• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde

    Proteção da pele deve ser redobrada no verãoEspecialistas alertam para os cuidados na aplicação do filtro solar. Se usado inadequadamente, produto pode perder a eficácia desejada

    Melissa Ribeiro
    Repórter
    29/12/2009

    O verão exige cuidados redobrados com a pele. A exposição excessiva e prolongada ao sol sem a proteção necessária pode trazer danos irreparáveis. O câncer de pele é uma das principais e mais sérias consequências da radiação ultravioleta, que se encontra nos raios solares.

    De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, para evitar manchas e doenças de pele, o uso do protetor solar é essencial. No entanto, a aplicação incorreta do produto pode fazer com que o fator de proteção seja reduzido, colocando em risco a saúde do consumidor.

    Para o dermatologista Aloísio Gamonal, um dos principais problemas na utilização do bloqueador solar está na economia na hora da aplicação do protetor. "Como o produto é caro, as pessoas acabam usando pouco e não o reaplicam. Para manter a proteção, o filtro solar deve ser reaplicado a cada duas horas. Protetor solar não é passaporte para o sol. Muitas vezes as pessoas que estão usando o produto abusam do sol."

    A dermatologista Alessandra Montenegro recomenda também a reaplicação do produto sempre que a pessoa sair da água, pois "dependendo do tempo que se fica na água perde-se muito o filtro." Ela explica que o protetor deve ser aplicado pelo menos 20 minutos antes da exposição ao sol, que é o tempo que o produto leva para fazer efeito. "Na hora de passar o filtro solar é preciso cobrir toda a superfície corpórea, inclusive orelha, peito do pé, costas das mãos e pescoço, que são as áreas mais esquecidas."

    De acordo com Alessandra, o uso de protetores labiais, principalmente para quem tem herpes labial, também é essencial. Os óculos de sol, desde que possuam filtro para radiação ultravioleta, são acessórios fundamentais no verão. "Os óculos de sol devem ser usados porque a luz do sol reflete na água, na areia e chega à pessoa até mesmo por debaixo da barraca."

    Alessandra ressalta que o bloqueador solar também deve ser utilizado mesmo quando o sol não aparece. "Em dias nublados, entre 80% e 90% da radiação do sol pode ser filtrada, mas de 10% a 20% dos raios ultravioletas passam, então, ainda há a ação do sol." Segundo a dermatologista, é essencial que o consumidor observe o Fator de Proteção Solar (FPS), que é o grau de proteção contra a radiação UVB, nociva à saúde humana. "Quanto mais alto o fator de proteção, maior é a eficácia do produto."

    Outro ponto importante é observar o FPS recomendado para cada tipo de pele (ver quadro abaixo). As crianças exigem cuidados ainda maiores. "Mesmo com o protetor solar, a criança deve usar blusa. Mas se a blusa for molhada ela perde o fator de proteção", explica Alessandra.

    O dermatologista Aloísio Gamonal lembra que o mercado oferece alguns produtos que já vêm impregnados de filtro solar, como roupas, shampoos e condicionadores. Ele alerta que para serem confiáveis devem possuir autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    Uso do filtro solar previne doenças e manchas de pele

    A dermatologista Alessandra Montenegro explica que filtro, protetor ou bloqueador solar são a mesma coisa e todos têm como principal função prevenir os danos causados pelos raios solares na pele. "O filtro solar serve para proteger contra a radiação ultravioleta A e B, que são as cancerígenas. A UVB é muito carcinogênica e a UVA potencializa o efeito carcinogênico da radiação ultravioleta B."

    De acordo com Alessandra o horário de exposição ao sol é um dos cuidados fundamentais na proteção contra os raios ultravioletas. O ideal é que a exposição ocorra antes das 10h e depois das 16h. No horário de verão, o horário adequado é antes das 11h e após as 17h."A radiação UVA, aquela que a gente toma antes das 10h e depois das 16h, causa as manchas na pele e o fotoenvelhecimento, que são as rugas e o envelhecimento precoce da pele pelo sol".

    Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, qualquer pessoa pode ter câncer de pele. As que possuem pele, olhos e cabelos claros são mais suscetíveis à doença. Os ruivos, os portadores de sardas e os que possuem histórico familiar de tumor de pele também fazem parte do grupo de risco. O efeito da radiação ultravioleta é cumulativo. Isso quer dizer que mesmo que a pessoa deixe de se expor ao sol, as alterações de pele podem se manifestar anos depois.

    Fator de Proteção Solar (FPS) para cada tipo de pele
    Pele negra: FPS 20
    Pele morena: FPS 30
    Pele clara: FPS 60
    Criança: usar filtro solar infantil, que é apropriado para pele infantil e mais resistente à água.
    Protetor Labial:
    FPS 30

    Os textos são revisados por Madalena Fernandes

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.