Matheus Brum Matheus Brum 1/04/2016

Em último treino, Drubscky simula condições de jogo que irá encontrar em Três Corações

Trabalhando bolas longas e jogadas aéreas, treinador prepara a equipe para o gramado ruim no Elias Arbex

No último treinamento realizado em Juiz de Fora, no Colégio Metodista Granbery, antes da partida deste sábado contra o Tricordiano, no Estádio Elias Arbex, o técnico do Tupi, Ricardo Drubscky, simulou as condições que irá enfrentar em Três Corações: um gramado menor e bem irregular. Segundo o treinador, "será um jogo pegado, com dificuldade de iluminação e gramado e que vale tudo. Mas, temos que colocar aquilo que treinamos, como marcação, organização e compactação".

Durante mais de uma hora, os atletas ficaram divididos em dois times, com doze jogadores de linha, treinando principalmente bolas longas, uma saída para o campo irregular. Questionado sobre isso, o capitão e lateral-direito Osmar, afirmou que preferia que o gramado fosse bom, mas que os jogadores têm que estar preparado para jogar em qualquer lugar. "A gente tem uma equipe que trabalha muito bem a bola, que toca muito bem, que procura propor o jogo, mas temos que dançar de acordo com a música. Se o campo é ruim, temos que jogar de acordo com que nos é oferecido. Se tiver que ser na bola aérea, se tiver que ir na raça, vamos fazer dessa maneira. Nós treinamos para isso".

Para a partida desse final de semana, duas mudanças serão feitas. Recife entra no lugar do suspenso Rafael Jataí e Rubens fica com a vaga de Vinícius Kiss. A equipe que vai a campo será formada por Glaysson, Osmar, Sidimar, Fabrício Soares e Thiaguinho; Felipe Alves, Recife, Kozlowski, Hiroshi e Michel Henrique; Rubens. Para o capitão Osmar, a mudança de Kiss não será sentida por ele, que há um ano faz essa parceria com o "ex-dono" da camisa 7 pela direita. "O Kiss vinha fazendo um bom trabalho, tínhamos um entrosamento ali [na direita], mas o Michel tem jogado alguns jogos, e durante essa semana a gente procurou conversar bastante para tentar acertar as jogadas, principalmente quando estivermos sem a bola, para estar acompanhando o adversário."

Com a situação ruim no Mineiro, com apenas nove pontos, e estando na zona do rebaixamento, a equipe está sendo muito criticada pelos torcedores. Segundo Drubsky, o trabalho psicológico tem sido feito. "A gente trabalha bastante psicologicamente, para que a equipe seja bem positiva. Mas, a maior motivação vem do próprio indivíduo. Não adianta termos o melhor psicólogo do mundo se não tivermos atletas com vontade de vencer e de buscar seu espaço".

Osmar foi bem sincero ao falar sobre a situação da equipe. Segundo ele, os jogadores sabem que não foram competentes ao longo do campeonato, e por isso, chegam a essa reta final precisando de resultados positivos. Mas, acredita que a equipe fará um boa exibição nesse sábado. "Todo mundo está consciente da situação, do que é preciso fazer. Então, eu creio que esse jogo será totalmente diferente. Vamos conseguir jogar um grande futebol e conseguir o resultado que precisamos".

Resta duas partidas para o Tupi fugir do rebaixamento. Depois dessa contra o Tricordiano, a equipe encerra a participação no Estadual contra Caldense, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Já foi estagiário na Rádio CBN Juiz de Fora. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras"; colaborador da Web Rádio Nac, apresentando uma coluna de opinião diariamente; editor e apresentador do programa Mosaico, que vai ao ar semanalmente na TVE, canal 12, e é membro da Acesso Comunicação Júnior, Empresa Júnior da Faculdade de Comunicação da UFJF, trabalhando no Departamento de Projetos e no núcleo de Jornalismo.

Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

-
Matheus Brum Matheus Brum 1/04/2016

Em último treino, Drubscky simula condições de jogo que irá encontrar em Três Corações

Trabalhando bolas longas e jogadas aéreas, treinador prepara a equipe para o gramado ruim no Elias Arbex

No último treinamento realizado em Juiz de Fora, no Colégio Metodista Granbery, antes da partida deste sábado contra o Tricordiano, no Estádio Elias Arbex, o técnico do Tupi, Ricardo Drubscky, simulou as condições que irá enfrentar em Três Corações: um gramado menor e bem irregular. Segundo o treinador, "será um jogo pegado, com dificuldade de iluminação e gramado e que vale tudo. Mas, temos que colocar aquilo que treinamos, como marcação, organização e compactação".

Durante mais de uma hora, os atletas ficaram divididos em dois times, com doze jogadores de linha, treinando principalmente bolas longas, uma saída para o campo irregular. Questionado sobre isso, o capitão e lateral-direito Osmar, afirmou que preferia que o gramado fosse bom, mas que os jogadores têm que estar preparado para jogar em qualquer lugar. "A gente tem uma equipe que trabalha muito bem a bola, que toca muito bem, que procura propor o jogo, mas temos que dançar de acordo com a música. Se o campo é ruim, temos que jogar de acordo com que nos é oferecido. Se tiver que ser na bola aérea, se tiver que ir na raça, vamos fazer dessa maneira. Nós treinamos para isso".

Para a partida desse final de semana, duas mudanças serão feitas. Recife entra no lugar do suspenso Rafael Jataí e Rubens fica com a vaga de Vinícius Kiss. A equipe que vai a campo será formada por Glaysson, Osmar, Sidimar, Fabrício Soares e Thiaguinho; Felipe Alves, Recife, Kozlowski, Hiroshi e Michel Henrique; Rubens. Para o capitão Osmar, a mudança de Kiss não será sentida por ele, que há um ano faz essa parceria com o "ex-dono" da camisa 7 pela direita. "O Kiss vinha fazendo um bom trabalho, tínhamos um entrosamento ali [na direita], mas o Michel tem jogado alguns jogos, e durante essa semana a gente procurou conversar bastante para tentar acertar as jogadas, principalmente quando estivermos sem a bola, para estar acompanhando o adversário."

Com a situação ruim no Mineiro, com apenas nove pontos, e estando na zona do rebaixamento, a equipe está sendo muito criticada pelos torcedores. Segundo Drubsky, o trabalho psicológico tem sido feito. "A gente trabalha bastante psicologicamente, para que a equipe seja bem positiva. Mas, a maior motivação vem do próprio indivíduo. Não adianta termos o melhor psicólogo do mundo se não tivermos atletas com vontade de vencer e de buscar seu espaço".

Osmar foi bem sincero ao falar sobre a situação da equipe. Segundo ele, os jogadores sabem que não foram competentes ao longo do campeonato, e por isso, chegam a essa reta final precisando de resultados positivos. Mas, acredita que a equipe fará um boa exibição nesse sábado. "Todo mundo está consciente da situação, do que é preciso fazer. Então, eu creio que esse jogo será totalmente diferente. Vamos conseguir jogar um grande futebol e conseguir o resultado que precisamos".

Resta duas partidas para o Tupi fugir do rebaixamento. Depois dessa contra o Tricordiano, a equipe encerra a participação no Estadual contra Caldense, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Já foi estagiário na Rádio CBN Juiz de Fora. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras"; colaborador da Web Rádio Nac, apresentando uma coluna de opinião diariamente; editor e apresentador do programa Mosaico, que vai ao ar semanalmente na TVE, canal 12, e é membro da Acesso Comunicação Júnior, Empresa Júnior da Faculdade de Comunicação da UFJF, trabalhando no Departamento de Projetos e no núcleo de Jornalismo.

Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com

Matheus Brum Matheus Brum 1/04/2016

Em último treino, Drubscky simula condições de jogo que irá encontrar em Três Corações

Trabalhando bolas longas e jogadas aéreas, treinador prepara a equipe para o gramado ruim no Elias Arbex

No último treinamento realizado em Juiz de Fora, no Colégio Metodista Granbery, antes da partida deste sábado contra o Tricordiano, no Estádio Elias Arbex, o técnico do Tupi, Ricardo Drubscky, simulou as condições que irá enfrentar em Três Corações: um gramado menor e bem irregular. Segundo o treinador, "será um jogo pegado, com dificuldade de iluminação e gramado e que vale tudo. Mas, temos que colocar aquilo que treinamos, como marcação, organização e compactação".

Durante mais de uma hora, os atletas ficaram divididos em dois times, com doze jogadores de linha, treinando principalmente bolas longas, uma saída para o campo irregular. Questionado sobre isso, o capitão e lateral-direito Osmar, afirmou que preferia que o gramado fosse bom, mas que os jogadores têm que estar preparado para jogar em qualquer lugar. "A gente tem uma equipe que trabalha muito bem a bola, que toca muito bem, que procura propor o jogo, mas temos que dançar de acordo com a música. Se o campo é ruim, temos que jogar de acordo com que nos é oferecido. Se tiver que ser na bola aérea, se tiver que ir na raça, vamos fazer dessa maneira. Nós treinamos para isso".

Para a partida desse final de semana, duas mudanças serão feitas. Recife entra no lugar do suspenso Rafael Jataí e Rubens fica com a vaga de Vinícius Kiss. A equipe que vai a campo será formada por Glaysson, Osmar, Sidimar, Fabrício Soares e Thiaguinho; Felipe Alves, Recife, Kozlowski, Hiroshi e Michel Henrique; Rubens. Para o capitão Osmar, a mudança de Kiss não será sentida por ele, que há um ano faz essa parceria com o "ex-dono" da camisa 7 pela direita. "O Kiss vinha fazendo um bom trabalho, tínhamos um entrosamento ali [na direita], mas o Michel tem jogado alguns jogos, e durante essa semana a gente procurou conversar bastante para tentar acertar as jogadas, principalmente quando estivermos sem a bola, para estar acompanhando o adversário."

Com a situação ruim no Mineiro, com apenas nove pontos, e estando na zona do rebaixamento, a equipe está sendo muito criticada pelos torcedores. Segundo Drubsky, o trabalho psicológico tem sido feito. "A gente trabalha bastante psicologicamente, para que a equipe seja bem positiva. Mas, a maior motivação vem do próprio indivíduo. Não adianta termos o melhor psicólogo do mundo se não tivermos atletas com vontade de vencer e de buscar seu espaço".

Osmar foi bem sincero ao falar sobre a situação da equipe. Segundo ele, os jogadores sabem que não foram competentes ao longo do campeonato, e por isso, chegam a essa reta final precisando de resultados positivos. Mas, acredita que a equipe fará um boa exibição nesse sábado. "Todo mundo está consciente da situação, do que é preciso fazer. Então, eu creio que esse jogo será totalmente diferente. Vamos conseguir jogar um grande futebol e conseguir o resultado que precisamos".

Resta duas partidas para o Tupi fugir do rebaixamento. Depois dessa contra o Tricordiano, a equipe encerra a participação no Estadual contra Caldense, no Estádio Municipal Radialista Mário Helênio.


Matheus Brum nascido e criado em Juiz de Fora, jornalista em formação pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e desde criança, apaixonado pelo Flamengo e por esportes. Já foi estagiário na Rádio CBN Juiz de Fora. Atualmente é escritor do blog "Entre Ternos e Chuteiras"; colaborador da Web Rádio Nac, apresentando uma coluna de opinião diariamente; editor e apresentador do programa Mosaico, que vai ao ar semanalmente na TVE, canal 12, e é membro da Acesso Comunicação Júnior, Empresa Júnior da Faculdade de Comunicação da UFJF, trabalhando no Departamento de Projetos e no núcleo de Jornalismo.

Os autores dos artigos assumem inteira responsabilidade pelo conteúdo dos textos de sua autoria. A opinião dos autores não necessariamente expressa a linha editorial e a visão do Portal ACESSA.com