Lucas Soares Lucas Soares 7/07/2014

A hora da superação

Desde sexta-feira, após eliminarmos a Colômbia na Copa do Mundo, tenho lido sobre teorias e esquemas de jogo que o Brasil tem que fazer para vencer a favorita Alemanha na próxima terça-feira, 8 de julho, e superar as ausências de Neymar e Thiago Silva.

Pra mim, o esquema tático ou a quem vai substituir, na verdade, pouco importa nesta partida. Nossos atletas vão precisar jogar com o coração na ponta da chuteira. Amanhã será preciso trazer a emoção para primeiro plano. Vai ser preciso tirar força de onde não tem, puxar aquele ar à mais para dar um pique mais veloz e ser mais efetivo. Vai ser preciso atuar com mais segurança, marcar mais e atacar mais. Sempre mais. Um único deslize e o sonho pode acabar.

O lado "bom" disso tudo é que, aparentemente, não há mais pressão por vencer a Copa. O sentimento de "já era" que boa parte dos torcedores tiraram da lesão do nosso camisa 10 é de que ficou impossível vencer o Mundial sem ele. Eu lhes digo que isso é mentira, e que podemos sim, vencer seja lá quem cruzar nosso caminho.

Lembro-me de uma palestra de Joel Santana, enquanto treinador do Flamengo, em 2007. O clube conseguiu sair da ante-penúltima colocação para a terceira, e na ocasião da fala, brigava para garantir uma vaga na Libertadores do ano seguinte. À época, Santana disse: "Nós fomos preparados para lutar. Esse time foi feito assim, e tem que ser assim! Nós somos assim! Para jogar aqui tem que ter suor e luta. É por causa disso que essa Nação está aí, porque ela confia e acredita em vocês. Estamos prontos para ir pra Libertadores e hoje vamos provar isso. Estamos prontos! Nós fizemos por onde! Eles não respiram, eles não jogam, eles não correm, eles não fazem porra nenhuma porque vocês não vão deixar! Sem muito papo, sem muita conversa, isso aqui é Flamengo e tem que honrar isso aqui. Vamos lá!" O resultado? Vitória rubro-negra por 2 a 0 e vaga garantida.

Esse, pra mim, é o sentimento que cada atleta deve ter no Mineirão amanhã. Não é um jogo qualquer, é uma semi-final de Copa do Mundo no nosso país, contra a seleção considerada pela imprensa a favorita! É a hora de cada um escrever o seu nome na história para sempre! De fazer essa história!

E aos torcedores que comparecerem ao Mineirão, deixem o comodismo de seus sofás de lado. Cantem como nunca, irritem os frios alemães até eles errarem tudo. Vaiem cada toque de bola adversário, aplaudam a cada bola tirada pelos zagueiros brasileiros. Não os deixem bater um lateral sequer em paz. Transformem o Gigante da Pampulha em um caldeirão. Joguem junto, nunca contra! A torcida pode ser o gás que esse time precisa para superar os dois piores desfalques que poderíamos ter. Faltam dois e, se tudo der certo amanhã e domingo, a coluna da semana que vem já tem título: "HEXA!"


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

Lucas Soares Lucas Soares 7/07/2014

A hora da superação

Desde sexta-feira, após eliminarmos a Colômbia na Copa do Mundo, tenho lido sobre teorias e esquemas de jogo que o Brasil tem que fazer para vencer a favorita Alemanha na próxima terça-feira, 8 de julho, e superar as ausências de Neymar e Thiago Silva.

Pra mim, o esquema tático ou a quem vai substituir, na verdade, pouco importa nesta partida. Nossos atletas vão precisar jogar com o coração na ponta da chuteira. Amanhã será preciso trazer a emoção para primeiro plano. Vai ser preciso tirar força de onde não tem, puxar aquele ar à mais para dar um pique mais veloz e ser mais efetivo. Vai ser preciso atuar com mais segurança, marcar mais e atacar mais. Sempre mais. Um único deslize e o sonho pode acabar.

O lado "bom" disso tudo é que, aparentemente, não há mais pressão por vencer a Copa. O sentimento de "já era" que boa parte dos torcedores tiraram da lesão do nosso camisa 10 é de que ficou impossível vencer o Mundial sem ele. Eu lhes digo que isso é mentira, e que podemos sim, vencer seja lá quem cruzar nosso caminho.

Lembro-me de uma palestra de Joel Santana, enquanto treinador do Flamengo, em 2007. O clube conseguiu sair da ante-penúltima colocação para a terceira, e na ocasião da fala, brigava para garantir uma vaga na Libertadores do ano seguinte. À época, Santana disse: "Nós fomos preparados para lutar. Esse time foi feito assim, e tem que ser assim! Nós somos assim! Para jogar aqui tem que ter suor e luta. É por causa disso que essa Nação está aí, porque ela confia e acredita em vocês. Estamos prontos para ir pra Libertadores e hoje vamos provar isso. Estamos prontos! Nós fizemos por onde! Eles não respiram, eles não jogam, eles não correm, eles não fazem porra nenhuma porque vocês não vão deixar! Sem muito papo, sem muita conversa, isso aqui é Flamengo e tem que honrar isso aqui. Vamos lá!" O resultado? Vitória rubro-negra por 2 a 0 e vaga garantida.

Esse, pra mim, é o sentimento que cada atleta deve ter no Mineirão amanhã. Não é um jogo qualquer, é uma semi-final de Copa do Mundo no nosso país, contra a seleção considerada pela imprensa a favorita! É a hora de cada um escrever o seu nome na história para sempre! De fazer essa história!

E aos torcedores que comparecerem ao Mineirão, deixem o comodismo de seus sofás de lado. Cantem como nunca, irritem os frios alemães até eles errarem tudo. Vaiem cada toque de bola adversário, aplaudam a cada bola tirada pelos zagueiros brasileiros. Não os deixem bater um lateral sequer em paz. Transformem o Gigante da Pampulha em um caldeirão. Joguem junto, nunca contra! A torcida pode ser o gás que esse time precisa para superar os dois piores desfalques que poderíamos ter. Faltam dois e, se tudo der certo amanhã e domingo, a coluna da semana que vem já tem título: "HEXA!"


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.

-
Lucas Soares Lucas Soares 7/07/2014

A hora da superação

Desde sexta-feira, após eliminarmos a Colômbia na Copa do Mundo, tenho lido sobre teorias e esquemas de jogo que o Brasil tem que fazer para vencer a favorita Alemanha na próxima terça-feira, 8 de julho, e superar as ausências de Neymar e Thiago Silva.

Pra mim, o esquema tático ou a quem vai substituir, na verdade, pouco importa nesta partida. Nossos atletas vão precisar jogar com o coração na ponta da chuteira. Amanhã será preciso trazer a emoção para primeiro plano. Vai ser preciso tirar força de onde não tem, puxar aquele ar à mais para dar um pique mais veloz e ser mais efetivo. Vai ser preciso atuar com mais segurança, marcar mais e atacar mais. Sempre mais. Um único deslize e o sonho pode acabar.

O lado "bom" disso tudo é que, aparentemente, não há mais pressão por vencer a Copa. O sentimento de "já era" que boa parte dos torcedores tiraram da lesão do nosso camisa 10 é de que ficou impossível vencer o Mundial sem ele. Eu lhes digo que isso é mentira, e que podemos sim, vencer seja lá quem cruzar nosso caminho.

Lembro-me de uma palestra de Joel Santana, enquanto treinador do Flamengo, em 2007. O clube conseguiu sair da ante-penúltima colocação para a terceira, e na ocasião da fala, brigava para garantir uma vaga na Libertadores do ano seguinte. À época, Santana disse: "Nós fomos preparados para lutar. Esse time foi feito assim, e tem que ser assim! Nós somos assim! Para jogar aqui tem que ter suor e luta. É por causa disso que essa Nação está aí, porque ela confia e acredita em vocês. Estamos prontos para ir pra Libertadores e hoje vamos provar isso. Estamos prontos! Nós fizemos por onde! Eles não respiram, eles não jogam, eles não correm, eles não fazem porra nenhuma porque vocês não vão deixar! Sem muito papo, sem muita conversa, isso aqui é Flamengo e tem que honrar isso aqui. Vamos lá!" O resultado? Vitória rubro-negra por 2 a 0 e vaga garantida.

Esse, pra mim, é o sentimento que cada atleta deve ter no Mineirão amanhã. Não é um jogo qualquer, é uma semi-final de Copa do Mundo no nosso país, contra a seleção considerada pela imprensa a favorita! É a hora de cada um escrever o seu nome na história para sempre! De fazer essa história!

E aos torcedores que comparecerem ao Mineirão, deixem o comodismo de seus sofás de lado. Cantem como nunca, irritem os frios alemães até eles errarem tudo. Vaiem cada toque de bola adversário, aplaudam a cada bola tirada pelos zagueiros brasileiros. Não os deixem bater um lateral sequer em paz. Transformem o Gigante da Pampulha em um caldeirão. Joguem junto, nunca contra! A torcida pode ser o gás que esse time precisa para superar os dois piores desfalques que poderíamos ter. Faltam dois e, se tudo der certo amanhã e domingo, a coluna da semana que vem já tem título: "HEXA!"


Lucas Soares é natural de Juiz de Fora, é jornalista formado pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora em dezembro de 2012 e apaixonado por futebol. Atualmente, é aluno de pós-graduação em Jornalismo Multiplataforma na Universidade Federal de Juiz de Fora, Repórter no portal Acessa.com e Editor-chefe do blog Flamengo em Foco. Já atuou em veículos impressos da cidade e como assessor de imprensa na PJF e na Câmara Municipal.