Consumidores juiz-foranos já podem reclamar pelo telefone

Por

O atendimento também atenderá as reclamações do serviço de táxi. Atendimento não irá substituir o presencial
Jorge Júnior
Repórter
4/4/2012
procon

Os juiz-foranos passam a contar com mais um serviço de atendimento ao consumidor a partir de agora, com o lançamento do Procon Fone, serviço oferecido pela Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/JF), que já está em funcionamento.

O anúncio do serviço foi feito na tarde desta quarta-feira, 4 de março, pelo superintendente do Procon, Eduardo Schröder. Para a implantação do projeto, que já havia sido divulgado em fevereiro, foi gasto R$ 70 mil, para a compra da central telefônica. "O atendimento será feito por meio da URA [Unidade de Resposta Audível], que encaminhará a solicitação para o setor correto." O horário de funcionamento é das 8h à 18h, de segunda a sexta-feira.

O atendimento começa a ser feito com cinco pontos, mas este número poderá ser ampliado, chegando a 20 telefonistas, segundo Schröder. "O Procon já teve esse serviço em 2007, quando foram recebidas 19 mil ligações, no período de janeiro a setembro."

Reclamação de táxi

Com a implementação do serviço, as reclamações sobre o serviço de táxi no município também poderão ser realizadas pelos telefones (32) 3690-7611 ou (32) 3690-7610. "O intuito não é punir os trabalhadores, mas, a partir das reclamações, a cidade poderá criar políticas públicas específicas", ressalta.

De acordo com o representante do órgão, o comércio da cidade já tem os panfletos, informando sobre o serviço e, em dez dias os táxis, por meio da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), irão afixar os adesivos nos carros. "O ideal é que os usuários, caso queiram fazer alguma observação sobre a prestação de serviço de táxi, anotem a placa do carro, porém, outras informações com o horário e local da corrida, além do nome do motorista, também são válidas", orienta.

No entanto, Schröder afirma que o atendimento não irá substituir o presencial, mesmo porque algumas solicitações precisam de comprovação documental. Ainda de acordo com o superintendente, atualmente, o Procon presta cerca de 150 atendimentos por dia. As consultas do cadastro de reclamações podem ser acessadas pela internet (clique aqui).

Os textos são revisados por Mariana Benicá

">

Consumidores juiz-foranos já podem reclamar pelo telefone

O atendimento também atenderá as reclamações do serviço de táxi. Atendimento não irá substituir o presencial

Jorge Júnior
Repórter
4/4/2012
procon

Os juiz-foranos passam a contar com mais um serviço de atendimento ao consumidor a partir de agora, com o lançamento do Procon Fone, serviço oferecido pela Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/JF), que já está em funcionamento.

O anúncio do serviço foi feito na tarde desta quarta-feira, 4 de março, pelo superintendente do Procon, Eduardo Schröder. Para a implantação do projeto, que já havia sido divulgado em fevereiro, foi gasto R$ 70 mil, para a compra da central telefônica. "O atendimento será feito por meio da URA [Unidade de Resposta Audível], que encaminhará a solicitação para o setor correto." O horário de funcionamento é das 8h à 18h, de segunda a sexta-feira.

O atendimento começa a ser feito com cinco pontos, mas este número poderá ser ampliado, chegando a 20 telefonistas, segundo Schröder. "O Procon já teve esse serviço em 2007, quando foram recebidas 19 mil ligações, no período de janeiro a setembro."

Reclamação de táxi

Com a implementação do serviço, as reclamações sobre o serviço de táxi no município também poderão ser realizadas pelos telefones (32) 3690-7611 ou (32) 3690-7610. "O intuito não é punir os trabalhadores, mas, a partir das reclamações, a cidade poderá criar políticas públicas específicas", ressalta.

De acordo com o representante do órgão, o comércio da cidade já tem os panfletos, informando sobre o serviço e, em dez dias os táxis, por meio da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), irão afixar os adesivos nos carros. "O ideal é que os usuários, caso queiram fazer alguma observação sobre a prestação de serviço de táxi, anotem a placa do carro, porém, outras informações com o horário e local da corrida, além do nome do motorista, também são válidas", orienta.

No entanto, Schröder afirma que o atendimento não irá substituir o presencial, mesmo porque algumas solicitações precisam de comprovação documental. Ainda de acordo com o superintendente, atualmente, o Procon presta cerca de 150 atendimentos por dia. As consultas do cadastro de reclamações podem ser acessadas pela internet (clique aqui).

Os textos são revisados por Mariana Benicá

Consumidores juiz-foranos já podem reclamar pelo telefone

O atendimento também atenderá as reclamações do serviço de táxi. Atendimento não irá substituir o presencial

Jorge Júnior
Repórter
4/4/2012

Os juiz-foranos passam a contar com mais um serviço de atendimento ao consumidor a partir de agora, com o lançamento do Procon Fone, serviço oferecido pela Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/JF), que já está em funcionamento.

O anúncio do serviço foi feito na tarde desta quarta-feira, 4 de março, pelo superintendente do Procon, Eduardo Schröder. Para a implantação do projeto, que já havia sido divulgado em fevereiro, foi gasto R$ 70 mil, para a compra da central telefônica. "O atendimento será feito por meio da URA [Unidade de Resposta Audível], que encaminhará a solicitação para o setor correto." O horário de funcionamento é das 8h à 18h, de segunda a sexta-feira.

O atendimento começa a ser feito com cinco pontos, mas este número poderá ser ampliado, chegando a 20 telefonistas, segundo Schröder. "O Procon já teve esse serviço em 2007, quando foram recebidas 19 mil ligações, no período de janeiro a setembro."

Reclamação de táxi

Com a implementação do serviço, as reclamações sobre o serviço de táxi no município também poderão ser realizadas pelos telefones (32) 3690-7611 ou (32) 3690-7610. "O intuito não é punir os trabalhadores, mas, a partir das reclamações, a cidade poderá criar políticas públicas específicas", ressalta.

De acordo com o representante do órgão, o comércio da cidade já tem os panfletos, informando sobre o serviço e, em dez dias os táxis, por meio da Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra), irão afixar os adesivos nos carros. "O ideal é que os usuários, caso queiram fazer alguma observação sobre a prestação de serviço de táxi, anotem a placa do carro, porém, outras informações com o horário e local da corrida, além do nome do motorista, também são válidas", orienta.

No entanto, Schröder afirma que o atendimento não irá substituir o presencial, mesmo porque algumas solicitações precisam de comprovação documental. Ainda de acordo com o superintendente, atualmente, o Procon presta cerca de 150 atendimentos por dia. As consultas do cadastro de reclamações podem ser acessadas pela internet (clique aqui).

Os textos são revisados por Mariana Benicá