• Assinantes
  • Autenticação
  • Tecnologia

    Segurança eletrônica De alarmes a câmeras de monitoramento, empresas aderem a recursos tecnológicos para inibir os assaltantes

    Renato Costa
    Colaboração*
    09/02/2006

    Se o avanço das tecnologias tem como objetivo facilitar a vida do homem, as empresas de segurança eletrônica têm o intuito de dificultar a vida dos ladrões. Hoje em dia, é difícil não encontrar um estabelecimento comercial, por menor que seja, sem um sistema de vigilância.

    De alarmes a câmeras de monitoramento via satélite, as empresas de vigilância aderem aos recursos de alta tecnologia, para garantir que o patrimônio esteja livre de assaltos.

    O que era praticamente terreno dos estabelecimentos comerciais, hoje, encontra novos clientes. "O número de clientes residenciais é praticamente o mesmo de clientes comerciais", comenta Emerson Rodrigues, supervisor comercial de uma empresa de segurança.

    O primordial da segurança é o alarme, segundo ele. "Além do dispositivo sonoro, este equipamento envia várias informações sobre o local onde está instalado, inclusive se o cliente está agindo sob coação de um criminoso", ressalta.

    Sensores

    O equipamento de segurança eletrônica utiliza sensores infravermelhos, que detectam movimento e calor. Com o desenvolvimento da sua tecnologia, os problemas com alarmes disparados acidentalmente pela presença de pequenos animais foi resolvido. "Hoje, os sensores conseguem calcular a massa corpórea do objeto detectado, evitando disparar o 'falso alarme', como é chamado", explica.

    Foto de Eugênio Rodrigues Cercas elétricas também podem fazer parte do pacote de segurança em uma residência. Porém, a empresa só deve realizar a instalação do equipamento se o muro tiver no mínimo 2,2 metros de altura que, segundo Emerson, é determinada através de Lei Municipal.

    Caso a cerca não esteja nos padrões estabelecidos e algum acidente ocorra, o proprietário do equipamento e a empresa de segurança terão que responder na Justiça.

    As câmeras são outros artifícios da tecnologia de segurança, mas não faz o papel do alarme, sendo mais um auxílio no trabalho. "Ela contribui para o monitoramento do local, mas não faz a função do alarme, que é inibir o assaltante", diz Eugênio Rodrigues (foto), diretor de uma empresa de segurança.

    A GPRS, um sistema de comunicação via satélite, é outro artifício tecnológico. "No caso do assaltante cortar os fios telefônicos, que são normalmente usados no monitoramento, não acontecerá nada se for utilizada a tecnologia GPRS, pois os dados não precisam da linha telefônica para chegar à central", explica Eugênio.

    A segurança eletrônica é oferecida através de pacotes, que vão desde o monitoramento básico até a possibilidade de controle à distância da casa, travando ou abrindo portas, e acendendo luzes. Mas cuidados como pedir a um vizinho para recolher a correspondência, avisar a PM quando for viajar por longos períodos são essenciais para que a sua casa esteja segura.

    *Renato Costa é estudante do 10º período de Jornalismo da UFJF

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.