Victor Bitarello Victor Bitarello 28/08/2015

"Linda de morrer", apesar de clichê, garante boas risadas

O nome "Linda de morrer" é muito adequado para "Linda de morrer". Além dos motivos relacionados à obra em si, podemos observar que a idade, sem dúvida, fez enorme bem para Glória Pires. Ela está mais bonita que nunca! No papel de uma médica bem sucedida, extremamente preocupada com a beleza, aí é que ela fica mais deslumbrante ainda.

De Cris'Amato, o filme conta a história de Paula (Glória Pires) que, após muitas pesquisas, descobre uma fórmula para o fim da celulite. No entanto, aos poucos, vai-se percebendo que o milagroso medicamento possui um terrível efeito colateral, que gerará toda uma série de confusões.

É muito importante saber que ao ir assistir esse filme, o que se conseguirá é um momento de distração. Só. É uma obra com uma infinidade de clichês. Há lições de moral, situações totalmente previsíveis, e até uma certa pressa. Uma pressa como se quisessem que o filme fosse rápido, a ponto de não dar tempo das coisas acontecerem. Muito se copiou do antigo "Ghost", com Patrick Swayze e Whoppi Goldberg. Acredito que muita gente se lembre deste filme.

Sempre às voltas com os compromissos de sua vida altamente badalada, ela não tem tempo para sua relação com a filha Alice, vivida pela "atriz" Antonia Morais. Filha de Glória Pires, esta nos forçou a engoli-la. A diferença dela para a Cleo é que Cleo tem algum trabalho como atriz. Antonia é inacreditavelmente horrível!

Houve uma excelente resposta da plateia ao humor do filme, que realmente é bom. É uma graça repetitiva e baseada quase que o tempo todo na relação da personagem de Glória com o psicólogo Daniel (Emílio Dantas). Mas, sendo repetitivo ou não, foi engraçado. Muito engraçado mesmo.

Foi muito prazeroso observar mais esse trabalho do conterrâneo Pablo Sanábio. Pablo vai sempre muito bem em tudo que já vi dele e, neste, seu personagem, que num primeiro momento é secundário, se torna dos mais interessantes e divertidos da trama.

O filme conta também com as participações de Suzana Vieira, Viviane Pasmanter, Angelo Paes Leme, entre outros. É um trabalho muito simples, que vale pelos momentos de comédia. A quem interessar possa, vale bastante a pena ir.


Victor Bitarello é bacharel em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), pós-graduado em Direito Penal e Processual Penal pela Universidade Candido Mendes (UCAM). Ator amador há 15 anos e estudioso de cinema e teatro. Servidor público do Estado de Minas Gerais, também já tendo atuado como professor de inglês por um período de 8 meses na Associação Cultural Brasil Estados Unidos - ACBEU, em Juiz de Fora. Pós graduando em Direito Processual Civil.

Conteúdo Recomendado

Comentários

Ao postar comentários o internauta concorda com os termos de uso e responsabilidade do site.