• Assinantes
  • Educação
    Fernanda Reis Fernanda Reis 22/05/2015

    Comportamentos que prejudicam sua aprovação

    Quando o assunto é preparação para concursos públicos, o que todo mundo quer saber é o que fazer para ser aprovado e, de preferência, o quanto antes. Poucos são aqueles que se perguntam: o que não devo fazer? Quais comportamentos devo evitar? Saiba que alguns equívocos, bastante comuns, podem tornar sua caminhada rumo à aprovação muito mais demorada e desgastante. É por isso que vou falar sobre alguns erros cometidos pelos concurseiros e que deveriam ser evitados a todo custo.

    Acredito que o primeiro deles seja a falta de metas. Escolha um concurso específico ou a área do concurso e mantenha o foco. Fazer concursos aleatoriamente só vai gerar frustração.

    Aguardar o edital para iniciar a preparação é um grande erro. A maioria dos certames não comportam um tempo adequado à preparação entre a data de divulgação do edital e a data de realização da prova. Tempo é um bem precioso quando se trata de concursos.

    Não possuir um plano de estudos também pode comprometer seu sucesso. O plano de estudos deve conter as disciplinas a serem estudadas, a forma de estudo e o tempo de dedicação a cada uma dessas disciplinas.
    Priorizar a quantidade de horas de estudo em detrimento da qualidade das horas de estudo é outro equívoco recorrente. Continuar estudando mesmo quando já não há concentração e rendimento não é a melhor opção. Faça uma pausa e depois retome o estudo. Pequenos intervalos devem fazer parte da sua rotina. Saiba que eles contribuem para a fixação do conteúdo.

    Não dar a devida atenção ao edital é outro erro bastante comum. É preciso conhecê-lo minuciosamente para então, definir seu plano de estudos. Além disso, é nele que você encontra informações, tais como: a escolaridade exigida, os materiais que podem ser utilizados no dia do exame, o peso de cada matéria, requisitos para a posse, dentre outros.

    Ignorar o estilo de avaliação da banca examinadora é uma grande falha. É preciso saber se a banca responsável pelo concurso cobra, por exemplo, jurisprudência ou a letra da lei, quais os assuntos recorrentes e, também qual o seu posicionamento com relação a determinados temas. Informações dessas natureza contribuem, em muito, para a aprovação.

    Abrir mão dos momentos de lazer também não é boa ideia, sob pena do período de estudos, que pode ser mais demorado, se tornar extremamente desgastante e até mesmo insuportável.

    Não se preparar emocionalmente é outro erro comum. A decisão de prestar um concurso público implica em uma sobrecarga emocional muito grande para o candidato, que sofre com as cobranças e pressão impostas por ele mesmo e por terceiros. A preparação emocional é um diferencial facilmente identificado nos candidatos aprovados. O emocional pode aprovar candidatos não tão bem preparados e reprovar outros que teriam tudo para ocuparem a primeira colocação.

    Caso esteja incorrendo em algum desses comportamentos você deve rever sua estratégia de estudos o quanto antes. Isso certamente tornará o seu período de estudos menos sofrido e mais eficaz.

    "Todos os seus sonhos podem se tornar realidade se você tiver coragem para persegui-los." Walt Disney


    Fernanda Reis
    Advogada
    Professora do Curso Veritas – Instituto Vianna Júnior
    Especialista em Direito Empresarial e Econômico
    Membro da Comissão de Direito do Consumidor da OAB/MG - Subseção Juiz de Fora
    Autora de diversos artigos jurídicos
    Saiba mais clicando aqui

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.