Quarta-feira, 18 de novembro de 2009, atualizada às 18h20

Servidores da UFJF paralisam atividades por 72 horas

Clecius Campos
Repórter

Os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) irão paralisar as atividades por 72 horas entre os dias 24 e 26 de novembro. A decisão foi definida em assembleia da categoria nesta quarta-feira, 18, no anfiteatro da Faculdade de Comunicação Social da UFJF.

A suspensão dos trabalhos vai atingir os dois restaurantes universitários (RU), a biblioteca e os serviços de transporte, que não funcionarão no período. Funcionários que trabalham nos laboratórios das diversas unidades da instituição no campus e descentralizadas também devem cruzar os braços. "A expectativa é de que 75% dos 1.200 funcionários deixem de trabalhar. O Hospital Universitário vai funcionar em regime de plantão. Todos os atendimentos já agendados serão cumpridos", informa o coordenador geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFJF (Sintufejuf), Paulo Dimas.

Os manifestantes reivindicam o cumprimento do acordo coletivo para o ano de 2010, celebrado na última greve em 2007, no que se refere à revisão dos cargos dentro do plano de carreira. "O governo demorou a cumprir o acordo em 2009 e tememos que a espera seja ainda maior em 2010, por ser um ano de eleição. A paralisação é também uma forma de chamar a atenção dos ministérios da Educação e do Planejamento para a retomada de negociações." Os sindicalistas teriam uma reunião com os órgãos no último dia 10 de novembro, transferida para o próximo dia 24. "Se nenhum encaminhamento for feito sobre o assunto, vamos programar greve por tempo indeterminado em 2010."

São pedidos ainda o reposicionamento dos aposentados e a concessão de incentivo à qualificação para todos os técnico-administrativos, independente da classe que ocupam no plano. A mobilização também é uma cobrança para a revisão de benefícios, como o vale-refeição.

A paralisação será acompanhada de debates nos três dias. Na terça-feira, 24, o tema será a aposentadoria no serviço público e as políticas sindicais relacionadas. Na quarta-feira, 25, o debate será sobre o plano de carreira dos técnico-administrativos em educação, com esclarecimentos sobre os pontos que devem ser aprimorados. Na quinta-feira, 26, a palestra é sobre políticas antirracismo e cotas nas universidades.

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.