Terça-feira, 21 de junho de 2011, atualizada às 19h

Empresa de call center vai oferecer 2,7 mil postos de trabalho em JF

Aline Furtado
Repórter
Coletiva

Foi anunciada, durante entrevista coletiva realizada nesta terça-feira, 21 de junho, a vinda de uma empresa italiana do setor de tecnologia, AlmavivA, para Juiz de Fora, onde instalará uma sede de call center, gerando 2,7 mil empregos.

Com início das operações previsto para o mês de agosto, os investimentos na cidade devem chegar, até o final de 2011, a R$ 11 milhões. Com a unidade local, que será instalada na rua Bernardo Mascarenhas, 1.470, no bairro Fábrica, esta será a quinta no Brasil, já que uma está instalada em Belo Horizonte e outras três em São Paulo. Criada na Itália, a AlmavivA está no Brasil há cinco anos, onde oferece, atualmente, 11 mil empregos.

"Estamos apostando em Juiz de Fora para o desenvolvimento de um call center inovador. Pretendemos investir na formação interna dos nossos colaboradores e na possibilidade crescimento, com isso, teremos garantida a qualidade no atendimento", aponta o presidente da AlmavivA, Giulio Salomone. Ele explica que a empresa é considerada o único contact center 3.0 por apostar na plataforma tecnológica, a fim de que haja resposta adequada e mais rápida ao cliente.

A previsão é que os treinamentos sejam iniciados no dia 15 de julho, quando os 400 primeiros selecionados já estejam contratados. Até o final de agosto, 1,2 mil funcionários devem estar operando. A expectativa é que o início da operação ocorra no dia 8 de agosto. Entre os clientes atendidos pela AlmavivA estão empresas do ramo de telefonia, bancos, companhias aéreas e grandes prestadoras de serviços.

Como forma de atrair a empresa, a Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) concedeu redução de 5% para 2% da alíquota de ISSQN, conforme a Lei 12.201, de 30 de dezembro de 2010. "A AlmavivA, juntamente com outra empresa de call center que retomou suas atividades na cidade recentemente, deverá injetar na economia local, em um ano, R$ 50 milhões", afirma o prefeito de Juiz de Fora, Custódio Mattos. "Além disso, a chegada é muito positiva porque iremos alavancar o mercado por meio da criação de empregos e da geração de renda. Esta é, ainda, uma forma de potencializar as virtudes da cidade, com criação de empregos indiretos."

Seleção

As inscrições e a entrega de currículo poderão ser feitas entre os dias 1º e 3 de julho, em postos a serem divulgados na próxima semana. Além disso, quem tiver interesse, pode efetuar a inscrição pode meio do site da empresa. Para concorrer a uma vaga é preciso ter concluído o ensino médio ou estar cursando o último ano do mesmo.

A empresa oferece R$ 545 de salário, mais um acréscimo que pode chegar a R$ 200, podendo variar conforme a qualidade do serviço apresentada. Como benefícios, a AlmavivA fornecerá assistência médica e odontológica, auxílio creche, seguro de vida, transporte e restaurante. Além disso, é intenção da direção do call center instalar uma faculdade corporativa. Os colaboradores também terão acesso gratuito à internet. A carga horária é de 6h20, com meia hora de almoço e dez minutos de descanso, com funcionamento em seis dias da semana.

Outras possibilidades

Salomone sinaliza para a possibilidade de trazer, no futuro, outras tecnologias, que hoje são desenvolvidas na Itália e nas sedes de Belo Horizonte e de São Paulo, para a cidade. "Já sabemos do polo estudantil que é Juiz de Fora. Com isso, podemos investir cada vez mais, como em desenvolvimento de tecnologias para ferrovias e centros de pesquisas. Será uma oportunidade de emprego para as pessoas que estão concluindo os estudos."

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.