Turista de viagem internacional deve ficar atento à troca de moedasO dólar turismo e o dólar comercial possuem variações de preços, mas, invariavelmente, o primeiro sempre custará mais caro que o segundo

Jorge Júnior
Repórter
13/12/2011
cambrio

Final de ano, época em que muitos turistas saem para viajar. Dentre as principais preocupações estão a hospedagem e as passagens. Entretanto, os turistas que farão passeios internacionais devem ficar atentos também para a troca de moedas. Em entrevista ao Portal ACESSA.com, especialistas dão dicas para evitar dor de cabeça no momento de comprar moeda estrangeira.

A primeira recomendação do Banco Central é que a compra de moeda estrangeira seja feita em bancos e agências credenciadas. A assessoria do Banco Central afirma que a instituição executa a política cambial definida pelo Conselho Monetário Nacional. Para tanto, regulamenta o mercado de câmbio e autoriza as instituições que nele operam. Além disso, o órgão garante que fiscaliza o referido mercado diariamente. Fica a cargo de o banco punir dirigentes e instituições mediante multas, suspensões e outras sanções previstas em lei. O banco também pode atuar diretamente no mercado, comprando e vendendo moeda estrangeira de forma ocasional e limitada, com o objetivo de conter movimentos desordenados da taxa de câmbio.

O diretor de uma agência de câmbio da cidade, Carlos Eduardo da Costa Cruz Loures, acrescenta que a pessoa deve exigir um boleto ou nota fiscal, comprovando a compra da moeda. O aconselhável é que o turista olhe no site do Banco Central, as agências que estão regulamentadas na instituição (clique aqui). Outra dica é garantir a segurança financeira, antes de afivelar as malas. "O ideal é que a pessoa compre a moeda do país. Se a viagem for mais extensa, é fundamental que este planejamento seja feito o mais rápido possível. Tudo depende do tempo da viagem", diz Loures.

A opinião de Loures, também é dividida pela proprietária de uma agência de intercâmbio da cidade, Juliana Viana. "Quanto antes for a programação, é melhor. É fundamental que a pessoa planeje e faça depósitos mensais, para que na época da viagem ela não precise desembolsar uma quantia maior." Juliana que irá fazer uma viagem no ano que vem, já está se programando deste agosto deste ano. "Sempre estou acompanhado a cotação de dólar e, sempre que possível vou comprando a moeda", revela.

A supervisora de uma correta de câmbio da cidade, Giselle Souza, também orienta que a compra pela moeda estrangeira seja feita com antecedência e a pessoa faça uma poupança com o dinheiro. "É fundamental que a pessoa compre, aos poucos, antes de viajar, porque se a moeda sobe ou cai, a pessoa consegue minimizar a perda." Além disso, Giselle explica que, para um turista entrar no país, ele precisa provar que tem recursos para permanecer nele. "A quantia de dinheiro é muito pessoal, depende de o que cada pessoa quer levar. Uma forma prática e segura são os cartões pré-pagos, em moedas estrangeiras. É uma forma segura de ter dinheiro, o cliente pode efetuar inúmeras recargas e não há limites de compra. Fica pronto na hora." Loures também aconselha a utilização do cartão. "O cartão possui senha e assinatura, o que aumenta a segurança em caso de extravio."

Quem pode fazer a compra?

Segundo Loures, não existe limite do valor para a aquisição de moedas estrangeiras. Para operações de até R$ 10 mil por mês, é necessário apresentar, somente, o CPF e o registro geral do cidadão. Acima dessa quantia, é exigida a comprovação de renda, declaração do Imposto de Renda, CPF e RG. "Quando o valor é acima de R$ 10 mil, é feito um cadastro de pessoa física, para o qual são solicitados os dados bancários pessoais. Assim, um boleto de câmbio é emitido para a comprovação da origem legal do dinheiro", explica Loures.

O especialista também orienta que as pessoas não devem comprar moedas de doleiros. "Há riscos quanto à veracidade das moedas oferecidas pelos doleiros, o que causa muitas dores de cabeças ao viajante. Além disso, a comercialização de moedas estrangeiras em espécie, realizada por agências de turismo ou lojas de câmbio sem a emissão do boleto de câmbio é crime, e fomenta o mercado paralelo de câmbio, mais conhecido como câmbio black", diz.

Outra orientação de Loures é a respeito do imposto cobrado pelo câmbio. Segundo o diretor, quando uma pessoa adquire a moeda estrangeira em um determinado ano, não utiliza toda a quantia e, no ano seguinte, vende esse saldo — total ou parcial — com valor superior ao preço da aquisição inicial, ela paga o imposto. "Nessa situação, o valor a ser pago do imposto será sobre o lucro, ou seja, a diferença dos preços de aquisição e venda."

Comercial e de turismo

O dólar turismo e o dólar comercial possuem variações de preços, mas o primeiro sempre custará mais caro que o segundo. De acordo com Loures, para trazer a moeda do exterior e depois vendê-la, os bancos e as agências de câmbio devem custear todo o processo, desde a importação da moeda até o pagamento para deixá-la em um cofre. Para se comprar o dólar turismo, é necessário colocar mais pessoas no processo, contando que cada parte fica com uma margem de ganho. "No dólar de turismo existe uma taxa cega, que é uma base inicial para a formação do preço no mercado de turismo e na cotação das moedas iniciais. O dólar comercial, enquanto isso, é movimentado com a participação de menos intermediários. É normal que a cotação seja menor."

Segundo Giselle, o dólar comercial é usado apenas em operações de exportação e importações, por isso a compra só pode ser feitas por pessoas jurídicas. "A taxa do câmbio varia de acordo com a moeda comercial, então se uma pessoa tem interesse em realizar a compra, o ideal é que ela ligue para a agência de câmbio e se informe do valor, ao invés de consultar os dados em sites, já que o câmbio varia de acordo com cada agência."

Instituições autorizadas a operar com câmbio em Juiz de Fora
BANCO DO BRASIL S.A.
CAIXA ECONOMICA FEDERAL
HSBC BANK BRASIL S.A. - BANCO MULTIPLO
BANCO MERCANTIL DO BRASIL S.A.
ITAÚ UNIBANCO S.A.
BANCO BRADESCO S.A.
BANCO SANTANDER (BRASIL) S.A.
BANCO SAFRA S.A.
BANCO VOTORANTIM S.A.
RENOVA S.A. CORRETORA DE CÂMBIO
AUDITUR VIAGENS E TURISMO LTDA - ME
JAIME TEIXEIRA MASSA ME
LUCRA CADASTROS E SERVICOS LTDA
PICCHI TUR - AGENCIA DE VIAGEM LTDA
TECERA AGENCIA DE VIAGENS E TURISMO LTDA
VALOURES ASSESSORIA FINANCEIRA & CONSULTORES ASSOCIADOS LTDA.

Os textos são revisados por Thaísa Hosken

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.