• Assinantes
  • Autenticação
  • Cultura

    Poemas retratam histórias dos discriminados pela sociedade em JF

    Após quatro anos de pesquisa, a obra reúne 37 poemas que contam histórias reais de pessoas que sofrem preconceitos

    Andréa Moreira
    Repórter
    7/11/2012
    Livro

    Revelar através de poemas os excluídos sociais, fazendo com que o leitor direcione seu olhar para as vítimas de discriminação em nossa sociedade, como o pobre, o negro, a mulher e o portador de deficiência física. Com este objetivo, o escritor juiz-forano Sandro Mendes, de 26 anos, apresenta no livro Subtraindo Sonhos, um lado ignorado por muitas pessoas. "Existem muitos livros que falam sobre homens e mulheres que são excluídos pela sociedade, mas nenhum de poesia baseado em fatos reais."

    Fatos estes que foram acompanhados de muito perto, como destaca Mendes. "Foram quatro anos de pesquisa, sendo que, durante um ano eu acompanhei de perto a história das pessoas que vivem todos os dias, como se não existissem," revela o escritor, afirmando que decidiu vivenciar esta experiência para sentir na pele o que os excluídos vivenciam diariamente. "Acompanhei vários mendigos nas ruas de Juiz de Fora. Ouvi suas histórias e passava horas e horas com eles. Certo dia, um amigo passou por mim na rua e fingiu que não me conhecia. Ali, eu pude sentir o que é ser um excluído social," conta o poeta, destacando que pretende, com sua obra, mudar, ou, pelo menos, fazer com que as pessoas reflitam sobre as suas atitudes. "O que mais me choca, é pensar que as pessoas da sociedade acham que a discriminação é normal, mas não é. Se as pessoas que lerem meus poemas, por um minuto, que seja, consigam parar para refletir sobre suas atitudes, isso já me deixará feliz."

    Ao todo, Mendes produziu 250 poemas, deste total, 37 foram selecionados para compor a obra. "Depois que coletei todas as informações, tive outro trabalho árduo, que foi passar para o papel. Então, percebi que os textos estavam muito fortes e impactantes. Neste momento tive que trabalhar a lírica e colocar beleza onde tinha asco," afirma.

    O autor revela que não só os poemas foram cuidadosamente selecionados, mas também o material que compõe a obra. "Escolhi um papel couché, querendo mostrar que tanto o papel quanto as pessoas sujam com o passar do tempo. A capa também é em papel couché, mas com um aspecto amassado."

    O livro Subtraindo Sonhos, será lançado nesta sexta-feira, 9 de novembro, às 19h30, no Colégio Nossa Senhora do Carmo, localizado na rua Dona Maria Helena Teixeira, 112. No dia do lançamento, os interessados poderão adquirir o livro a R$ 16. Após essa data, os exemplares estarão disponíveis em duas livrarias da cidade, uma localizada na avenida Barão do Rio Branco, 2161; e outra na rua Santa Rita, 545; ambas no Centro. A obra é patrocinada pela Lei Murilo Mendes de Incentivo à Cultura, e gerenciada pela Prefeitura de Juiz de Fora, por meio da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage (Funalfa).

    O autor

    Sandro Mendes é formado em Letras pelo Centro de Ensino Superior (CES), de Juiz de Fora, e especialista em Estudos Literários pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). É o autor do projeto “Poesia (En)cantada”, que leva poemas musicados para jovens de colégios públicos e privados da cidade.

    Mendes também possui experiência no universo teatral. Em  2008, adaptou e dirigiu as peças Zahmenhof: um linguista com alma de poeta e O romanceiro da Inconfidência. Além disso, o escritor coleciona prêmios. O primeiro, também no ano de 2008, quando com o poema Fio de Palha, Mendes venceu um concurso internacional, parceria entre a Unifama e uma universidade da Alemanha. O mais recente prêmio, o escritor conquistou em Juiz de Fora, em um concurso promovido pela Fundação Hemominas, no ano de 2011, com o poema Homem Pássaro.

    Autor de mais de 1.000 poemas, Mendes revela que o interesse pela literatura surgiu ainda na infância. "Escrevo desde os 10 anos de idade. No início eram só poesias românticas, coisas de adolescente. Mas quem me ensinou a olhar para a sociedade foi minha professora Helena, que lecionava História. Ela foi a responsável para que eu enxergasse os problemas da sociedade e, através da escrita, tentasse mostrá-los para as outras pessoas. "Atualmente, leciona português e literatura para o Ensino Fundamental do Colégio Nossa Senhora do Carmo.

    Os textos são revisados por Juliana França

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.