• Assinantes
  • Autenticação
  • Só Sabor

    Duas novas variedades de soja preta devem ser lançadas em quatro anos

    A pesquisa existe há cerca de dez anos. Nutricionista afirma que a soja é uma das leguminosas com grande valor nutricional

    Andréa Moreira
    Repórter
    25/1/2013
    Soja preta

    Dentro de quatro anos, os brasileiros poderão ganhar mais uma opção de soja para a alimentação. E isso será possível graças ao Programa de Melhoramento Genético da Soja para Alimentação Humana da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que trabalha em parceria com a Empresa de Pesquisa de Minas Gerais (Epamig) e com a Fundação Triângulo, no desenvolvimento de duas novas linhagens de soja preta, as quais já estão em fase de experimento, como destaca a pesquisadora da Epamig Triângulo e Alto Paranaíba, Ana Cristina Juhász. "A pesquisa desta variedade começou há cerca de dez anos. No ano passado, tínhamos 25 linhagens em teste. Agora chegamos a duas. Na etapa final, iremos decidir qual das, duas ou se as duas, serão ideais para o cultivo."

    Essas duas linhagens de soja preta agora estão em fase de teste em cinco propriedades da região do Triângulo Mineiro. De acordo com a Ana Cristina, nos próximos dois anos essa nova cultivar receberá uma nomenclatura e ainda passará por testes sensoriais e análise mercadológica. "A avaliação final e o registro do cultivar demoram, em média, dois anos. Depois temos que multiplicar as sementes, para que elas sejam distribuídas para os produtores. Esse processo também é feito em dois anos."

    Utilização

    A pesquisadora ressalta que a variedade de soja preta já foi desenvolvida em diversas pesquisas, entretanto, como a maior utilização da soja no Brasil é para a fabricação de óleo, esses tipos são descartados. "A soja preta é rica em antocianina, assim como os legumes, frutas e vegetais de cores escuras. Esse pigmento é um excelente antioxidante, que reduz os efeitos dos radicais livres e retarda o envelhecimento," afirma Ana Cristina, ressaltado, ainda, que a soja é um alimento funcional e o que falta é o hábito de consumi-la. "Antes, a soja tinha aquela pele que a encobria e era dura de cozinhar. Mas agora, com essas pesquisas, isso não exite mais. Sem contar que estamos desenvolvendo grãos com sabor mais suave, sementes de maior tamanho e elevado teor de proteína", explica.

    Para Ana Cristina, esses grãos podem ser utilizados nas saladas ou pratos, onde usualmente utilizamos o feijão. "Poderemos fazer a soja tropeira, que já é feita com a soja marrom, e também a sojoada, uma variação de um dos pratos mais típicos do país, que é a feijoada. Além disso, a soja preta também pode ser utilizada em produtos processados, como sucos, cremes, patês, dentre outros."

    Soja preta Soja preta

    Soja de Minas

    Os pesquisadores da Embrapa, Epamig em parceria com a Fundação Triângulo já desenvolveram as cultivares BRSMG 790A (Fit soy –amarela) e BRSMG 800A (Nutri Soy - marrom), as quais foram registradas com o selo Soja de Minas.

    De acordo com a assessoria da Epamig, em novembro do ano passado foi realizada sessão de degustação pela Secretaria de Agricultura Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa) para técnicos, especialistas, educadores e nutricionistas, com o objetivo de introduzir a soja na alimentação escolar. Foram mostradas as várias possibilidades de preparo do produto, como: salada e tropeiro preparados com o grão, soja cozida com o feijão carioquinha, além do extrato de soja com maracujá para a fabricação de suco. Somente na rede estadual, o público abrange 3.900 escolas públicas e cerca de 2,5 milhões de estudantes.

    Essas cultivares foram beneficiadas, embaladas e já estão sendo comercializadas em supermercados de Uberaba. Degustações da soja marrom, preparada com feijão, e da amarela, preparada como salada, foram realizadas em diversos eventos no município de Uberaba e região, com o objetivo de verificar a aceitação do produto no mercado local. A pesquisadora da Epamig ofereceu a receita a 4.371 pessoas, dessas, 96% aprovaram o sabor e 94% das que provaram, garantiram que comprariam os produtos. Essa nova soja preta seria o terceiro produto registrado com o selo Soja de Minas.

    Benefícios

    A soja é uma das leguminosas com grande valor nutricional. Ela contém proteínas, vitaminas e minerais em quantidades bem mais elevadas do que outros grãos. Por outro lado, a gordura também é elevada, porém, é uma gordura poli-insaturada, o que é bom para o coração, como enfatiza a nutricionista Wanessa Aquino. “A soja possui alto valor biológico, com proteína rica em aminoácidos. Por ser um vegetal, não possui colesterol e o melhor da soja é que ajuda a abaixar o LDL, que é o colesterol ruim.”

    Como também possui baixas quantidades de cálcio, Wanessa recomenda que as pessoas observem o rótulo das mercadorias para verificarem se existe adição dessa substância. “As bebidas a base de soja podem substituir o leite, principalmente para as que possuem intolerância à lactose. Mas é fundamental que as bebidas sejam enriquecidas com cálcio, pois ele é um mineral essencial para a formação e manutenção dos nossos ossos.”

    Os textos são revisados por Juliana França

    O melhor provedor de internet de
    Juiz de Fora

    ACESSA.com

    Banda larga na sua casa a partir de R$29,90

    Conheça nossos planos

    (32) 2101-2000

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.