• Assinantes
  • Autenticação
  • Saúde
    Quinta-feira, 15 de julho de 2010, atualizada às 18h17

    PJF vai contratar médicos em caráter de urgência para suprir demanda da urgência e emergência

    Clecius Campos
    Repórter

    A Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) pretende contratar em caráter de urgência médicos para suprir a falta de profissionais na urgência e emergência do setor público. A medida foi anunciada nesta quinta-feira, 15 de julho, pelo prefeito Custódio Mattos. A Procuradoria Geral do Município (PGM) prepara um decreto que autoriza a contratação.

    Segundo Mattos, a decisão foi necessária após adiamento da votação da matéria que institui o Quadro de Valores de Referência (QVR), denominado na Mensagem 3.832 como adicional por exercício em regime de plantão nas unidades de urgência e emergência (AERP). Na noite da última quarta-feira, 14 de julho, a Câmara resolveu pedir vistas ao projeto de lei e passar a votação para meados de agosto.

    A intenção é contratar entre 25 e 30 médicos, com remuneração inicial total de R$ 4 mil, já atendendo os parâmetros do AERP. "Vamos contratar da forma necessária e possível para suprir a necessidade, por meio de cooperativas ou fundações." Para igualar a remuneração dos médicos que hoje atuam na urgência e emergência (R$ 2,8 mil inicial), será criado um projeto de lei de vigência temporária, com ação retroativa, que equipare o valor pago aos servidores públicos ao que será oferecido aos recém contratados. "O valor pago hoje é um desestímulo para os médicos da urgência e emergência."

    A valorização dos médicos é o pretexto para a redistribuição do adicional de penosidade entre as diversas categorias que atuam na urgência e emergência. Alegando necessidade de adequação à lei, a Prefeitura aproveita a criação do AERP para estimular o ingresso da classe médica no serviço público. "Na administração pública, qualquer pagamento deve ser previsto em lei. Há muitos anos, a penosidade incorre em ilegalidade extremamente grave, quando é destinada a profissionais que legalmente não deveriam recebê-la. Além disso, algumas outras categorias, que podem e devem receber o adicional, o ganham também sob forma ilegal, já que foram realizados ajustes e agregados novos adicionais a ele, de forma não prevista em lei", argumenta.

    No entanto, ao solucionar ambas situações, a administração municipal acaba gerando perdas de remuneração para algumas classes, como enfermeiros, técnicos de nível superior, auxiliares de enfermagem II, servidores administrativos, auxiliares operacionais, motoristas e técnicos de nível médio (ver quadro comparativo I). Só médicos e auxiliares de enfermagem I teriam acréscimo diante da atual remuneração média. "Esta decisão não beneficia apenas os médicos, mas sim 600 mil pessoas dessa cidade que precisam da classe no setor de urgência e emergência. Além disso, com a nova remuneração, os servidores continuam recebendo além do valor praticado no mercado [ver quadro comparativo II]."

    Quadro comparativo I: Penosidade x AERP
    CargosQuantidadeMédia PenosidadeProposta AERPRemuneração média atualNova Remuneração
    Médicos 265 1.097,52 2.000,00 3.228,73 4.171,15
    Enfermeiros 54 2.048,35 1.500,00 5.119,47 4.513,60
    Outros TNS 8 1.481,21 1.200,00 3.868,62 3.651,12
    Aux Enf I 94 533,50 600,00 1.163,09 1.197,22
    Aux Enf II 166 1.238,78 1.000,00 2.879,40 2.407,11
    Administrativo 17 538,04 500,00 1.799,76 1.624,01
    Aux Operacional 11 401,03 500,00 1.154,68 1.233,76
    Motorista 32 834,11 600,00 2.442,22 2.184,34
    Tec Nível Médio 8 1.011,67 800,00 2.393,19 2.199,04
    Total 655 -
    Quadro comparativo II: Valor de mercado x AERP
    CargosValor de Mercado Nova Remuneração
    Médicos 4.000,00 4.171,15
    Enfermeiros 1.750,00 4.513,60
    Outros TNS 1.750,00 3.651,12
    Aux Enf I 750,00 1.197,22
    Aux Enf II 750,00 2.407,118
    Administrativo 680,00 1.624,01
    Aux Operacional 580,00 1.233,76
    Motorista 900,00 2.184,34
    Tec Nível Médio 900,00 2.199,04

    Fonte: Secretaria de Administração e Recursos Humanos

    PJF propõe recrutamento para urgência e emergência

    O prefeito admite perdas para a maioria das categorias, mas parece não temer o possível esvaziamento de funcionários nas unidades de urgência e emergência da cidade. "É preciso que haja maior abertura do recrutamento para as vagas da urgência e emergência, já que esses profissionais foram sendo alocados ao longo dos anos. Vamos propor um método para que façamos um recrutamento interno daqueles que querem trabalhar com a urgência e emergência. De maneira que tenhamos segurança na continuidade dos serviços."

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Publicitário

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.