• Assinantes
  • Autenticação
  • Tecnologia

    ADSL
    Entenda como funciona e tire suas dúvidas sobre o serviço adsl, mais conhecido pelo nome de Velox

    Ricardo Corrêa
    Repórter
    *Colaboração

    Poucas pessoas já devem ter ouvido falar em ADSL e, muitas, até utilizam a tecnologia sem saber o que ela significa. É assim com os usuários de Velox, nome comercial que a Telemar deu para o serviço de ADSL, sigla para Assymmetric Digital Subscriber Line, ou "Linha Digital Assimétrica para Assinante". E se é difícil explicar o que significa a sigla que dá nome ao produto, imagine só o quanto pode ser confuso entender como funciona e como resolver os problemas relacionados a essa tecnologia de internet por banda larga, que é uma das mais utilizadas hoje em dia.

    Em primeiro lugar é preciso entender que o Velox é o serviço de ADSL da Telemar, operadora de telefonia. E é gerido pela Telemar pois é sua rede telefônica que é utilizada para a transmissão dos dados.

    Acesso ADSL
    (clique nos links abaixo)
  • Como funciona o serviço?
  • Com se dá o acesso ADSL
  • A questão da área de cobertura
  • Os preços cobrados pelo serviço
  • Vantagens e desvantagens do Velox
  • Quando ocorre o problema
  • Assim como na internet discada, são os cabos telefônicos, esses comuns, de cobre, que conduzem os dados de um local para outro. A grande diferença, no entanto, é que no serviço de ADSL o tráfego de dados é feito separadamente do serviço de voz. Com isso, a linha telefônica fica desocupada durante a navegação.

    Hoje a Telemar oferece serviços Velox nas velocidades 300k, 600k e 1 mega e 2 mega. Todos os serviços possuem velocidade bem acima dos 56k, o máximo que um modem comum consegue alcançar na conexão discada. Mas quanto mais velocidade, mais caro custa assinar. Quem quiser adquirir o sistema ADSL em Juiz de Fora, conhecendo os preços de cada modalidade, deve entrar no site do Velox. Lá poderá preencher o formulário de cadastramento ou ligar para a central de atendimento da operadora pelo telefone 0800 310001.

    Como funciona
    Para fazer ser possível enviar dados em alta velocidade utilizando uma linha telefônica comum, a operadora de telefonia instala um equipamento chamado DSLAN próximo a uma central telefônica. É este aparelho que é responsável por aproveitar freqüências mais altas que normalmente não são utilizadas na linha. Para conversas com voz, usa-se, normalmente, freqüências que variam de 300 Hz e 4000 Hz. A função da tecnologia ADSL é utilizar as freqüências acima dessa faixa para que o usuário possa trocar dados em alta velocidade. Podem ser usadas duas freqüências ao mesmo tempo e por isso o Velox permite que o usuário entre na internet e utilize o telefone.

    O "A" da sigla ADSL significa "Assimetric", ou assimétrico. A explicação é simples: os dados, separados da voz, são transmitidos em duas bandas separadas. Uma para download e a outra para upload. Como normalmente os usuários recebem mais dados do que enviam, a banda de download é maior, com o dobro de tamanho, por isso se diz que não existe simetria. No caso do Velox 300k, por exemplo, pode-se baixar arquivos a uma velocidade de 300kbps e enviar a uma velocidade máxima de 150kbps.

    Na casa do usuário, além da linha telefônica, é necessário que o computador possua algumas características para que possa ser conectado a um modem ADSL (que pode ser alugado ou comprado com a própria operadora). Para ter o acesso, os requisitos mínimos são o sistema operacional Windows, um processador Pentium 133 Mhz ou superior, memória ram mínima de 32 Mb, um espaço de 30mb no HD e uma placa de rede 10/100 Base-T, que é onde será conectado o modem.

    O acesso
    Conforme pode ser visto nos diagramas abaixo, em uma conexão ADSL, todo o acesso se dá por uma rede que liga o usuário à Telemar e a Telemar à internet. Ou seja, a rede utilizada é da Telemar. Mas mesmo assim é necessário ter um provedor de acesso, que pode ser escolhido de uma lista. São provedores de outros serviços e que também disponibilizam o Velox. Mas a função dos provedores neste caso não é a de prover o acesso e sim de prestar serviços de valor adicionado, como os serviços de hospedagem, envio e recebimento de emails. A participação do provedor no acesso está apenas na validação da senha, ou seja, na autenticação. É isso que explica o fato de que os problemas de acesso devem sempre ser resolvidos pela Telemar e não pelo provedor. Para entender como se dá o acesso, veja o diagrama abaixo.

    ACESSO DISCADO


    ACESSO VIA ADSL

    A participação do provedor é melhor explicada pelo gerente de suporte da ACESSA.com, Henrique Castañon.

    "Até chegar naquela primeira página, que é a página do Veloxzone, o usuário está na Telemar. Ali ele precisa escolher o provedor e informar seu usuário e senha. A Telemar envia esses dados para que o provedor os valide e libere o acesso. Após essa liberação o acesso é feito na rede da Telemar. A função do provedor é somente validar usuário e senha".

    Área de cobertura
    Se o ADSL utiliza as linhas telefônicas comuns, então está disponível em qualquer residência que possui telefone fixo, certo? Errado. A necessidade de um DSLAN, que vai trabalhar com as freqüências mais altas impede algumas regiões de possuir o serviço. Isso porque em distâncias maiores do que três quilômetros do equipamento, a transmissão não funciona muito bem.

    Para superar isso, a Telemar instala, em vários pontos da cidade, bastidores, que possuem DSLANs reduzindo as distâncias e permitindo acesso ao serviço de Velox, mas ainda assim existem localidades que não possuem o serviço. "É uma questão de distância e engenharia. É por isso que em Benfica temos Velox e no Cascatinha não tem. A rede pode estar próxima de outra, mas ser independente", explica o diretor da ACESSA.com Marcio Guimarães de Faria.

    Preços
    Assinar um serviço ADSL não é tão barato quanto se imagina. Por isso é bom avaliar bem, antes de escolher esse ao invés de outros serviços de banda larga, como o cabo ou a internet via rádio. Isso porque existe uma sobretaxa. O usuário paga à Telemar e paga ao provedor, mas boa parte desse dinheiro volta exatamente para a Telemar, por causa de uma cláusula no contrato de prestação de serviço.

    Essa é uma grande reclamação dos provedores e impacta diretamente no bolso do usuário. No serviço mais simples com velocidade de 300k, por exemplo, o usuário vai pagar um valor de R$ 62,90 para a Telemar. Além disso, terá que assinar um provedor e aí os valores são variáveis. Mas como uma cláusula do contrato da Telemar com os provedores obriga que, por cada usuário, o provedor pague cerca de R$ 24, os valores não podem ser muito baixos. A maioria dos provedores cobra R$ 29,90, repassando praticamente tudo para a operadora de telefonia. Promoções esporádicas até acontecem mas isso só é possível se a Telemar oferecer alguma vantagem para um deles, o que não é assumido por configurar concorrência desleal. (Leia a matéria para entender melhor)

    Dependendo de alguma promoção ou forma de aquisição do serviço ADSL, o usuário pode até ganhar o modem gratuitamente. Mas o normal é que ele tenha que comprá-lo ou pagar um aluguel, que no caso da Telemar custa cerca de R$ 20.

    Principais vantagens do ADSL

  • Alta velocidade de acesso;
  • Conexão permanente sem pagar pulsos;
  • Mensalidade fixa;
  • Linha telefônica desocupada mesmo durante o uso da internet.

    Principais desvantagens do ADSL

  • Necessidade de adquirir ou alugar um modem ADSL;
  • Restrições na área de cobertura;
  • Problemas na linha, como ruídos, linhas antigas ou fios descascados podem comprometer o fornecimento;
  • Responsabilidade total do link nas mãos da operadora de telefonia, que possui atendimento mais burocrático e inacessível do que o de um provedor.

    Problema na fatura

    O oficial de apoio judicial, Diego Lima (foto ao lado), optou pelo sistema ADSL pela velocidade da conexão e pelo custo, que considera baixo.

    "Eu estava precisando fazer trabalhos da faculdade e consultas em geral e não tinha tempo para buscar as fontes de informações, ir a bibliotecas. Recorri, então, à Internet", diz.

    Ele já conhecia a forma de acesso por meio de amigos. Antes, chegou a utilizar o sistema via cabo e o discado. "O ADSL não tem tanta manutenção de cabeamento em relação aos outros acessos", comenta.

    Seu acesso banda larga seria perfeito, se não fosse um problema de cobrança indevida na fatura. "Parece que não existe uma interação entre o meu provedor e a operadora de telefonia", reclama.

    Há quatro meses, suas faturas vêm cobrando o aluguel do modem, sendo que, pelo contrato, o serviço seria gratuito. Segundo ele, é insistente na reclamação, mas a correção do problema não atendeu plenamente suas expectativas.

    "Eles falam que já resolveram a situação, mas o erro persiste. Fica uma empresa jogando a culpa na outra e quem leva a pior sou eu", lamenta.

    Outro questionamento é em relação ao local onde deve fazer as reclamações. Diego diz que não são claros os direitos dos usuários.

    "A gente não sabe onde e com quem questionar quando acontece esse tipo de problema", comenta.

    Mal acostumado

    Já o estudante de comunicação social, Léo Paiva (foto ao lado), teve mais sorte. Quando resolveu instalar o sistema ADSL foi por necessidade de possuir um acesso ilimitado, sem a diferença de horários para navegar com valores menores. "Eu e minha prima estávamos fazendo monografia na faculdade e ela precisava de pesquisar nos sites, contudo não conseguia ficar acordada até a madrugada para acessar com a tarifa reduzida na forma discada", explica.

    A nova forma de acesso melhorou a sua rotina de estudos. "Comecei a estudar mais e no período da tarde", admite. Mas Léo não acha o sistema vantajoso para quem não precisa navegar durante muitas horas por dia. "Nesses casos é um desperdício, pois acho o preço elevado", diz. Outra novidade foi a facilidade que teve, com uma conexão mais veloz, para fazer downloads de arquivos de música e vídeos.

    "Acabei ficando mal acostumado. É muito instantâneo: você baixa um álbum inteiro de música num espaço muito curto de tempo", comenta. Além disso, ele garante que a conexão é boa e que é difícil apresentar um problema de queda do serviço. E quando o problema surge? "Ligo para o suporte da operadora de telefonia e ela resolve na hora, por telefone mesmo", relata.

    Isso aumentou seu tempo em frente ao computador. "Agora, sou um frequentador mais assíduo da internet, mas também estou com um acesso mais banalizado em conteúdo", conta. Segundo ele, antes gastava seu tempo mais com livros e filmes. "Quando não possuía banda larga, a internet era um hobby útil. Hoje, deixo de fazer outras coisas importantes. Não é algo sadio", desabafa.

    E quando ocorre problema?
    Quando ocorre um problema com a conexão, a primeira coisa que o usuário costuma fazer é ligar para o provedor. Mas no caso do serviço ADSL não pode ser assim. Isso porque em todos os casos de problema de acesso a responsabilidade é da Telemar. Exatamente pela pequena participação do provedor, explicada por Henrique Castañon. Apenas no caso dos serviços adicionados, como o email, o provedor pode resolver.

    "Se ele não consegue enviar um email, mas sua conexão funciona normalmente ele deve ligar para o provedor. Mas se não consegue entrar em nenhuma página a responsabilidade é da Telemar. Se o usuário coloca a senha dele lá na hora de conectar e não funciona ele pode ligar para o provedor que temos como resolver. Mas se é um problema de acesso lento, se não está conseguindo entrar em páginas, se o Internet Explorer está travando, a conexão está caindo, é tudo com a Telemar", explica Henrique.

    E, Marcio completa: "Problemas de acesso, quedas e não navegabilidade devem ser resolvidas com o suporte da Telemar. Só que serviço de lá não tem as características que o usuário está acostumado. É um call center, mais burocrático. As pessoas que recebem as ligações são atendentes e não pessoas preparadas para resolver o problema. Então ele liga primeiro para o provedor e nós recomendamos que eles liguem para a Telemar, porque nem se quiséssemos conseguiríamos resolver o problema. Nós não sabemos porque ele está conectado na rede da Telemar", conta Marcio.

    Mas aí é que começa o grande problema para o usuário. Muitas vezes, segundo conta Marcio, o serviço de atendimento da Telemar não reconhece o problema e retorna a responsabilidade para o provedor. "É comum eles dizerem, no atendimento da Telemar, que o problema é do provedor. Então vira uma queda de braço. Ele insiste mais conosco, fica nervoso e como explicar a ele que não podemos resolver o problema dele?", explica Marcio.

    Henrique Castañon diz que, hoje em dia, muitos usuários já ligam direto para a Telemar e sempre que ligam para o provedor são orientados. "No começo era mais difícil de entender, mas hoje são poucas. A dificuldade se dá mesmo porque parece que existe um script na Telemar para que o atendente chegue só até certo ponto. Se não resolver o problema, repassa a responsabilidade para o provedor", diz.

    Como solucionar o impasse
    Mas se na queda de braço entre provedor e Telemar o usuário fica no meio do caminho, sem saber como fazer. É necessário que exista um juiz para mediar essa questão. E esse juiz, no caso dos serviços de telecomunicação é a Agência Nacional de Telecomunicações, a Anatel. Não que uma ligação para o órgão vá resolver o problema, mas essa é a única alternativa caso a Telemar fuja da responsabilidade de solucionar a falha.

    "De posse do número da reclamação que a Telemar é obrigada a repassar, o usuário não pode adiar a abertura de uma reclamação junto à Anatel, sobretudo agora que a agencia entende que o Velox é um serviço de comunicação multimídia. Não podemos enganar o usuário e dizer que o problema vai ser resolvido de imediato, mas essas reclamações contam contra as operadoras, que podem receber multas e até, em casos mais graves, perder o direito de operar", explica Marcio Guimarães.

    Assim, se o problema não for resolvido, você deve entrar em contato direto com a Anatel através do telefone 0800 33 2001. Ou entrar no endereço: www.anatel.gov.br, clicar em atendimento eletrônico, seguir o passo-a-passo e fazer a sua reclamação.

    Território sem lei
    Até hoje, os serviços como o Velox eram prestados em um território sem lei. Isso porque buracos na legislação do sistema de telefonia não explicavam bem onde se situava o serviço de ADSL. Mas as coisas tendem a mudar, principalmente, como citou Marcio Guimarães, depois que a Anatel reconheceu que o ADSL é um Serviço de Comunicação Multimídia (SCM), em uma nota publicada no dia 9 de novembro. Assim, a operação do serviço passou a ter algumas regras a seguir. Elas estão no regulamento do SCM, da mesma forma que na conexão a cabo. Consulte aqui o documento para saber os seus direitos.

    *Esta matéria teve a colaboração do jornalista Chico Brinati

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.