Acnes em mulheres adultas são dolorosas e costumam coçar Segundo especialista, entre 5% e 10% das mulheres sofrem com o problema, que pode ser desencadeado por fatores hormonais, emocionais ou medicamentosos

Aline Furtado
Repórter
24/6/2011
Acnes

Embora sejam problemas comuns entre os adolescentes, as acnes, isto é, alterações nas glândulas sebáceas, mais especificamente nos folículos pilossebáceos, podem acometer mulheres acima dos vinte anos de idade. "Entre 5% e 10% das mulheres adultas sofrem com este problema", aponta a dermatologista Lúcia Lana.

Contudo, diferentemente das espinhas dos mais jovens, no caso de mulheres adultas, as erupções na pele costumam inflamar mais, além de formar nódulos, que doem e costumam coçar muito.

"Os adolescentes têm, com mais frequência, acnes, chamadas vulgares, em todo o rosto e na região dorsal. Já nas mulheres, a manifestação ocorre no terço inferior da face, ou seja, na parte equivalente à área onde os homens têm barba, partindo para as laterais do pescoço", explica a médica.

As causas de espinhas entre mulheres com mais de vinte anos pode estar em fatores hormonais, emocionais ou medicamentos. No caso da alteração dos hormônios, a mesma pode ser desencadeada por ovário policístico, disfunções na tireóide ou alta presença de testosterona, hormônio masculino. "Nestes casos, pode ser necessário um trabalho conjunto, que envolve dermatologista, ginecologista e endocrinologista, a fim de que o problema seja tratado desde a base."

Segundo a médica, um dos tratamentos envolve a ingestão de medicamentos que bloqueiam a produção de hormônio pelos ovários. "Além disso, pode ser feita a combinação de tratamentos orais e tópicos, que podem incluir ácido retinóico, glicólico ou azeláico."

No caso de espinhas que surgem por fatores emocionais, Lúcia destaca que manifestações como estresse e depressão podem favorecer o aparecimento. Além disso, há medicamentos à base de corticóides ou antinflamatórios que podem desencadear o problema. "Deve-se ficar atenta, ainda, a hábitos como fumo, bebida e alimentação inadequada, como aquela que incluiu alimentos gordurosos, capazes de aumentar o problema, assim como o sedentarismo e o uso de cosméticos, como base e pó, que podem agravar a situação."

Sem marcas e manchas

De acordo com Lúcia, além da intervenção médica, os casos devem ser tratados com o auxílio de uma esteticista, que fica responsável pela limpeza da pele. "E mais, como as acnes em mulheres costumam causar manchas e cicatrizes, há tratamentos como peeling e laser com gás carbônico fracionado, capazes de reduzir as marcas deixadas pelas espinhas."

Não mexer

A médica lembra que não é indicado mexer ou espremer acnes. "Isso vai complicar ainda mais a situação, podendo agravar manchas e cicatrizes. O ideal é procurar um médico dermatologista, que irá avaliar o problema e indicar o melhor tratamento.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.