Quinta-feira, 12 de julho de 2012, atualizada às 19h20

Após três horas de negociação, servidores da saúde do Estado encerram greve

Nathália Carvalho *
*Colaboração
Manifestação Sind-Saúde

Após 28 dias de paralisação, os servidores estaduais da saúde do Estado encerraram a greve no início da noite desta quinta-feira, dia 12 de julho. Depois de reunião realizada entre representantes dos poderes Executivo e Legislativo de Minas e o Sindicato Único dos Trabalhadores da Saúde de Minas Gerais (Sind-Saúde), os servidores se reuniram em assembleia e optaram pelo fim da paralisação.

Na assembleia, foi marcada uma reunião para esta sexta-feira, 13, às 14h30, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), para discutir sobre o aumento do reajuste da gratificação complementar de 40% em agosto deste ano e mais 50% em agosto de 2013, além do abono referente aos dias parados. O governo de Minas também se comprometeu a elaborar um calendário, o qual irá tratar de pontos específicos da área da Saúde.

Acordo

O acordo assinado pelo secretário adjunto de saúde, Breno Henrique Avelar, e por membros da ALMG e Comissão de Saúde prevê a continuidade das discussões do Plano de Carreiras no âmbito da mesa do Sistema Único de Saúde (SUS) e a revisão da base de cálculo do adicional de insalubridade, que aumenta de R$ 200 para R$ 660 para todo o sistema estadual de saúde.

Além disso, para a Fhemig, foi decidido que haverá aumento da gratificação complementar de 20,7% para 30%, pagamento do abono de urgência e emergência e de adicional noturno com aumento a partir de agosto, ajustes na tabela dos profissionais da enfermagem, inclusão da regulamentação das férias dos trabalhadores da radiologia, entre outros.

Na Hemominas, será criada a gratificação complementar para auxiliares, assistentes técnicos e analistas de hematologia e hemoterapia com valores variados. Haverá, ainda aumento dos interníveis das tabelas salariais de carreiras de 18% para 22%.

Para a Fundação Ezequiel Dias (Funed), também será criada a gratificação complementar a ser concedida a auxiliares, analistas, pesquisadores e técnicos de saúde e tecnologia, nos valores de 30% sobre o vencimento básico. Haverá, também, ajuste das cotas por nível de escolaridade da GIEFS.

*Nathália Carvalho é estudante do 8º período de Comunicação Social da UFJF

*Com informações da assessoria de imprensa do Sind-Saúde

* Colaborou: Andréa Moreira - Repórter

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.