Férias é tempo de...ficar em casa 

Nem sempre é possível programar grandes passeios, mas é possível manter a criançada em casa sem reclamar. E o melhor: com muita diversão

Marinella Souza
Repórter
11/7/2009

Depois de muito estudo chegou a época mais esperada do ano. Férias! Mas o que fazer nesse período se o papai e a mamãe ainda estão trabalhando e não podem programar uma viagem ou um passeio muito bacana?

A resposta é simples: ficar em casa e curtir muito esse período. Como? O portal ACESSA.com dá algumas dicas, com a ajuda da pedagoga Aline Dato Mendes.

Aline conta que algumas brincadeiras folclóricas e muito divertidas acabaram sendo esquecidas pelo tempo, que trouxe novidades tecnológicas muito legais, mas sem as inúmeras possibilidades que a nossa imaginação é capaz de criar.

"O brincar foi sofisticado pelo eletrônico, mas, na verdade, o que a criança imagina é muito singelo. A imaginação precisa de elementos muito simples para criar um universo rico de fantasia e diversão", diz.

A moça recomenda que os pequenos usem e abusem do aconchego com os primos de outras idades para explorar brincadeiras diferentes, ensinar e aprender outras formas de diversão para garantir que as férias de inverno são caiam na mesmice.

"Agora é a oportunidade que a criança tem de conviver com a família, com os primos e irmãos mais velhos ou mais novos. É o momento da troca. As brincadeiras ganham a riqueza da diversidade, da variedade de alternativas", comenta.

Para Aline, o simples é o suporte para o crescimento da brincadeira em si. Usar objetos simples, tais como tecidos variados, pedrinhas, sacos plásticos, barbantes, roupas e sapatos dos adultos, é uma porta aberta para deixar a imaginação fluir e ocupar o tempo da garotada de uma maneira saudável e segura.

Atenção, papais!

Aline explica que toda criança quer vivenciar a sua própria vida na brincadeira e quando recebe um brinquedo muito específico acaba ficando limitada, porque eles direcionam o brincar. "Esse tipo de brinquedo tem o seu espaço no desenvolvimento de cada criança. Um pré-adolescente se interessar por jogos de computador e vídeo game é normal, mas uma criança pequena gosta mesmo é de fantasiar."

Foto de brincadeira de barbanteUm outro alerta que a especialista faz é em relação aos desenhos animados. Segundo ela, eles acompanham a época. Como hoje é tudo muito acelerado, os desenhos seguem o mesmo ritmo. "É tanta informação de uma vez só que fica quase indigesto para a criança", afirma.

Além disso, ao ficar sentada diante da TV por horas e horas, a criança perde a sua característica principal, que é a do movimento. "Criança é puro movimento, é pegar, tocar, cheirar, sentir. Se ela fica muito tempo exposta a determinada atividade que polariza determinado sentido, é preocupante. É preciso equilibrar movimento e concentração", ensina.

Para Aline, a criança de hoje está muito sedenta de curiosidade porque o mundo oferece muitas respostas, perdendo o mistério da descoberta. Os brinquedos "de antigamente" surgem como uma maneira de trabalhar esse lado lúdico da criança que tem sido deixado para trás.

Foto de balão feito com sacola plástica, barbante e pedrinha encapadaAlém de ser bom para as crianças, a moça garante que brincar com os pequenos faz um bem enorme para o adulto, tão absorvido pela dura rotina da vida de "gente grande". "Essas brincadeiras resgatam a infância dos mais velhos, e cada adulto deve aproveitar a oportunidade de estar com as crianças para se reportar a o universo mais lúdico e simples, que acaba sendo esquecido no dia-a-dia.

Aline ressalta a importância de manter os limites no período de férias. Segundo ela, é preciso que as regras sejam claras no decorrer do dia para evitar que a criança questione métodos e horários. "Mesmo saindo um pouco da rotina, o ritmo deve permanecer, assim flui naturalmente. Mas isso é construído ao longo de toda a vida da criança."

Brincadeiras Infantis

Abaixo, preparamos um box com dicas de brincadeiras específicas para cada faixa etária. Se você não conhece alguma dessas brincadeiras, pergunte aos seus pais, tios e avós, que com certeza eles poderão lhe ensinar a cair nessa farra!

Para crianças de zero a três anos: a descoberta do mundoFoto de bebê engatinhando
  • Imitação (bichos etc.)
  • Rolar, arrastar, engatinhar
  • Bolas de meia (pesos, texturas e tamanhos variados)
  • Toquinhos
  • Brincadeiras de colo (serra serra serrador, cadeirinha de fubá)

 

Para crianças de quatro a seis anos: poucos elementos, muita imaginação
Foto de catavento feito com uma pedra encapada e fitas coloridas
  • Cantigas de roda
  • Panos de tamanhos variados (capas, vestidos)
  • Cabanas
  • Bolinhas de sabão
  • Roupas, sapatos, acessórios
  • Corda
  • Paraquedas de sacola
  • Catavento
  • Figuras de barbante
  • Luz e sombras
  • Casinhas, naves, castelos
  • Trava língua

 

Para crianças acima de sete anos: regras e estratégias
  • Corre cotiaFoto de balão de barbante
  • Chicotinho queimado
  • Bola de gude
  • Amarelinha
  • Cinco Marias (pedras)
  • Pular elástico
  • Passar anel
  • Cabra cega
  • Figuras com barbante (cama de gato)
  • Parlendas (cadê o toucinho que estava aqui?)

 

 

Os textos são revisados por Madalena Fernandes

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.