Sexta-feira, 30 de outubro de 2015, atualizada às 11h45

Orquestra Barroca do Amazonas abre programação do festival de música colonial no domingo

festival

A Orquestra Barroca do Amazonas (OBA) abre a programação do 26º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga neste domingo, 1º de novembro, no Cine-Theatro Central, a partir das 20h. A entrada é gratuita. O festival revive o clima das óperas do século XVIII, e logo na abertura, já apresenta o clássico do barroco com concertos de grandes compositores europeus e luso-brasileiros e árias.

A programação vai até o dia 8 de novembro com concertos, oficinas e palestras, que acontecem em diversos lugares da cidade, proporcionando oportunidade de aperfeiçoamento para músicos profissionais e estudantes e programação cultural de qualidade para a população.

O repertório de apresentação da OBA reúne um misto de dois projetos realizados pela Orquestra. O primeiro é o CD Dramma, gravado na Igreja Menino de Deus em Lisboa, Portugal. O álbum traz importantes obras da música colonial portuguesa, como a ária Dirás ao meu bem, da peça satírica Guerras do Alecrim e Manjerona, de Antonio Teixeira, o concerto de violino solo de José Palomino, o concerto de violoncelo de Antonio Policarpo e a ária Semplicetta tortorella, da ópera Demetrio, de David Perez.

O segundo projeto que compõe a apresentação da Orquestra Barroca do Amazonas é o Ópera Brasil Colonial. O repertório do projeto envolve composições executadas no país durante o Antigo Regime. Os trabalhos tratam de textos originais ou traduções portuguesas dos maiores compositores da época. Constam na lista de autores os nomes de Antonio Leal Moreira, José Maurício Nunes Garcia, Carlos Seixas, entre outros.

Orquestra Barroca do Amazonas

O repertório lírico luso-brasileiro do século XVIII é a especialidade da Orquestra Barroca do Amazonas (OBA), que utiliza cópias fiéis de instrumentos de época e "técnicas diferentes de canto" para a interpretação historicamente inspirada das obras, baseada em pesquisas das fontes musicais localizadas em acervos no Brasil e em Portugal. Essa é a primeira vez que o grupo, criado em 2009 por professores e alunos da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e regido pelo maestro Márcio Páscoa, se apresenta em Juiz de Fora.

A Orquestra Barroca do Amazonas é a única orquestra brasileira de instrumentos de época com atividades frequentes ao longo do ano. Com quatro CDs gravados, o grupo já percorreu diversas cidades do Brasil e do exterior privilegiando o repertório luso-brasileiro do século XVIII.
Desde sua criação, a Orquestra mantém intensa atividade, apresentando-se regularmente no Brasil e no exterior (Itália, Espanha e Portugal), seja em festivais, espaços históricos, bem como salas de concerto e teatros modernos.

Com informações do Centro Cultural Pró-Música

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.