Para isto, propôs a doação, sem nenhum ônus para a UFJF, de todo o patrimônio material — prédio do Teatro Pró-Música, os demais bens existentes e o legado de sua marca e realizações. Estamos, portanto, fechando o ciclo dos quarenta anos do trabalho da família Sousa Santos, conscientes do dever cumprido para com os nossos propósitos e com a certeza de que este trabalho e suas realizações continuarão."

    Hermínio dedicou-se, até março de 2012, ao centro cultural que ajudou a fundar, atuando como diretor e respondendo pela função de secretário-geral. Ele deixa esposa, cinco filhos e dez netos.

    *Nathália Carvalho é estudante do 8º período de Comunicação Social da UFJF

    Os textos são revisados por Mariana Benicá

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.