Sexta-feira, 8 de abril de 2016, atualizada às 09h50

"Paulinho Gogó" fará show em Juiz de Fora no dia 30 de abril

O humorista Maurício Manfrini, criador do personagem "Paulinho Gogó", famoso contador de histórias do programa "A Praça É Nossa", do SBT, fará a apresentação do show "No gogó do Paulinho" em Juiz de Fora no próximo dia 30 de abril, no Cine Theatro Central. O espetáculo está marcado para às 21h e Os ingressos já estão à venda pelo valor único de R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia), podendo ser adquiridos pela internet e na bilheteria do teatro.

Maurício Manfirni estreou nos palcos em 1993, quando fez parte do elenco do espetáculo infantil "A Bruxinha que era boa", de Maria Clara Machado. A partir daí, Maurício Manfrini atuou em diversos espetáculos infantis sendo responsável, inclusive, pela composição das trilhas sonoras.

Em 1995, Manfrini iniciou a carreira de rádio-ator na Super Rádio Tupi do Rio de Janeiro participando do programa Patrulha da Cidade. E foi na Patrulha que o humorista criou seu personagem de maior sucesso, o Paulinho Gogó. O trabalho no rádio fez com que o ator fosse convidado para fazer dublagens para desenhos norte-americanos como "Os Simpsons" e para os seriados Chicago Hope e Arquivo X.

Em 1999 foi fazer o programa Na Boca Do Povo na Rede CNT apresentado por Wagner Montes e em 2001, Manfrini foi chamado pelo então redator da TV Globo, Eduardo Sidney (in memorian), para participar dos testes para o elenco da "Escolinha do professor Raimundo". Aprovado, Paulinho Gogó passou a ser presença certa na sala de aula de Chico Anysio. Com o fim do programa, Paulinho Gogó foi convidado para fazer parte do programa A Praça é Nossa, do SBT, onde está desde 2004.

Além dos trabalhos em rádio e televisão, Manfrini realiza também shows em eventos empresariais nas diversas regiões do país. Com um humor irônico e muitas vezes debochado, o espetáculo é garantia certa de boas gargalhadas.

O Paulinho Gogó é um contador de histórias. Com um jeito bastante peculiar de falar, cheio de gírias e troca de sílabas, o morador do bairro da "Venda Velha", vive de contar as virtudes e derrotas do seu dia a dia, que ele mesmo chama de "fatos venéreos". Como diz o personagem: "Quem não tem dinheiro conta história!"

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.