Quarta-feira, 9 de agosto de 2017, atualizada às 7h35

Dudu Bertholini integra o corpo de jurados do Miss Brasil Gay

Da redação

O estilista Dudu Bertholini integra o corpo de jurados do Miss Brasil Gay 2017. Ele será um dos responsáveis por avaliar as 27 candidatas de todo o país que desfilarão no sábado, dia 19 de agosto, a partir das 21h, no Terrazzo, em Juiz de Fora.

Dudu conta que desde quando era mais novo já ouvia falar do Miss Brasil Gay e que sempre quis conhecer o evento. Quando recebeu o convite, revela que ficou muito contente. “A gente vive um momento muito importante, de representatividade, de dar visibilidade pras causas LGBTQ e de valorizar as diferenças e individualidades. Apesar da tradição do concurso, ele nunca foi tão importante quanto hoje, e eu fico muito feliz em fazer parte dessa história”, destaca.

Para a tarefa de jurado, o estilista explica que vários fatores, como beleza e desenvoltura, devem ser levados em consideração, mas ressalta um aspecto fundamental para sua avaliação: “existe um atributo mais subjetivo, que é o carisma, esse ‘star quality’, que é mais importante, a característica que mais salta aos olhos, quando a gente avalia uma miss”.

Dudu Bertholini é reconhecido nacionalmente por seu estilo autêntico e extravagante. Grande ícone da moda brasileira, o estilista se considera um grande comunicador de moda, por transitar em diversas áreas de atuação, com participações em novelas, minisséries e atualmente no programa de TV Amor e Sexo, da TV Globo.

Como funciona o Júri

O corpo de jurados do Miss Brasil Gay é formado por 23 integrantes, sendo 22 jurados e 1 presidente do júri. Artistas de visibilidade nacional, personalidades de expressão em Juiz de Fora e empresários dos setores de moda, beleza e estética são convidados para integrarem a comissão, e com suas diferentes visões, ajudarem a eleger a Miss Brasil Gay.

Chiquinho Motta, fundador do Miss Brasil Gay e presidente do júri, será responsável por definir a vencedora do concurso em caso de empate. 

Além dele, as blogueiras Myrliane Leão, Paloma Matheus e Talita Scoralick também já estão confirmadas.

Quarta-feira, 9 de agosto de 2017, atualizada às 7h35

Dudu Bertholini integra o corpo de jurados do Miss Brasil Gay

Da redação

O estilista Dudu Bertholini integra o corpo de jurados do Miss Brasil Gay 2017. Ele será um dos responsáveis por avaliar as 27 candidatas de todo o país que desfilarão no sábado, dia 19 de agosto, a partir das 21h, no Terrazzo, em Juiz de Fora.

Dudu conta que desde quando era mais novo já ouvia falar do Miss Brasil Gay e que sempre quis conhecer o evento. Quando recebeu o convite, revela que ficou muito contente. “A gente vive um momento muito importante, de representatividade, de dar visibilidade pras causas LGBTQ e de valorizar as diferenças e individualidades. Apesar da tradição do concurso, ele nunca foi tão importante quanto hoje, e eu fico muito feliz em fazer parte dessa história”, destaca.

Para a tarefa de jurado, o estilista explica que vários fatores, como beleza e desenvoltura, devem ser levados em consideração, mas ressalta um aspecto fundamental para sua avaliação: “existe um atributo mais subjetivo, que é o carisma, esse ‘star quality’, que é mais importante, a característica que mais salta aos olhos, quando a gente avalia uma miss”.

Dudu Bertholini é reconhecido nacionalmente por seu estilo autêntico e extravagante. Grande ícone da moda brasileira, o estilista se considera um grande comunicador de moda, por transitar em diversas áreas de atuação, com participações em novelas, minisséries e atualmente no programa de TV Amor e Sexo, da TV Globo.

Como funciona o Júri

O corpo de jurados do Miss Brasil Gay é formado por 23 integrantes, sendo 22 jurados e 1 presidente do júri. Artistas de visibilidade nacional, personalidades de expressão em Juiz de Fora e empresários dos setores de moda, beleza e estética são convidados para integrarem a comissão, e com suas diferentes visões, ajudarem a eleger a Miss Brasil Gay.

Chiquinho Motta, fundador do Miss Brasil Gay e presidente do júri, será responsável por definir a vencedora do concurso em caso de empate. 

Além dele, as blogueiras Myrliane Leão, Paloma Matheus e Talita Scoralick também já estão confirmadas.

-
Quarta-feira, 9 de agosto de 2017, atualizada às 7h35

Dudu Bertholini integra o corpo de jurados do Miss Brasil Gay

Da redação

O estilista Dudu Bertholini integra o corpo de jurados do Miss Brasil Gay 2017. Ele será um dos responsáveis por avaliar as 27 candidatas de todo o país que desfilarão no sábado, dia 19 de agosto, a partir das 21h, no Terrazzo, em Juiz de Fora.

Dudu conta que desde quando era mais novo já ouvia falar do Miss Brasil Gay e que sempre quis conhecer o evento. Quando recebeu o convite, revela que ficou muito contente. “A gente vive um momento muito importante, de representatividade, de dar visibilidade pras causas LGBTQ e de valorizar as diferenças e individualidades. Apesar da tradição do concurso, ele nunca foi tão importante quanto hoje, e eu fico muito feliz em fazer parte dessa história”, destaca.

Para a tarefa de jurado, o estilista explica que vários fatores, como beleza e desenvoltura, devem ser levados em consideração, mas ressalta um aspecto fundamental para sua avaliação: “existe um atributo mais subjetivo, que é o carisma, esse ‘star quality’, que é mais importante, a característica que mais salta aos olhos, quando a gente avalia uma miss”.

Dudu Bertholini é reconhecido nacionalmente por seu estilo autêntico e extravagante. Grande ícone da moda brasileira, o estilista se considera um grande comunicador de moda, por transitar em diversas áreas de atuação, com participações em novelas, minisséries e atualmente no programa de TV Amor e Sexo, da TV Globo.

Como funciona o Júri

O corpo de jurados do Miss Brasil Gay é formado por 23 integrantes, sendo 22 jurados e 1 presidente do júri. Artistas de visibilidade nacional, personalidades de expressão em Juiz de Fora e empresários dos setores de moda, beleza e estética são convidados para integrarem a comissão, e com suas diferentes visões, ajudarem a eleger a Miss Brasil Gay.

Chiquinho Motta, fundador do Miss Brasil Gay e presidente do júri, será responsável por definir a vencedora do concurso em caso de empate. 

Além dele, as blogueiras Myrliane Leão, Paloma Matheus e Talita Scoralick também já estão confirmadas.