• Assinantes
  • Autenticação
  • Casa

    Segundo semestre letivo provoca alta de até 10% na procura por imóveis em JFEmbora a demanda seja grande, especialistas afirmam que imobiliárias e proprietários têm buscado nivelamento de valores

    Aline Furtado
    Repórter
    9/8/2011
    Aluguel

    Com o início do segundo semestre letivo, cresce o número de estudantes em Juiz de Fora, seja em função da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), das instituições de ensino superior particulares, dos cursinhos preparatórios para o vestibular ou até mesmo do reinício das aulas nas escolas públicas e particulares.

    Com esta movimentação de estudantes, alguns setores da economia sentem, de forma positiva, a demanda. É o caso, por exemplo, do ramo imobiliário, que chega a registrar alta de até 10% no período.

    "Esta é uma tendência natural, percebida no início do ano e no começo do segundo semestre", aponta o delegado do Conselho Regional dos Corretores de imóveis de Juiz de Fora (Creci/MG), Ronaldo Tomaz. Segundo ele, o foco atual da procura são imóveis quarto e sala ou com dois quartos. "Justamente pela dificuldade em conseguirem um apartamento quarto e sala, os estudantes estão locando mais aqueles de dois quartos", afirma Tomaz.

    "Já começamos a sentir um incremento no mês de julho, que é quando as famílias começam a se preparar para a mudança dos filhos, matriculados na UFJF." Quem afirma é o gerente de uma imobiliária, José Cláudio Duarte da Silva. Ele diz que o movimento maior tende a manter-se até meados do mês de setembro, já que alguns estudantes vêm para a cidade e levam algum tempo para se estabilizarem.

    A opinião a respeito do incremento é partilhada pelo proprietário de outra imobiliária, Fernando Diniz. "Embora em janeiro e fevereiro a alta seja bem maior do que nos primeiros meses do segundo semestre, em julho, agosto e setembro chegamos a registrar aumento de aproximadamente 10% em comparação com outros meses. No início do ano a demanda cresce em torno de 20%."

    Equiparação de valores

    Embora a demanda seja grande, Tomaz afirma que existe uma tendência de nivelamento dos valores. "Embora tenhamos muitos imóveis novos sendo lançados, o que faz com que os preços cobrados sejam mais elevados, os donos de imóveis têm procurado não aumentar tanto os valores, a fim de que casas e/ou apartamentos não fiquem vagos. Com isso, temos um nivelamento dos preços." O delegado lembra que, do ano passado para este ano, os preços vêm seguindo uma tendência de aumento entre 10% e 15%.

    Pesquisar é a palavra de ordem

    De acordo com Diniz, quem busca por imóveis deve estar disposto a pesquisar. "Existem muitas opções, mas o público universitário, assim como outros estudantes, tem características muito peculiares, como não demandar tanto espaço na cozinha, mas buscar sala e quarto maiores. Com isso, é preciso escolher bem."

    Já Silva destaca que, no caso dos estudantes, aspectos como o preço são determinantes no momento da escolha. "Além disso, especificamente no caso dos alunos da UFJF, a localização é levada em conta, já que há preferência pela região central, além dos bairros próximos ao campus e que tenham estabelecimentos como padaria, lanchonete e mercado próximos, como Cascatinha, São Mateus e São Pedro."

    Uma das dificuldades que pode ser enfrentada pelos estudantes refere-se à demanda por quitinete, quarto e sala e dois quartos, que estão entre os mais procurados. "Hoje em dia, com a recente aceleração no mercado da construção civil, existem muitas opções, inclusive de imóveis novos disponíveis para locação", destaca Silva.

    De acordo com a caloura do curso de Enfermagem da UFJF, Raquel de Castro, que veio da cidade de São João del-Rei, a pesquisa por um apartamento teve início logo que soube da aprovação no vestibular. "Comecei com pesquisas na internet. Vim a Juiz de Fora algumas vezes e pude visitar muitos locais. Agora já está tudo certo, vim de mudança no último domingo, 7 de agosto", conta Raquel, que mora no Centro da cidade.

    Quem também mudou-se recentemente para Juiz de Fora foi a caloura do curso de Administração da UFJF, Fernanda Xavier Barbosa. "Sou de Manhuaçu. A intenção inicial era morar com uma tia, mas, visando à independência, acabamos optando por dividir um apartamento com outras duas estudantes. Fechamos tudo no mês de julho." Fernanda optou por um imóvel no bairro São Mateus.

    Com relação aos valores do aluguel de imóveis que mais se encaixam no perfil dos estudantes, é possível encontrar quitinetes entre R$ 370* e R$ 450*, no Centro de Juiz de Fora. Já apartamentos com um quarto, por exemplo, têm aluguel variando entre R$ 450* e R$ 600*, no Centro; e entre R$ 400* e R$ 600*, em São Mateus. Já apartamentos de dois quartos, dependendo da localização, podem ser encontrados entre R$ 550* e R$ 700*.

    Saiba como escolher um imóvel para alugar
    • Pesquise preços e visite vários imóveis;
    • Acompanhe todas as negociações e mantenha contato com o proprietário;
    • Busque a ajuda de pessoas que entendam de infraestrutura, condições elétricas, hidráulica etc., a fim de certificar-se sobre a segurança do imóvel;
    • Há imobiliárias que exigem fiador, que responde pelo locatário, ou caução, que é uma garantia ao locador, feita por meio de repasse de pagamento de meses de aluguel;
    • Entre os documentos necessários para locar um imóvel estão: carteira de identidade, CPF, comprovante de renda; carteira de trabalho; comprovante de residência. A documentação é exigida do locatário e do fiador.

    * Os valores foram pesquisados em agosto de 2011

    Os textos são revisados por Thaísa Hosken

    Conheça nossos planos e serviços

    (32) 2101-2000

    A melhor internet está aqui!

    Conteúdo Recomendado

    Envie Sua Notícia

    Se você possui sugestões de pauta, flagrou algum fato curioso ou irregular, envie-nos um WhatsApp

    +55 32 99915-7720

    Comentários

    Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.