Juiz de Fora sedia encontro intermunicipal do Parlamento Jovem

Estudantes debateram sobre a sustentabilidade nas cidades. Propostas podem ser encaminhadas para a Assembleia Legislativa

Andréa Moreira
Repórter
15/5/2013
Parlamento Jovem

Dezenas de jovens de Juiz de Fora, Matias Barbosa e Santos Dumont participaram, na tarde desta quarta-feira, 15 de maio, de um evento que reuniu os Parlamentos Jovens destes municípios. O evento, sediado em Juiz de Fora, foi organizado Escola do Legislativo (ELE) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em parceria com a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Minas).

O encontro, que foi uma prévia para a etapa estadual, que ocorrerá no dia 23 de agosto, em Belo Horizonte, discutiu o tema proposto pelo Parlamento Jovem em 2013, intitulado Cidades sustentáveis - desafios para novas gerações, como explica o sociólogo da Câmara Municipal, Sérgio Peres Dutra. "A cada ano os adolescentes debatem um tema. Desses encontros, cada município leva três propostas para a etapa estadual, que podem gerar projetos que serão encaminhados para a Assembleia Legislativa," lembrando que o estudo foi divido em três subtemas, que são: Uso de conservação da água; Produção e consumo; e Gestão do espaço urbano e rural.

Juiz de Fora possui 150 jovens, distribuídos em cinco escolas do município. Entre eles, está o estudante Bruno Pereira dos Santos, 15 anos, do Instituto Estadual de Educação. "Confesso que ingressei no projeto para aprender mais sobre o funcionamento da política. Porém, com o passar do tempo, fui percebendo que sozinho o jovem não tem voz, mas juntos podemos fazer a diferença." Já para a estudante Renatha Lima de Oliveira, 17 anos, da Escola Estadual Cônego Joaquim Monteiro, de Matias Barbosa, o fazer a diferença foi o que a trouxe para o Parlamento Jovem. "Quero melhorar a minha cidade. Fazer a mudança. E foi no parlamento que encontrei a primeira chance de fazer isso." Opinião compartilhada pela colega Aquila Vargas, 18 anos. "Sempre tive receio da política, devido ao que as pessoas sempre falam, que todo político é corrupto. Entretanto, percebi que podemos começar a fazer a diferença por aqui."

Edição 2013

Os trabalhos do Parlamento Jovem em Juiz de Fora começaram no dia 13 de março, e a Plenária final será em 11 de junho. Os estudantes se reúnem uma vez por semana para discutir o tema deste ano. Até o momento, os estudantes já desenvolveram oficinas de formação básica sobre: organização do Estado, Poder Legislativo, democracia, cidadania e participação política. "Ouvimos falar muito em sustentabilidade, mas pouco sabemos o que é realmente. E através das oficinas, conseguimos aprender de uma forma mais dinâmica e divertida," explica o aluno Milles Joseph Magalhães e Silva.

O encontro é dividido em dois momentos. Primeiro são realizadas discussões mais técnicas para esclarecimento de dúvidas e questões sobre o projeto e sobre o tema, em seguida os estudantes participam de uma integração.

Sempre presente nestes encontros, o professor de Relações Internacionais da PUC Minas Leandro de Alencar Rangel, afirma que os membros do Parlamento Jovem se sentem mais incluídos na sociedade. "Este é um local para falar e para educar. A cada cidade que visito e a cada questionamento, percebo que a vontade que eles têm em fazer uma sociedade melhor."

O projeto

O Parlamento Jovem é um projeto de formação política destinado aos estudantes dos ensinos Médio e Superior dos municípios mineiros, que cria para os jovens uma oportunidade de exercício de participação no Parlamento. Criado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais e a PUC Minas no ano de 2004, as seis primeiras edições foram restritas a Belo Horizonte, mobilizando 42 escolas e aproximadamente 800 estudantes. Neste período, foram encaminhadas 149 proposições para apreciação da ALMG.

A partir de 2010, o projeto foi estadualizado e ganhou a parceria das câmaras municipais mineiras. Juiz de Fora, desde então participa de todas as edições. Nos municípios, as câmaras mobilizam escolas do ensino médio e superior, órgãos públicos, empresas e organizações da sociedade civil, para viabilizar o projeto, formando assim uma extensa rede de educação legislativa em todo o Estado.

O Parlamento Jovem tem como objetivos estimular a formação política e cidadã de estudantes; desenvolver o interesse dos jovens pela agenda sociopolítica de seu município; propiciar espaço para vivência em situações de estudos e pesquisas, debates, negociações e escolhas, respeitando-se as diferentes opiniões; incentivar o envolvimento das câmaras municipais em atividades de educação para a cidadania.

-

Juiz de Fora sedia encontro intermunicipal do Parlamento Jovem

Estudantes debateram sobre a sustentabilidade nas cidades. Propostas podem ser encaminhadas para a Assembleia Legislativa

Andréa Moreira
Repórter
15/5/2013
Parlamento Jovem

Dezenas de jovens de Juiz de Fora, Matias Barbosa e Santos Dumont participaram, na tarde desta quarta-feira, 15 de maio, de um evento que reuniu os Parlamentos Jovens destes municípios. O evento, sediado em Juiz de Fora, foi organizado Escola do Legislativo (ELE) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em parceria com a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Minas).

O encontro, que foi uma prévia para a etapa estadual, que ocorrerá no dia 23 de agosto, em Belo Horizonte, discutiu o tema proposto pelo Parlamento Jovem em 2013, intitulado Cidades sustentáveis - desafios para novas gerações, como explica o sociólogo da Câmara Municipal, Sérgio Peres Dutra. "A cada ano os adolescentes debatem um tema. Desses encontros, cada município leva três propostas para a etapa estadual, que podem gerar projetos que serão encaminhados para a Assembleia Legislativa," lembrando que o estudo foi divido em três subtemas, que são: Uso de conservação da água; Produção e consumo; e Gestão do espaço urbano e rural.

Juiz de Fora possui 150 jovens, distribuídos em cinco escolas do município. Entre eles, está o estudante Bruno Pereira dos Santos, 15 anos, do Instituto Estadual de Educação. "Confesso que ingressei no projeto para aprender mais sobre o funcionamento da política. Porém, com o passar do tempo, fui percebendo que sozinho o jovem não tem voz, mas juntos podemos fazer a diferença." Já para a estudante Renatha Lima de Oliveira, 17 anos, da Escola Estadual Cônego Joaquim Monteiro, de Matias Barbosa, o fazer a diferença foi o que a trouxe para o Parlamento Jovem. "Quero melhorar a minha cidade. Fazer a mudança. E foi no parlamento que encontrei a primeira chance de fazer isso." Opinião compartilhada pela colega Aquila Vargas, 18 anos. "Sempre tive receio da política, devido ao que as pessoas sempre falam, que todo político é corrupto. Entretanto, percebi que podemos começar a fazer a diferença por aqui."

Edição 2013

Os trabalhos do Parlamento Jovem em Juiz de Fora começaram no dia 13 de março, e a Plenária final será em 11 de junho. Os estudantes se reúnem uma vez por semana para discutir o tema deste ano. Até o momento, os estudantes já desenvolveram oficinas de formação básica sobre: organização do Estado, Poder Legislativo, democracia, cidadania e participação política. "Ouvimos falar muito em sustentabilidade, mas pouco sabemos o que é realmente. E através das oficinas, conseguimos aprender de uma forma mais dinâmica e divertida," explica o aluno Milles Joseph Magalhães e Silva.

O encontro é dividido em dois momentos. Primeiro são realizadas discussões mais técnicas para esclarecimento de dúvidas e questões sobre o projeto e sobre o tema, em seguida os estudantes participam de uma integração.

Sempre presente nestes encontros, o professor de Relações Internacionais da PUC Minas Leandro de Alencar Rangel, afirma que os membros do Parlamento Jovem se sentem mais incluídos na sociedade. "Este é um local para falar e para educar. A cada cidade que visito e a cada questionamento, percebo que a vontade que eles têm em fazer uma sociedade melhor."

O projeto

O Parlamento Jovem é um projeto de formação política destinado aos estudantes dos ensinos Médio e Superior dos municípios mineiros, que cria para os jovens uma oportunidade de exercício de participação no Parlamento. Criado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais e a PUC Minas no ano de 2004, as seis primeiras edições foram restritas a Belo Horizonte, mobilizando 42 escolas e aproximadamente 800 estudantes. Neste período, foram encaminhadas 149 proposições para apreciação da ALMG.

A partir de 2010, o projeto foi estadualizado e ganhou a parceria das câmaras municipais mineiras. Juiz de Fora, desde então participa de todas as edições. Nos municípios, as câmaras mobilizam escolas do ensino médio e superior, órgãos públicos, empresas e organizações da sociedade civil, para viabilizar o projeto, formando assim uma extensa rede de educação legislativa em todo o Estado.

O Parlamento Jovem tem como objetivos estimular a formação política e cidadã de estudantes; desenvolver o interesse dos jovens pela agenda sociopolítica de seu município; propiciar espaço para vivência em situações de estudos e pesquisas, debates, negociações e escolhas, respeitando-se as diferentes opiniões; incentivar o envolvimento das câmaras municipais em atividades de educação para a cidadania.

Juiz de Fora sedia encontro intermunicipal do Parlamento Jovem

Estudantes debateram sobre a sustentabilidade nas cidades. Propostas podem ser encaminhadas para a Assembleia Legislativa

Andréa Moreira
Repórter
15/5/2013
Parlamento Jovem

Dezenas de jovens de Juiz de Fora, Matias Barbosa e Santos Dumont participaram, na tarde desta quarta-feira, 15 de maio, de um evento que reuniu os Parlamentos Jovens destes municípios. O evento, sediado em Juiz de Fora, foi organizado Escola do Legislativo (ELE) da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), em parceria com a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Minas).

O encontro, que foi uma prévia para a etapa estadual, que ocorrerá no dia 23 de agosto, em Belo Horizonte, discutiu o tema proposto pelo Parlamento Jovem em 2013, intitulado Cidades sustentáveis - desafios para novas gerações, como explica o sociólogo da Câmara Municipal, Sérgio Peres Dutra. "A cada ano os adolescentes debatem um tema. Desses encontros, cada município leva três propostas para a etapa estadual, que podem gerar projetos que serão encaminhados para a Assembleia Legislativa," lembrando que o estudo foi divido em três subtemas, que são: Uso de conservação da água; Produção e consumo; e Gestão do espaço urbano e rural.

Juiz de Fora possui 150 jovens, distribuídos em cinco escolas do município. Entre eles, está o estudante Bruno Pereira dos Santos, 15 anos, do Instituto Estadual de Educação. "Confesso que ingressei no projeto para aprender mais sobre o funcionamento da política. Porém, com o passar do tempo, fui percebendo que sozinho o jovem não tem voz, mas juntos podemos fazer a diferença." Já para a estudante Renatha Lima de Oliveira, 17 anos, da Escola Estadual Cônego Joaquim Monteiro, de Matias Barbosa, o fazer a diferença foi o que a trouxe para o Parlamento Jovem. "Quero melhorar a minha cidade. Fazer a mudança. E foi no parlamento que encontrei a primeira chance de fazer isso." Opinião compartilhada pela colega Aquila Vargas, 18 anos. "Sempre tive receio da política, devido ao que as pessoas sempre falam, que todo político é corrupto. Entretanto, percebi que podemos começar a fazer a diferença por aqui."

Edição 2013

Os trabalhos do Parlamento Jovem em Juiz de Fora começaram no dia 13 de março, e a Plenária final será em 11 de junho. Os estudantes se reúnem uma vez por semana para discutir o tema deste ano. Até o momento, os estudantes já desenvolveram oficinas de formação básica sobre: organização do Estado, Poder Legislativo, democracia, cidadania e participação política. "Ouvimos falar muito em sustentabilidade, mas pouco sabemos o que é realmente. E através das oficinas, conseguimos aprender de uma forma mais dinâmica e divertida," explica o aluno Milles Joseph Magalhães e Silva.

O encontro é dividido em dois momentos. Primeiro são realizadas discussões mais técnicas para esclarecimento de dúvidas e questões sobre o projeto e sobre o tema, em seguida os estudantes participam de uma integração.

Sempre presente nestes encontros, o professor de Relações Internacionais da PUC Minas Leandro de Alencar Rangel, afirma que os membros do Parlamento Jovem se sentem mais incluídos na sociedade. "Este é um local para falar e para educar. A cada cidade que visito e a cada questionamento, percebo que a vontade que eles têm em fazer uma sociedade melhor."

O projeto

O Parlamento Jovem é um projeto de formação política destinado aos estudantes dos ensinos Médio e Superior dos municípios mineiros, que cria para os jovens uma oportunidade de exercício de participação no Parlamento. Criado pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais e a PUC Minas no ano de 2004, as seis primeiras edições foram restritas a Belo Horizonte, mobilizando 42 escolas e aproximadamente 800 estudantes. Neste período, foram encaminhadas 149 proposições para apreciação da ALMG.

A partir de 2010, o projeto foi estadualizado e ganhou a parceria das câmaras municipais mineiras. Juiz de Fora, desde então participa de todas as edições. Nos municípios, as câmaras mobilizam escolas do ensino médio e superior, órgãos públicos, empresas e organizações da sociedade civil, para viabilizar o projeto, formando assim uma extensa rede de educação legislativa em todo o Estado.

O Parlamento Jovem tem como objetivos estimular a formação política e cidadã de estudantes; desenvolver o interesse dos jovens pela agenda sociopolítica de seu município; propiciar espaço para vivência em situações de estudos e pesquisas, debates, negociações e escolhas, respeitando-se as diferentes opiniões; incentivar o envolvimento das câmaras municipais em atividades de educação para a cidadania.