Alice Amaral Alice Amaral 6/03/2015

Diabetes pode causar atrofia no cérebro, diz estudo

diabetesO diabetes tipo 2, doença em que o pâncreas não produz insulina suficiente e que as células não respondem à insulina que foi produzida, pode estar associado com a atrofia e a degeneração do cérebro, segundo um estudo publicado no periódico Radiology. Os pesquisadores constataram que o tipo de diabetes é mais severo quando os pacientes têm menos tecido cerebral.

Indivíduos afetados pela doença têm menor volume cerebral, principalmente na substância cinzenta, área responsável pelo controle muscular e pelas percepções sensoriais.

No estudo, os pesquisadores investigaram a ligação entre a estrutura do cérebro e a severidade e a duração do diabetes tipo 2 em 614 pacientes, com idade média de 62 anos. Os resultados mostraram que os indivíduos afetados pela doença há mais tempo tinham um menor volume cerebral, principalmente na parte da substância cinzenta, área responsável pelo controle muscular e pelas percepções sensoriais (visão, fala, audição e memória).

A cada dez anos afetado pelo diabetes, o cérebro parece dois anos mais velho do que o de uma pessoa sem a doença. Os pesquisadores acreditam que o estudo pode ter implicações no futuro no tratamento do declínio da função cognitiva em pacientes com diabetes.

Previna-se! Faça uma reeducação alimentar para evitar a doença. Na Clínica Dra Alice Amaral, você tem a maneira certa de se cuidar.

Dieta pode inverter relógio biológico

Conforme você vive, as suas células se multiplicam. O organismo vai criando novas para substituir as que morrem. Esse processo não é infinito. Ele desgasta os telômeros, estruturas que ficam na ponta dos cromossomos, até que a multiplicação celular para de funcionar direito, e aí você envelhece e morre. Mas é possível inverter isso e fazer os telômeros voltarem a crescer. Ou seja, ficar biologicamente mais jovem. Alimentação e estilo de vida fazem cromossomos voltarem a crescer e revertem o processo de envelhecimento do corpo.

Uma equipe do Instituto de Pesquisa em Medicina Preventiva, na Califórnia, acompanhou dez idosos. Eles foram submetidos a uma dieta controlada, com apenas 10% de gordura e rica em alimentos saudáveis (verduras, legumes e grãos integrais). Também tinham de fazer exercícios diários. Cinco anos depois, seus telômeros haviam crescido 10% - quando o normal seria encolherem 3%.

É o primeiro caso registrado de crescimento dos telômeros (até então, acreditava-se que eles só pudessem diminuir). Os telômeros funcionam como uma proteção para os cromossomos, evitando que eles se despedacem durante a multiplicação do DNA. Vale a pena manter hábitos saudáveis.

Na Clínica Dra Alice Amaral você encontra o cardápio específico para manter sua saúde em dia.


Alice Amaral é Especialista em Nutrologia - Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Nutrologia; especialista em Medicina do Esporte - Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte; pós-graduada com especialização em Nutriendocrinologia Funcional e Gerenciamento do Envelhecimento Saudável.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.