Ana Stuart Ana Stuart 8/5/2012

Mobile Phobia

Foto de celularÉ a mania de celular, Ipad, smartphone, Iphone objetos móveis de comunicação.

Fobia porque se a pessoa fica sem, o medo se aflora.

Percebemos o perigo quando nos tornamos compulsivos.

Quando não conseguimos fazer nada sem estes objetos.

No caso de perda ou esquecimento ficamos imobilizados.

Algumas pessoas entram em pânico.

Partindo do princípio de que um cérebro se apaixona por outro, começamos a entender o quanto é forte o poder da comunicação.

Essa grande revolução que nos possibilita guiar, controlar, trabalhar, saber o que se passa do outro lado do mundo, com apenas alguns toques, e andando pelas ruas... Simples assim.

Mas se transfiro todos os meus anseios para estes aparelhos, torno-me escravo. Neste momento, precisamos questionar o que falta em nossa vida para termos que substituir com tal ênfase?

As pessoas que já possuem a compulsividade aflorada, que se apegam patologicamente a tudo que causa prazer devem tomar muito cuidado.

Pais controladores devem estar atentos para não se excederem no controle e, com isto, impedirem que seus filhos pensem por si sós e desenvolverem suas agilidades perante as dificuldades.

Estes aparelhos são tão fascinantes que, muitas vezes, nos isolam do contato físico, tornando-se objetos de manipulação, chantagem emocional, escravidão mesmo.

Principalmente na adolescência, quando é o período da identificação, o risco do excesso é grande e deve ser observado pelos cuidadores.

Bom também verificar se por trás deste processo não há uma depressão pela falta dos neurotransmissores dopamina e serotonina ou fobia social.

Não permita que a tecnologia substitua o tête-à-tête e que NADA nos pare!

Mais artigos

Ana Stuart
é psicóloga e terapeuta familiar.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.