Dicas para alugar carros Mercado de aluguel de carros vem crescendo cerca de 20% ao ano. Saiba por que muitas pessoas preferem recorrer ao serviço


Guilherme Arêas
*Colaboração
09/08/2007

IPVA, seguro, manutenção... Despesas e preocupações não faltam para quem tem um automóvel. Para os que ainda não possuem, o sonho do primeiro carro é um dos mais cobiçados. Mas muita gente está mudando de idéia e preferindo usar um carro alugado.

Grande parte das locações são feitas para viagens em família ou entre amigos. Mas antes de fechar o negócio, é preciso ficar atendo para que o passeio planejado não se transforme em uma grande dor de cabeça.

Quem nos dá as dicas é o diretor da filial juizforana de uma grande rede de agências da América Latina, Carlos Henrique Paula Resende (foto abaixo).

As opções de aluguel são várias e se adequam de acordo com o perfil de cada consumidor. Para as viagens mais curtas ou percursos dentro da própria cidade, uma opção são os planos com quilometragem controlada. Nessa situação, além da diária, o consumidor paga por quilômetro rodado.

Se a idéia é não se preocupar com a quantidade de quilômetros percorridos, o ideal é optar pelo plano com tarifa livre. As diárias desse tipo de plano são maiores, mas o consumidor pode viajar sem se importar com as distâncias.

Em relação ao tipo de carro, as ofertas são grandes. Os modelos variam desde os mais populares, com duas portas, até os mais sofisticados, com quatro portas, ar condicionado, direção hidráulica, câmbio automático, air bag e vidros e travas elétricas.

Com tantas opções, os preços também podem variar bastante. É nessa hora que o consumidor deve saber o quanto pode gastar para poder escolher o melhor serviço.

foto de Rodrigo Segundo Carlos Henrique, alugar um carro para uma viagem a Cabo Frio, por exemplo, pode ficar bastante em conta. De acordo com os cálculos do diretor, a despesa com o carro, em um final de semana na praia, pode sair por cerca de R$ 90 para cada passageiro, considerando a lotação máxima de cinco pessoas em um carro. O cálculo já levou em conta a locação, combustível e os pedágios.

Para os mais exigentes, a novidade nos carros alugados são os aparelhos de Sistema de Gerenciamento Global (GPS - sigla do inglês Global Positioning System). "Em Juiz de Fora as locadoras ainda não contam com este serviço, mas é uma tendência que, em breve, deve ser exigida pelos consumidores. As pessoas podem fazer sua viagem de forma mais tranqüila. Você apenas indica onde quer chegar e o aparelho te dá as coordenadas", afirma.

Independente dos acessórios ou luxos dos carros alugados, um dos pontos que devem ser observados com atenção é em relação aos imprevistos que podem acontecer com o automóvel. Carlos Henrique explicou que as locadoras não podem oferecer seguros, mas existem serviços de proteção que garantem a cobertura, sob responsabilidade da locadora, nos casos de furto, roubo, incêndio e colisão. Geralmente a contratação da proteção é opcional e o consumidor paga uma taxa adicional pelo serviço.

Um mercado em constante crescimento

De acordo com Carlos Henrique, o mercado de aluguel de carros vem crescendo cerca de 20% ao ano. "Esse crescimento depende muito do Produto Interno Bruto (PIB). Quando o índice é alto, isso se reflete também nas locações de automóveis".

A crise aérea enfrentada pelo país é outro fator que pode representar um bom momento para esse mercado, já que muitas locadoras atuam dentro ou perto dos principais aeroportos do Brasil. "Se uma pessoa tem o vôo atrasado e não tem tempo ou paciência para esperar, ela pode recorrer a este serviço. Se isso for considerado, as redes de locação de automóveis podem ter uma boa oportunidade para aumentar os negócios", afirma.

Segundo o diretor, até mesmo para as instituições federais o aluguel de carro está se apresentando como uma solução à precariedade da frota pública. "Muitas empresas privadas já perceberam a vantagem de ter a frota alugada. A tendência é que os governos também passem a utilizar este serviço, inclusive com viaturas para as polícias", espera Carlos.

Enquanto a locação de automóveis não vira uma verdadeira mania entre os brasileiros, para aqueles que desejam fazer uma viagem tranqüila, a dica é prestar atenção nas condições que a locadora oferece. Todos os serviços devem estar descritos de forma clara e o consumidor deve ser informado de tudo o que vai adquirir.

*Guilherme Arêas é estudante de Jornalismo da UFJF

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.