• Assinantes
  • Autenticação
  • Mulher

    Questionar os próprios sentimentos ajuda a superar a traiçãoReflexões sobre si mesmo tomam tempo e podem demorar para serem esclarecidas, mas a autoanálise é a melhor forma de seguir em frente

    Victor Machado
    *Colaboração
    14/4/2011
    Traumas causados pela traição podem ser superados

    Após ver o namorado a traindo com uma amiga, a estudante D.M., de 22 anos, ficou um pouco receosa com os homens. "Eu percebi que ele estava muito carinhoso e um dia, saindo da faculdade, eu o vi me traindo. Eu não cheguei a desconfiar de nada, mas acabei vendo." Segundo a estudante, a reação imediata dela foi a de terminar a relação. "Acabei percebendo que não gostava tanto dele. Não fiquei com raiva, mas também não conversamos mais. Acho que consegui superar."

    De acordo com a psicóloga Cinthia Prata, apesar de a traição causar um certo trauma inicial é possível superá-lo. A melhor maneira apontada pela especialista é a de buscar conhecer e entender os próprios sentimentos em relação à situação. "É importante fazer questionamentos. Quais os meus sentimentos em relação a mim, após o reconhecimento da traição? Eu me vejo como vítima ou como alguém que pode superar esta dor? A pessoa que me traiu tinha um papel realmente importante para mim? O que contribuiu para que esta pessoa não me respeitasse como a respeitei? O que eu posso fortalecer nos meus sentimentos após ter passado por isso?". De acordo com a psicóloga, essas perguntas tomam tempo e reflexão e podem demorar para serem esclarecidas, mas são a melhor forma de superar uma traição.

    Em uma primeira análise, a traição sempre pode causar dor, raiva e ressentimento, e essas emoções podem desencadear, na pessoa que sofreu a traição, uma série de outros sentimentos relacionados à traição, à perda de amor ou ao medo de não ser amado. "Trauma é uma construção da nossa afetividade, que tem como base um evento específico ou uma série de eventos emocionais e de situações do dia a dia que têm um enredo muito parecido. É como se estivéssemos falando de um concurso de música de estilo romântico em que o tema principal fosse a perda do homem amado. Teríamos uma série de composições musicais diferentes que tratariam do mesmo assunto. Esta composição musical vai depender da história de vida de cada pessoa."

    O que leva à traição?

    A traição é um ato que destrói vários relacionamentos, dos antigos aos mais recentes. Segundo Cinthia, os motivos para trair são variados, de acordo com a história de cada um. Porém, as pessoas devem entender que trair não é a melhor saída para resolver os problemas conjugais. De acordo com a psicóloga, a traição é realizada por pessoas de diferentes estruturas emocionais e não consiste em um comportamento específico. "Ela pode acontecer com pessoas de personalidade mais impulsiva ou mais tímida. Com alguém que tenha postura sedutora ou que seja mais racional do que emotivo."

    Cinthia explica que a função que a traição vai exercer no contexto da vida de cada pessoa é o que pode gerar esse comportamento. Dessa maneira, algumas pessoas traem porque se sentem frustradas no relacionamento, outras porque precisam de uma autoafirmação sobre o desempenho sexual ou afetivo e outras porque não conseguem controlar o impulso sexual, entre outras razões.

    Homem x mulher

    Cinthia explica que, emocionalmente, o homem e a mulher têm diferenças em suas ações. A especialista explica que o homem é mais impulsivo sexualmente, enquanto a mulher é mais controlada e com ações ligadas ao desejo de ser amada. "Hoje em dia, no entanto, em função das mudanças em relação ao mundo do trabalho e das tecnologias, estas diferenças têm se tornado cada vez menores."

    Homens e mulheres são infiéis por motivos diferentes. A traição masculina pode ser cometida por impulso, para saciar a vontade e a feminina causada por descontentamento, abandono, por achar alguém que diz, faz e dá atenção.

    Como descobrir?

    Para a especialista, a traição deixa alguns rastros. Segundo ela, geralmente, as pessoas percebem mudanças de comportamento do companheiro ou companheira, entre eles a falta de desejo sexual, falta de atenção e diálogo. "Não existe uma regra específica, mas esses são alguns comportamentos em quem trai."

    Outros sinais são demonstrados pela pessoa, quando o companheiro descobre a traição. "Através do diálogo e da observação do comportamento da pessoa, é possível saber se ela está mentindo. Por mais que alguém saiba mentir, ele não consegue sustentar a mentira o tempo todo."

    Trair não é a melhor solução

    A psicóloga afirma que a traição está mais evidente na televisão e na internet, mas isso não quer dizer que seja a ação mais adequada para resolver os problemas emocionais, afetivos ou comportamentais entre os casais. "Não é a maneira correta de resolver um problema. O diálogo é essencial."

    Ela explica que toda relação amorosa é uma relação de troca de sentimentos, de gratidão, de companheirismo e de admiração e a falta desses indícios abre caminho para a reflexão de mudanças necessárias. "A partir da falta, a reflexão fará a pessoa buscar a melhoria contínua e a felicidade no relacionamento. Se isto não está acontecendo, a traição é mais comum de ser realizada por um dos dois ou pelos dois."

    *Victor Machado é estudante do 7º período de Comunicação Social da Faculdade Estácio de Sá

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    A Melhor Internet Está Aqui

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.